POLÍTICA
04/09/2018 00:00 -03 | Atualizado 04/09/2018 13:26 -03

Reforma da Previdência de Bolsonaro terá transição para modelo de capitalização

Candidato diz que novo sistema terá menos imposto sobre salário, mas admite que pode haver "problema de insuficiência de recursos".

Plano de Bolsonaro para Previdência prevê que novos participantes poderão optar entre os sistemas novo e velho.
Patricia Monteiro/Bloomberg/Getty Images
Plano de Bolsonaro para Previdência prevê que novos participantes poderão optar entre os sistemas novo e velho.

Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência da República, defende a transição do modelo tradicional de Previdência, de repartição, para um regime de capitalização, que seria introduzido "paulatinamente" no País.

No modelo de repartição, os trabalhadores da ativa contribuem e pagam os benefícios dos aposentados. De acordo com o plano de governo de Bolsonaro, "novos participantes terão a possibilidade de optar entre os sistemas novo e velho", e o contribuinte que optar pelo modelo de capitalização terá menos impostos sobre o salário.

No modelo de capitalização, as contribuições dos trabalhadores são aplicadas em um fundo, e é a rentabilidade dos recursos que paga as aposentadorias de quem já parou de trabalhar.

"Insuficiência de recursos"

O plano de governo registrado por Bolsonaro, contudo, admite que pode haver "problema de insuficiência de recursos" durante a transição da Previdência atual para o modelo de capitalização.

"Obviamente, a transição de um regime para o outro gera um problema de insuficiência de recursos na medida em que os aposentados deixam de contar com a contribuição dos optantes pela capitalização. Para isto será criado um fundo para reforçar o financiamento da Previdência e compensar a redução de contribuições previdenciárias no sistema antigo", diz o texto.