POLÍTICA
27/08/2018 01:06 -03 | Atualizado 27/08/2018 01:06 -03

Meirelles quer facilitar emprego para jovens e reduzir gap salarial entre gêneros

Ex-ministro da Fazenda de Temer, Henrique Meirelles promete em seu programa fazer País voltar a crescer 4% ao ano.

Paulo Whitaker / Reuters
Meirelles cita a desigualdade salarial entre homens e mulheres em plano de governo.

Candidato do MDB, Henrique Meirelles lançou um plano de governo voltado para a retomada do crescimento econômico. Para combater o desemprego, que hoje atinge cerca de 13,2 milhões de brasileiros, segundo o IBGE, o emedebista avalia que a geração de vagas depende do resgate da confiança no País, de uma política econômica correta e de uma agenda para aumentar a produtividade.

Ex-ministro da Fazenda do governo Michel Temer, Meirelles promete em seu programa fazer o País voltar a crescer 4% ao ano, "como aconteceu quando foi presidente do Banco Central entre 2003 a 2010, período no qual foi registrada a criação líquida de 10,2 milhões de novos empregos com carteira assinada". Nesse período, Luiz Inácio Lula da Silva foi presidente do Brasil.

Meirelles cita a desigualdade salarial entre homens e mulheres e a alta taxa de desocupação dos jovens como distorções de um mercado de trabalho em meio à crise econômica.

"Além da volta do crescimento, o País terá de encontrar formas de facilitar a adaptação da mão de obra às novas condições de trabalho. O desafio é muito grande", diz o texto, acrescentando que não há como enfrentar as tecnologias do século 21 sem mudar "nossa forma de pensar sobre a educação, o trabalho, a Previdência social e a regulação dos negócios".

Abertura comercial para gerar emprego

Em outro ponto de seu plano de governo, Meirelles também cita a abertura comercial do Brasil como uma das maneiras de gerar mais empregos e renda.

"A política externa do governo Meirelles estará voltada à abertura de mercados para nossos produtos, à atração de investimentos para nossos setores produtivos e para nossa infraestrutura. Será uma política externa de fortalecimento de um Mercosul que privilegie o livre mercado", exemplificou.

O presidenciável propôs 3 alicerces para diminuir a taxa de desemprego no Brasil, caso vença as eleições presidenciais em outubro de 2018:

  • Facilitar a inserção dos jovens no mercado de trabalho, expandindo a oferta de vagas no ensino técnico e incentivando o primeiro emprego;
  • Simplificar e informatizar todo o processo de gestão de mão de obra;
  • incentivar a redução da diferença salarial entre homens e mulheres, respaldado pela nova lei do trabalho aprovada em 2017.