POLÍTICA
04/08/2018 15:19 -03 | Atualizado 04/08/2018 15:19 -03

A mensagem de Lula oficialmente candidato: 'Querem inventar uma democracia sem povo'

Na convenção nacional do PT, ator Sérgio Mamberti leu discurso do ex-presidente, preso em Curitiba há quase 5 meses.

NELSON ALMEIDA via Getty Images
Cúpula do PT representa Lula com máscaras distribuídas a todos os participantes da convenção nacional da sigla.

Preso desde 7 de abril, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi incorporado na convenção nacional do PT, em São Paulo, por toda a militância que vestiu a máscara do petista. Ele foi enaltecido por diversas lideranças do partido e da CUT (Central Única dos Trabalhadores).

"Cada um de vocês manteve Lula vivo; ele está na mente e no coração dos brasileiros", defendeu a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR). A convenção formalizou a candidatura de Lula ao Palácio do Planalto.

O registro, no entanto, deve ser barrado pela Justiça Eleitoral, uma vez que Lula é condenado em 2ª instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo caso do tríplex no Guarujá.

Durante a convenção, nenhuma palavra sobre a vice. As especulações de um convite à candidata à Presidência pelo PCdoB, Manuela D'Ávila, não foram para a frente.

O partido tem até o final deste domingo (5) para escolher o nome que vai integrar a chapa de Lula, de acordo com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Nacho Doce / Reuters
Centenas de 'Lulas' lotam andar na Casa de Portugal, na Liberdade, em São Paulo.

Uma mensagem atribuída a ele foi lida pelo ator Sérgio Mamberti, filiado ao partido que já integrou o Ministério da Cultura durante as gestões do ex-presidente.

"Hoje a nossa democracia está ameaçada", afirmou Lula. "Já derrubaram uma presidenta eleita; agora querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo presidente. Querem inventar uma democracia sem povo."

A íntegra da carta de Lula, lida por Mamberti, está mais abaixo.

Aplaudida, a ex-presidente Dilma Rousseff afirmou que a luta dos militantes será "muito dura" contra duas ordens: "uma que quer manter o retrocesso e outra que quer garantir o Estado de exceção".

Esse Estado de exceção é que encarcerou Lula, um inocente. Sua única culpa é a sua popularidade e o reconhecimento do povo brasileiro.Dilma Rousseff, na convenção nacional do PT

Apesar de o partido negar ter plano B, mas apenas plano L, de Lula, o ex-prefeito Fernando Haddad (PT-SP) é um dos prováveis substitutos de Lula na chapa petista. Em seu discurso, ele disse apostar na vitória do PT nas eleições. E fez discurso de candidato, alvejando o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin.

"Alckmin é o candidato do Temer. O governo Temer só tinha vontade de tomar o poder, mas não sabia o que fazer com ele. Quem organizou o governo foi o PSDB", disparou Haddad.

Nacho Doce / Reuters
Fernando Haddad discursa na convenção nacional do PT.

Querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo presidente. Querem inventar uma democracia sem povo.Lula, em carta lida por Sérgio Mamberti

A carta de Lula à militância

Leia a íntegra da carta do ex-presidente Lula:

"Ao longo desses 38 anos nós construímos a mais importante força política que este país já conheceu. Porque nascemos das bases, da classe trabalhadora da cidade e do campo, lutando pela democracia e pela justiça. E nunca, nunca mesmo, nos afastamos do povo.

Chegamos ao governo pelo voto, depois de um longo aprendizado, para transformar o Brasil. E transformamos. Vencemos a miséria e a fome. Levamos água para quem sofria com a seca e luz elétrica para quem vivia nas trevas. Levamos as crianças para a escola e os jovens – negros, pobres e indígenas – para a universidade.

São coisas que parecem simples em qualquer país civilizado, mas que representaram uma enorme diferença para nossa gente sofrida. E isso só foi possível porque sempre colocamos os trabalhadores e os mais pobres no centro das atenções do governo.

Criamos um dos maiores e melhores programas de transferência de renda do mundo, o Bolsa Família. Aumentamos o valor real do salario mínimo. Levamos crédito para os trabalhadores, os aposentados e para a agricultura familiar. Criamos 20 milhões de empregos.

Nos muitos governos anteriores ao nosso, a imensa maioria da população era tratada como se fosse um problema. Nós tratamos a nossa gente como solução, e por isso o Brasil mudou. Provamos que é possível fazer diferente e melhor do que sempre fizeram antes.

Hoje o nosso povo está sofrendo. A fome voltou a rondar os lares e muitos nem têm mais um lar: estão vivendo nas ruas, tornaram-se mendigos junto com os filhos. Milhões de trabalhadores desistiram de procurar emprego, porque não há. Milhões foram excluídos do Bolsa Família. As universidades e os hospitais vivem sua maior crise.

Hoje o nosso país está sendo vendido. Nossa Petrobrás, nosso pré-sal, a Eletrobrás, os bancos públicos; todos na fila para serem entregues a preço de banana aos grandes grupos estrangeiros, como já fizeram com a Embraer. Nossa politica externa voltou a ser ditada pelo Departamento de Estado norte-americano.

Hoje a nossa democracia está ameaçada. Há dois anos deram um golpe parlamentar para destituir a presidenta Dilma Rousseff, rasgando a Constituição. Agora querem fazer uma eleição presidencial de cartas marcadas, excluindo o nome que está à frente na preferência popular em todas as pesquisas.

Já derrubaram uma presidenta eleita; agora querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo presidente. Querem inventar uma democracia sem povo.

Este encontro nacional do PT talvez seja um dos mais importantes em toda a história do nosso partido. É enorme a responsabilidade que temos pela frente. A decisão de hoje vai nos conduzir a uma luta sem tréguas pela democracia, pelo povo brasileiro e pelo Brasil. E a vitória dependerá do empenho de cada um de nós.

Gostaria de estar aí para abraçar cada companheira e companheiro. Para agradecer por toda a solidariedade e principalmente por manterem aceso o espírito do PT, mesmo nas circunstâncias mais difíceis. De onde me encontro, estou sempre renovando minha fé de que o dia do nosso reencontro virá, pela vontade do povo brasileiro.

Viva o Brasil!

Viva o Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras!"