POLÍTICA
16/08/2018 14:06 -03 | Atualizado 16/08/2018 14:12 -03

Alvaro Dias dispara sobre a candidatura de Lula: ‘É uma ofensa ao povo brasileiro'

Em sabatina realizada pelo HuffPost Brasil e o Yahoo!, o candidato do Podemos à Presidência afirmou que a situação de Lula é de condenação popular.

O candidato do Podemos, Alvaro Dias, foi sabatinado nesta quinta-feira (16) por jornalistas do HuffPost Brasil e do Yahoo!.
Yahoo!
O candidato do Podemos, Alvaro Dias, foi sabatinado nesta quinta-feira (16) por jornalistas do HuffPost Brasil e do Yahoo!.

Condenado para além da Justiça. Condenado pela população.

É assim que o candidato do Podemos à Presidência da República, Alvaro Dias, enxerga o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato do PT, preso desde abril por condenação na Operação Lava Jato. Em sabatina na manhã desta quinta-feira (16) com jornalistas do HuffPost Brasil e do Yahoo!, o candidato deixou explícita a indignação, principalmente em relação ao registro da candidatura de Lula, feito na quarta-feira (15).

"É uma ofensa ao povo brasileiro. Um partido político registra uma candidatura que não existe. É encenação, é escamotear a realidade. É uma escárnio, uma afronta, desrespeito à Justiça, agressão ao estado de direito, à realidade democrática,"

É rasgar a Lei da Ficha Limpa.

O candidato considera ainda que teve um ato falho quando falou que o que está acontecendo é um circo. "Não quero ofender o circo, sou amigo dos circenses, isso não é um circo. É uma esculhambação, uma anarquia, uma afronta. Essa candidatura não existe, esse ato de ontem não existiu, isso é um filme de horrores. Um absurdo."

Inelegibilidade

Dias ressalta ainda que o ex-presidente é inelegível. "A situação dele é de condenação, de condenação popular. Na última pesquisa, ele teve 54% de rejeição. Ninguém se elege com mais de 50% de rejeição."

Para ele, é mais importante analisar a rejeição do candidato que a intenção de voto. "Estão analisando a pesquisa como se o candidato tivesse 29% e não tem, 29% de 40%, porque 60% não tem candidato. Ou seja, não dá nem 10%. É muito pouco para quem já foi presidente da República duas vezes", emenda.

Candidatura de Lula

Em ato com militância em frente ao TSE, o PT registrou na tarde de quarta-feira (15), último dia previsto pela Justiça Eleitoral, a candidatura de Lula ao Palácio do Planalto. Caso o petista seja barrado, o partido prepara a substituição pelo ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. A vice na chapa presidencial é Manuela D'Ávila (PCdoB). O registro foi protocolado pela dupla, junto com a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PT-SP) e aliados.