COMPORTAMENTO
03/09/2018 12:24 -03 | Atualizado 03/09/2018 12:24 -03

A rotina de como cuidar da sua prótese dentária adequadamente

Limpar e higienizar dentaduras, além de usar fixadores, contribui com a saúde bucal e o bem estar dos pacientes.

RossHelen via Getty Images
Quase 40 milhões de brasileiros usam próteses dentárias parcias ou completas.

Manter uma rotina de cuidados com a nossa saúde exige disciplina e atenção. Com a saúde de nossos dentes não é diferente; se cuidarmos bem deles, a nossa boca estará protegida de ferimentos e infecções.

Atualmente, são quase 40 milhões de brasileiros que utilizam próteses parciais ou completas. Apesar dos avanços nos tratamentos, a perda dentária ainda é uma realidade no País. De acordo com a pesquisa Percepções latinoamericanas sobre perda de dentes e autoconfiança, realizada por Corega, a perda dentária afeta, sobretudo, a autoestima dos pacientes.

Nesse contexto, o uso adequado das próteses dentárias se torna ferramenta de empoderamento e saúde para quem perdeu a vontade até mesmo de sorrir.

Sorriso saudável não é vaidade:

  • 42% dos brasileiros concordam totalmente ou em parte com a afirmação de que a perda de dentes não lhes permite viver a vida ao máximo;
  • 32% concordam que a perda de dentes impede de ter um estilo de vida saudável e ativo;
  • 52% consideram que a perda de dentes deixou a aparência do seu rosto pior ou muito pior;
  • 54% consideram que sorrir ou gargalhar em público ficou pior ou muito pior;
  • 43% dizem que ficou pior ou muito pior paquerar ou namorar;
  • 23% dizem que a perda de dentes afastou do marido/ esposa;
  • 38% consideram que ficou pior ou muito pior ir a uma entrevista de emprego;
  • Em relação a se sentirem atraentes, 46% dizem que ficou pior ou muito pior;
  • 34% acham que a confiança em si mesmo ficou pior ou muito pior;
  • 71% dizem que sua mastigação ficou pior ou muito pior;
  • 38% dizem que ficou pior ou muito pior ir a festas e eventos.

    Dados da pesquisa encomendada por Corega: "Percepções latinoamericanas sobre perda de dentes e autoconfiança", Edelman Insights, Junho, 2018.

A assepsia não é um bicho de 7 cabeças. Para cuidar de sua saúde bucal de forma adequada, o passo a passo é simples:

Como limpar as próteses dentárias

O primeiro passo é manter uma rotina de limpeza que você consiga cumprir, por exemplo, sempre após cada uma das refeições. Para isso, o ideal é que se use escova dental própria para a higienização das próteses. Outro detalhe: a escovação nunca deve ser feita diretamente na boca. No caso das próteses removíveis, dê preferência para escová-las na mão. É importante enxaguar bastante as próteses para que não sobre nenhum restinho de alimento. Contudo, mesmo com uma boa escovação, a prótese dentária não está 100% higienizada. Para isso existem pastilhas de limpeza, como Corega Tabs, que têm como objetivo limpar e matar bactérias de forma eficaz, principalmente em regiões que a escova não alcança. Elas também ajudam a reduzir o acúmulo de placas e manchas na prótese. Quando as próteses não estiverem em uso, é sempre bom mante-las em um recipiente com água ou alguma solução anti-bacteriana.

A higienização de uma boca sem dentes

Mesmo sem dentes, é preciso higienizar a língua, o palato e as gengivas com o uso de uma escova de cerdas macias. Esse processo ajudará na eliminação da placa bacteriana e de resíduos de alimentos, além de estimular a circulação sanguínea na região. Um dos maiores fatores de desconforto, o mau hálito, é causado pelos restos de comida que persistem na boca. Nesse caso, o uso de enxaguantes bucais pode ajudar.

O cuidado com os dentes remanescentes

Outro cuidado importante é prestar atenção na escovação dos dentes naturais e manter uma boa rotina de higiene dental. O ideal é escovar pelo menos duas vezes ao dia, sempre com creme dental com flúor para evitar o acúmulo de placas.

Os perigos de uma má higienização das próteses

Caso a limpeza não seja feita da forma correta, quem utiliza próteses dentárias pode correr o risco de desenvolver doenças como a candidíase bucal. A doença acontece quando a prótese acaba por machucar a boca e produz leves ferimentos. Sem a cicatrização correta, somada à falta de higiene, a boca se torna terreno fértil para fungos.

Wavebreakmedia via Getty Images

O que fazer quando a prótese não estiver adequada à boca

As próteses dentárias são feitas levando em conta a individualidade de cada paciente. No entanto, a boca é capaz de se remodelar e, por isso, as próteses precisam ser trocadas de tempos em tempos para que não se tornem ineficientes. A média é que a troca seja feita a cada 5 anos.

Como o uso de fixadores melhora a vida do paciente

Existem algumas ferramentas que melhoram a adaptação das próteses na boca. A principal delas é o uso de fixadores, como os da linha Corega. Eles podem existir em formato de creme, adesivo ou pó e evitam a mobilidade das próteses dentárias durante todo o dia, mantendo o conforto e segurança de quem usa.

Além do conforto, os fixadores também combatem ao mau hálito e evitam a dor, pois a prótese passa a se encaixar perfeitamente na boca e não entra alimento entre prótese e gengiva.

Outro benefício importante é a segurança do paciente na hora da alimentação, já que os fixadores permitem uma mordida mais forte e o usuário pode comer qualquer alimento despreocupado.

A influência do fixador na dicção

Além disso, usar a prótese dentária com auxílio dos fixadores melhora a dicção nos momentos da fala. O paciente tem a certeza de que a prótese não vai se mover, então pode sorrir e falar mais à vontade.

E esse é um ponto importante, por influenciar diretamente na autoestima da pessoa. Afinal, o temor de perder a dentadura enquanto se fala ou sorri interfere na espontaneidade do paciente.

Muitos usuários de dentaduras desconhecem ou não têm acesso aos produtos que tornam a rotina de uso da prótese mais fácil e prático.

Por isso, recomenda-se o fixador para contribuir com a dicção, a mastigação e o maior bem estar de quem precisa utilizar próteses.

Quando eu devo retirar a minha prótese dentária?

De acordo com os especialistas, é recomendado que o paciente retire as próteses durante a noite para dormir. Isso ajuda a oxigenação nas células da boca.

Mas, atenção, em nenhuma hipótese o paciente deve retirar a prótese dentária e desgastá-la por conta própria, com o intuito de ajustá-la à boca. Jamais coloque a prótese em água fervente e nem mesmo utilize produtos de limpeza abrasivos, como o bicarbonato de sódio.

Procurar ajuda de um dentista

Além dos cuidados individuais, é preciso estar sempre em contato com um dentista. O acompanhamento odontológico nos consultórios deve acontecer pelo menos duas vezes ao ano.

Caso você note algo de errado em sua prótese ou dente, não hesite em procurar uma ajuda profissional.