MUNDO
23/08/2018 18:27 -03 | Atualizado 23/08/2018 18:27 -03

Famílias separadas desde a Guerra da Coreia se reúnem na Coreia do Norte

Elas estavam separadas desde o começo do conflito, na década de 1950.

KOREA POOL via Getty Images

Famílias separadas desde a Guerra da Coreia se reuniram pela primeira vez na segunda-feira, depois da assinatura de um acordo no início do ano entre os presidentes da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e da Coreia do Norte, Kim Jong Un.

Um grupo de 89 pessoas, a maioria idosas, foi escolhido para viajar para a Coreia do Norte com o objetivo de reencontrar parentes, segundo a CNN. As famílias estavam separadas desde a assinatura do armistício entre os dois países, em 1953.

Lee Keum-seom disse à CNN que estava vendo o filho pela primeira vez desde que ele tinha 4 anos. Hoje, eles têm 92 e 72 anos, respectivamente.

"(Minha família) na Coreia do Norte não viveu muito, então rezava pela saúde do meu filho", disse ela. "O que vou perguntar? Vou perguntar o que o pai dele contou sobre mim. O pai dele deve ter contado como fomos separados e onde ficava nossa casa."

Com 101 anos, Baik Seong-gu finalmente vai conhecer a neta, quase 70 anos depois de ter sido separado dos filhos durante a Guerra da Coreia. Outros 88 sul-coreanos como ele vão atravessar a fronteira amanhã para se reunir com suas famílias.

A agência de notícias sul-coreana Yonhap descreveu uma cena cheia de lágrimas. Os familiares se abraçaram e fizeram perguntas sobre suas vidas. Lee, por exemplo, perguntou ao filho quantos netos ela tinha.

O evento durou três dias, segundo a Yonhap, e ao todo os familiares separados passaram 11 horas juntos. Mais de 300 sul-coreanos vão viajar para o vizinho do Norte no próximo final de semana, numa segunda rodada do evento.

Dezenas de milhares de coreanos se reuniram com suas famílias desde o começo do século, mas o evento de segunda-feira foi o primeiro do tipo desde 2015, quando um aumento nas tensões na península suspendeu as reuniões.

KOREA POOL via Getty Images
South Koreans Jo Hye-do (R), 86, and Jo Do-jae (C), 75, meet their North Korean sister Jo Soon Do (L), 89, during a separated family reunion meeting at the Mount Kumgang resort on the North's southeastern coast on August 20, 2018.

As duas Coreias estão buscando uma reaproximação este ano, em meio a um esforço diplomático do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para que a Coreia do Norte abra mão de seu programa de armas nucleares.

Os líderes dos países vizinhos realizaram uma série de encontros de cúpula este ano, incluindo uma reunião história em maio, na qual Kim passou para o lado sul-coreano da fronteira e abraçou Moon.

Trump e Kim também protagonizaram um aperto de mãos histórico na reunião realizada em Singapura em junho. Os dois países assinaram um acordo conjunto no qual a Coreia do Norte se compromete a desmontar seu programa nuclear.

Mas o progresso nas relações entre os dois países já encontra novos obstáculos: autoridades americanas confirmaram no mês passado que a ditadura comunista continua produzindo misseis balísticos.