NOTÍCIAS
02/08/2018 14:04 -03 | Atualizado 03/08/2018 10:20 -03

Palmeiras e Santos apostam em velhos conhecidos para tentar salvar a temporada no Brasileirão

Luiz Felipe Scolari e Cuca foram os escolhidos pelos clubes para substituir Roger Machado e Jair Ventura.

Luiz Felipe Scolari, o Felipão, assume comando do Palmeiras pela terceira vez.
Divulgação/Palmeiras
Luiz Felipe Scolari, o Felipão, assume comando do Palmeiras pela terceira vez.

Uma volta ao passado... E, talvez, ao "ultrapassado". Assim pode ser definida a atitude das diretorias de Palmeiras e Santos nesta semana, após demitirem, quase que ao mesmo tempo, os treinadores Roger Machado e Jair Ventura, respectivamente, por conta das fracas campanhas no Campeonato Brasileiro.

Descontentes com o desempenho de 2 representantes da nova geração de técnicos do futebol nacional, as direções dos rivais paulistas resolveram apostar em velhos conhecidos da torcida e que já tiveram passagens pelos clubes: Luiz Felipe Scolari e Cuca.

Felipão viveu 2 momentos distintos no Palmeiras antes de acertar seu retorno ao clube pela terceira vez, e detém marcas históricas invejáveis, apesar de não ter realizado um trabalho satisfatório em 2012, quando participou da campanha que selou o segundo rebaixamento do clube no Campeonato Brasileiro.

No mesmo ano, venceu, com um time limitado, a segunda Copa do Brasil pelo clube, completando 5 títulos à frente do Palmeiras. (Copa do Brasil em 1998 e 2012; Copa Mercosul em 1998; Copa Libertadores da América em 1999; Torneio Rio-São Paulo em 2000).

Segundo da lista

Luiz Felipe Scolari é, atualmente, o segundo treinador que mais vezes dirigiu o Palmeiras na História, com 408 jogos — 192 vitórias, 111 empates e 105 derrotas, segundo números do site oficial do clube. À sua frente está apenas Oswaldo Brandão, que acumulou 580 jogos — 341 vitórias, 151 empates e 93 derrotas.

Sob o comando de Felipão, Palmeiras conquistou sua única Libertadores da América da história, uma Copa Mercosul e duas Copas do Brasil — a última em sua segunda passagem, que teve início em 2010.

Santos também apela ao passado

O Santos chegou a pensar em voltar MUITO ao passado antes de definir o substituto de Jair Ventura e consultou Vanderlei Luxemburgo, campeão brasileiro com a equipe em 2004, e que há alguns anos não tem conseguido encaixar um trabalho de destaque. Mas o nome escolhido foi o de Cuca.

Um pouco menos da "velha guarda" do que Luxemburgo, Cuca também não vem de boas sequências de trabalho após ter sido campeão brasileiro com o Palmeiras.

O treinador passou, sem sucesso, pelo próprio Palmeiras em 2017 e estava sem clube desde setembro, quando resolveu passar um período se dedicando à família.

No comando do Santos, o ex-meia, que também atuou na Vila Belmiro como jogador, não fez um trabalho que tenha deixado saudades.

Em uma curta passagem substituindo Emerson Leão em 2008, o treinador não conseguiu sair da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e, em 14 partidas, acumulou três vitórias, quatro empates e sete derrotas.

Agora, 10 anos depois, Cuca pega o Santos em situação similar. O time da Vila Belmiro abre a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro e ocupa a 17ª posição na tabela com apenas 16 pontos, à frente de Atlético-PR, Paraná e Ceará.

Veja abaixo como foi a apresentação de Cuca em sua volta ao Santos: