COMIDA
06/08/2018 16:36 -03 | Atualizado 12/08/2018 11:23 -03

Leite condensado é 'comida de verdade'? O debate que Rita Lobo levantou no Twitter

Perguntamos à nutricionista o que, afinal, é esta tal da "comida de verdade".

A chef e criadora do site e livro de receitas Panelinha, Rita Lobo, gerou uma discussão conveniente no Twitter no último domingo (5): o leite condensado pode ser considerado "comida de verdade"?

A pergunta foi feita por um usuário à chef e ela respondeu com este exemplo:

Ainda na rede social, ela explicou o conceito do alimento ultraprocessado de acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, elaborado pelo Ministério da Saúde: se o produto leva aditivos químicos, é ultraprocessado; se além de um ingrediente principal leva apenas sal, açúcar ou vinagre, por exemplo, é processado.

"A recomendação do Guia é basear a alimentação em alimentos in natura e minimamente processados, limitar o consumo dos processados (que devem ser associados a preparações culinárias com o grupo 1), e excluir os ultraprocessados", escreveu.

A cozinheira afirmou ainda que o conceito de comida de verdade é respeitar um padrão alimentar tradicional, "no caso do Brasil, simbolizado pelo arroz com feijão, servido num prato, à mesa. Os ultraprocessados não são apenas desbalanceados nutricionalmemte: eles corrompem as normas", acrescentou.

O que é essa tal de "comida de verdade"?

Getty Images/iStockphoto

Ariane Bomgosto, nutricionista especializada em nutrição comportamental, explica que a comida de verdade é aquela que vem da natureza, ou seja, que não passou por nenhum processo.

"É uma comida que tem nutrientes e que é natural ao nosso organismo. O organismo entende que esta comida vai nutri-lo e responde bem", acrescenta em entrevista ao HuffPost Brasil.

Assim, comida de verdade seria fruta, verdura, grão, legume, carne, entre outros. "Vai à feira e você vai encontrar só comida de verdade", exemplifica a nutricionista.

O leite condensado, pelo contrário, é um alimento ultraprocessado -- como Rita Lobo já explicou --, possui altos níveis de açúcar e é pobre de nutrientes.

Uma latinha de Leite Moça, por exemplo, contém leite integral, açúcar e lactose (açúcar do leite). Uma porção de 20 gramas (uma colher de sopa) tem 65 calorias e 11g de carboidratos. Ou seja, ele está longe de ser "comida de verdade".

"O nosso corpo não reconhece ele como um alimento. Nosso corpo reconhece este alimento como algo capaz de viciar o paladar, viciar o meu cérebro. Ele acaba desorganizando o equilíbrio do meu organismo", explica Bomgosto.

O excesso de açúcar e o índice glicêmico

Consumido sozinho, o leite condensado também pode dar pico de insulina.

Quando comemos muito açúcar (doces com açúcar refinado, em geral), aumentamos rapidamente a glicose no sangue. Para trabalhar todo este açúcar que ingerimos, nosso corpo produz insulina, o hormônio que retira o açúcar do sangue e o transforma em energia.

"A questão é que o corpo humano não foi feito para suportar muitas cargas de glicose no sangue", explica a Nutricionista Mestre em Ciências e especializada em Fisiologia do Exercício, Anielle D'Angelo.

Alimentos com alto índice glicêmico desencadeiam uma liberação de grandes quantidades de insulina para manter os níveis de glicose no sangue dentro do limite, o que sobrecarrega o pâncreas. A insulina elevada também contribui para menor saciedade e até resistência à insulina.

"Quando você come um alimento com carga glicêmica alta, nosso corpo produz muita insulina para lidar com esse excesso de açúcar, tira a glicemia do sangue rapidamente para transformar em energia, e isso faz o cérebro achar que está faltando energia, então ele aumenta seu apetite. É um ciclo vicioso", explica .

É só se lembrar daquela macarronada de massa branca com molho de tomate. Quanto tempo depois você estará morrendo de fome?

Mas isso não quer dizer que ele tenha que ser um "vilão" da nossa alimentação.

"Não é porque eu sei que o leite condensado faz mal eu vou bani-lo da minha alimentação. Se você tem consciência e não se engana, escolha o seu momento e coma um brigadeiro. Isso não vai ser um problema", finaliza a nutricionista Ariane Bomgosto.