POLÍTICA
05/08/2018 00:06 -03 | Atualizado 05/08/2018 00:06 -03

Marília Arraes é ovacionada por militância e constrange dirigentes do PT em convenção

"Não tem acordo com golpistas. Marília Arraes é candidata a governadora petista", entoava o coro.

Divulgação

A militância do PT não está satisfeita com a estratégia do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de barrar a candidatura da vereadora Marília Arraes para o governo de Pernambuco. Defensores da vereadora aproveitaram a convenção do PT, que aconteceu no sábado (4), para questionar a decisão da cúpula do partido de fazer um acordo nacional com o PSB.

Ao anunciarem a lista de candidatos a governador do PT pelo país, a pernambucana não foi citada. Então, parte da plateia começou a gritar: "Pernambuco" e "Marília".

"Não tem acordo com golpistas. Marília Arraes é candidata a governadora petista", entoava o coro.

A vereadora foi ovacionada pela militância e provocou constrangimento nos dirigentes que estavam no palco da Casa de Portugal, em São Paulo.

Na última quarta-feira (1º), o PT formalizou o apoio em Pernambuco à reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) durante reunião da Executiva Nacional. Ao fazer este movimento, o partido abriu mão da candidatura de Marília Arraes. Ela aparece em empate técnico com o socialista nas pesquisas de intenção de voto.

Com essa manobra, o PT espera se fortalecer nacional para a disputa presidencial. Até o acordo ser concluído, o Partido Socialista Brasileiro sinalizava apoiar Ciro Gomes (PDT) como candidato à Presidência da República.

Em entrevista ao HuffPost Brasil, José Crispiniano, um dos coordenadores da campanha de Lula, afirmou que a decisão de retirar a candidatura de Arraes "faz parte de uma estratégia nacional do partido".

"Não há qualquer tipo de repressão contra quem discorda da estratégia, mas essa foi a decisão correta tendo em vista o papel do partido nas eleições", argumentou.

Petistas históricos, como o ex-governador Tarso Genro e o deputado Wadih Damous (RJ), criticaram a exclusão de Marília Arraes da corrida pelo Palácio do Campo das Princesas.

Ela tem até este domingo (5) para decidir se vai concorrer a uma vaga na Câmara. Em conversa com aliados, a neta de Miguel Arraes disse que aceitará disputar uma vaga de deputada federal. Também será neste domingo que o PSB deverá tornar oficial a postura de neutralidade nas eleições presidenciais.