POLÍTICA
31/08/2018 14:02 -03 | Atualizado 31/08/2018 14:08 -03

Horário eleitoral: Voz de Lula dá o tom de campanha do PT na TV em São Paulo

Participação do ex-presidente como candidato no horário eleitoral dedicado à Presidência será julgada pelo TSE.

Reuters Photographer / Reuters
Luiz Marinho foi ministro do Trabalho e da Previdência na gestão do ex-presidente Lula.

Enquanto paira a dúvida sobre a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidato à sucessão presidencial no horário eleitoral, os petistas o levaram para a televisão neste primeiro dia de campanha eleitoral no rádio e na TV.

A voz de Lula foi um dos pontos altos desta sexta-feira (31). É ele quem apresenta o candidato do PT ao governo de São Paulo, Luiz Marinho. Destaca que o candidato esteve à frente dos ministérios do Trabalho e da Previdência enquanto Lula foi presidente.

"Certamente fez mais que 20 prefeitos em 8 anos, certeza que vai fazer a diferença em São Paulo", diz Lula. A imagem de Lula e até pedido de "Lula livre" também apareceram nas propagandas dos candidatos a deputados estadual e senador.

Há a expectativa de que a Justiça Eleitoral decida se o ex-presidente Lula pode participar do horário eleitoral a partir deste sábado. Está na pauta da corte o julgamento do registro da candidatura. A procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, contesta o registro, argumenta que Lula é ficha suja. Condenado em segunda instância, ele está preso, cumprindo sentença na Operação Lava Jato.

A propaganda começou nesta sexta-feira, mas os blocos direcionados ao cargo de presidente são veiculados apenas sábado, terça e quinta. A primeira aparição será no dia 1º. O PT tem 2min23s. Na TV, a propaganda será exibida às 13h e às 20h30. No rádio, às 7h e 12h.

Experiência

Na disputa pelo governo de São Paulo, a polarização ficou principalmente entre os candidatos que lideram as pesquisas de intenção de votos, João Doria (PSDB) e Paulo Skaf (MDB).

Enquanto Doria que, diferentemente do que tinha prometido, deixou a prefeitura de São Paulo antes de terminar o mandato afirmou que no governo terá "mais condições e recurso para trabalhar para mais pessoas", Skaf destacou que "tem firmeza e tem palavra".

O atual governador Márcio França (PSB) disse que sempre dedicou a vida às pessoas e que "sabe ouvir e agir com firmeza". Afirmou ainda que acumulou experiência. "Sei o que precisa ser feito, já estou promovendo mudança", emendou.