POLÍTICA
03/09/2018 16:24 -03 | Atualizado 03/09/2018 20:43 -03

Reforma da Previdência de Ciro terá idade mínima definida por gênero e atividade

Candidato também propõe a introdução de um sistema previdenciário de capitalização.

Paulo Whitaker/Reuters
Ciro Gomes diz que solução da crise fiscal passa necessariamente pela reforma da Previdência.

Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República, afirma em seu plano de governo que apenas com equilíbrio fiscal o Brasil voltará a crescer e, nesse sentido, aponta a reforma da Previdência como medida essencial para sair da crise.

Apesar da importância dada ao tema, o programa não dá detalhes da proposta, mas expõe algumas diretrizes.

Umas delas é discutir a "introdução de idades mínimas diferenciadas por atividade e gênero", sinalizando que Ciro pode defender o direito das mulheres de se aposentarem antes que os homens, bem como os trabalhadores rurais, ante os urbanos, por exemplo.

Outra proposta defendida por Ciro é a implementação de um sistema previdenciário de capitalização.

O regime atual é baseado no modelo de repartição, no qual os trabalhadores da ativa contribuem e pagam os benefícios dos aposentados. Conforme o plano de Ciro, o modelo atual continuaria existindo, mas seria introduzido também um regime de capitalização, no qual as contribuições são aplicadas em um fundo, de forma que é a rentabilidade que vai garantir o pagamento das aposentadorias.

O plano de governo do PDT propõe ainda um terceiro pilar para o sistema previdenciário, que seria dedicado às políticas assistenciais e financiado pelo Tesouro.

Retomar investimentos

O plano de governo de Ciro diz que o Estado precisa, junto ao setor privado, "viabilizar um volume de investimentos de aproximadamente R$ 300 bilhões ao ano (praticamente 5% do PIB)" para recuperar a infraestrutura do País.

"Não haverá outra forma de fazê-lo que não seja através do retorno da capacidade de investimento do setor público, que dependerá do ajuste fiscal, tributário, da reforma da Previdência e da consequente queda das despesas com juros", diz o texto.