POLÍTICA
07/08/2018 20:36 -03 | Atualizado 07/08/2018 20:56 -03

'Não sou candidato do governo', diz Meirelles (MDB), ex-ministro de Temer

"A candidatura é resultado do que fiz, seja no governo que terminou com alta popularidade, seja no governo que terminou em baixa. O importante é meu trabalho, que é inquestionável."

Candidato à Presidência do partido do presidente Michel Temer, Meirelles foi ministro da Fazenda do atual governo.
Adriano Machado/Reuters
Candidato à Presidência do partido do presidente Michel Temer, Meirelles foi ministro da Fazenda do atual governo.

Rejeitado por 82% da população, o governo do presidente Michel Temer também é rejeitado como slogan da candidatura à Presidência do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. Filiado ao mesmo partido de Temer, o candidato do MDB disse nesta terça-feira (7), no GovTech, em São Paulo, que não representa a continuação do atual Executivo.

Não sou candidato do governo.Henrique Meirelles, candidato do MDB à Presidência

Aos jornalistas, Meirelles fez um histórico da sua vida. Falou do sucesso na iniciativa privada e nas urnas quando se candidatou para deputado federal pelo PSDB. Destacou que ficou 8 anos no Banco Central, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), "quando o Brasil cresceu muito, 40 milhões de brasileiros entraram na classe média", e que voltou no governo Michel Temer. "Fiquei apenas 2 anos, mas o suficiente para tirar o País da recessão."

Em resumo, sou o candidato da minha história.

Meirelles seguiu dizendo que recebe endosso de líderes de partidos do País inteiro, de líderes de opiniões mais diversas. "As pessoas questionam se eu aceito apoio desta ou daquela pessoa e eu digo 'aceito o apoio de todas as lideranças que queiram apoiar um projeto que não só é importante para o País, como um projeto vencedor'. (...) Não seleciono quem pode ou não me apoiar."

Paulo Whitaker/Reuters
Meirelles destacou que também fez parte do governo do ex-presidente Lula, "quando o Brasil cresceu muito, 40 milhões de brasileiros entraram na classe média".

Disse ainda não acreditar que a baixa avaliação do presidente interfere em sua candidatura. "Até porque não interfere no meu trabalho, meu trabalho seja no governo Lula ou no governo Temer ou no setor privado mostrou grandes resultados para o País. Minha candidatura é resultado de tudo aquilo que eu fiz, seja no governo que terminou com 80% de popularidade, seja no governo que, por outras razões, terminou com baixa popularidade. O importante é o meu trabalho, que é inquestionável."

Questionado sobre qual avaliação fazia do governo Michel Temer, Meirelles se esquivou. Disse que o trabalho que fez no governo, "que gera emprego", ele considera ótimo. "Não estou aqui fazendo classificação de diversos setores do governo. Sou o candidato da minha história", insistiu.