NOTÍCIAS
03/09/2018 18:44 -03 | Atualizado 03/09/2018 19:00 -03

Marta dribla falta de apoio e salva futebol brasileiro na festa da Bola de Ouro

Nem Neymar nem Gabriel Jesus: Camisa 10 da Seleção feminina é a única representante do futebol do Brasil na luta por um troféu do prêmio The Best, da Fifa.

Alagoana Marta é a única representante do futebol brasileiro na festa da Fifa.
Icon Sportswire via Getty Images
Alagoana Marta é a única representante do futebol brasileiro na festa da Fifa.

É uma mulher quem representará o Brasil na festa que premiará os melhores do mundo do futebol na temporada 2018 no próximo dia 28 de setembro em Londres, na Inglaterra.

A alagoana Marta Vieira da Silva, nascida em Dois Riachos há 32 anos, foi anunciada pela Fifa nesta segunda-feira (3) como uma das três finalistas que brigam pelo prêmio de Melhor Jogadora de Futebol da temporada.

Marta terá como concorrentes Dzsenifer Marozsan, da Alemanha, e Ada S. Hegerberg, da Noruega, apontada como grande favorita ao troféu.

A presença da Rainha, eleita 5 vezes a melhor jogadora do mundo, salva o futebol brasileiro de um ano com baixo desempenho sob o ponto de vista individual, já que nenhum jogador do País conseguiu ficar sequer entre os 10 melhores do mundo na categoria masculina, tampouco o técnico Tite.

Brilho sem apoio

Icon Sportswire via Getty Images
Marta, com a camisa do Orlando Pride: Orgulho do futebol brasileiro.

Hoje atuando na Liga Norte-Americana com a camisa do Orlando Pride, Marta é destaque no futebol brasileiro.

A camisa 10 surgiu nas categorias de base do CSA, de Alagoas, mas foi no Santos que alcançou as maiores glórias, incluindo uma Libertadores da América e uma Copa do Brasil, ambas em 2009.

Com a camisa da Seleção Brasileira, Marta foi medalha do ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2007 e levou duas vezes a medalha de prata olímpica para casa - 2004 e 2008.

A canhota é uma das defensoras constantes da bandeira de que o futebol brasileiro precisa de mais apoio e, no ano passado, em meio a alguns elogios, disparou.

"Não podemos parar de pedir apoio, ajuda. Por mais que escutemos: "ah, mas vocês só reclamam". Vamos reclamar. Até ver que as coisas estão funcionando. Até que as meninas tenham estrutura".

Marta, camisa 10 da Seleção Brasileira

A conquista de mais uma Bola de Ouro pode, quem sabe, abrir novamente os olhos dos dirigentes para um esporte que, apesar dos bons resultados, não parece cativar o interesse da alta cúpula de quem comanda o futebol brasileiro.