POLÍTICA
31/08/2018 08:52 -03 | Atualizado 31/08/2018 08:54 -03

TSE pode julgar nesta sexta-feira o futuro da candidatura do ex-presidente Lula

Impasse na Justiça Eleitoral faz PT admitir que estuda alternativas à candidatura do partido.

Ueslei Marcelino / Reuters
Lula está preso desde 7 de abril, cumprindo pena pela condenação em segunda instância de corrupção e lavagem de dinheiro.

Com a possibilidade de a Justiça Eleitoral julgar a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT na sucessão presidencial, no horário eleitoral e o registro de candidatura do petista nesta sexta-feira (31) ou, no mais tardar, no início da semana que vem, correligionários já admitem que estudam alternativas.

A ação que questiona a participação de Lula no horário eleitoral, protocolada pelo Partido Novo, e o registro da candidatura não constam na pauta desta sexta. No entanto, a corte pode acrescentá-los até uma hora antes da sessão, marcada para 14h30, ser iniciada.

Lula está preso desde 7 de abril, cumprindo pena pela condenação em segunda instância de corrupção e lavagem de dinheiro. Por causa da sentença na Operação Lava Jato, ele é considerado inelegível, barrado pela Lei da Ficha Limpa.

Líder nas pesquisas de intenção de votos, o petista se diz inocente e exige o direito de concorrer. A expectativa dentro do PT era de que o registro da candidatura só fosse negado definitivamente no dia 17 de setembro, prazo final. Mas há divergências na Justiça Eleitoral em torno do prazo.

Embora ministros já tenham afirmado que a Corte pode por conta própria negar o registro, há quem defenda que os prazos para análise do registro sejam cumpridos. De acordo com o Estadão, a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, é uma das defensoras do rito. Já o ministro Luís Roberto Barroso, relator da ação, quer agilizar o caso.

Na quinta-feira (30), os advogados de Lula apresentaram a defesa, na qual argumentam que mais de 100 candidatos foram eleitos em 2016 com o registro da candidatura negado.

O horário eleitoral começa nesta sexta-feira (31), mas os blocos direcionados ao cargo de presidente são veiculados apenas sábado, terça e quinta. A primeira aparição será no dia 1º. O PT tem 2min23s. Na TV, a propaganda será exibida às 13h e às 20h30. No rádio, às 7h e 12h.

Alternativas a Lula

Em Curitiba, após visitar o ex-presidente, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, vice na chapa, afirmou que o PT estuda ao menos quatro alternativas a Lula.

"O PT tem muitos líderes, é o partido que mais lideranças tem. Estávamos até há pouco discutindo quatro alternativas ao Lula, mas não queríamos discutir isso. Queríamos focar no nosso problema maior, a defesa intransigente do que consideramos justa no País. Esse posicionamento político é mais importante que qualquer estratégia eleitoral, é isso que vai ficar para a história, o quanto fomos solidários a um líder como Lula."

A expectativa é que Haddad assuma a cabeça da chapa e Manuel D'Ávila, do PCdoB, seja a candidata ao cargo de vice.