POLÍTICA
29/07/2018 16:59 -03 | Atualizado 29/07/2018 16:59 -03

Diogo Costa, do Partido Novo, quer maior participação do setor privado no financiamento da Ciência

Diogo Costa, representante do candidato João Amoedo, do partido Novo, quer focar em modelos que deram certo em outras partes do mundo.

Diogo Costa participou da sabatina representando João Amoedo, do Partido Novo.
Divulgação
Diogo Costa participou da sabatina representando João Amoedo, do Partido Novo.

Aumentar a participação do setor privado no financiamento da Ciência e se espelhar em "melhores modelos". Essas são algumas das propostas de Diogo Costa, que representou o candidato à Presidência João Amoedo, do Partido Novo, na sabatina promovida em parceria por HuffPost Brasil, Dispersciência e ScienceVlogs Brazil, o Conhecer Eleições 2018.

"É preciso aumentar a participação do setor privado no financiamento da Ciência e, para isso, precisamos de melhores modelos. As universidades americanas conseguem ter autonomia porque têm estratégias, como os fundos. Você pode ter aporte do setor público, aporte do setor privado e, conforme vão gerando rendimentos, você vai utilizando. Esse modelo deu certo demais", completou.

Ao ser questionado sobre a importância da Ciência no programa de governo de seu partido, Diogo Costa defendeu o fim da passionalidade dos mandatários na tomada de decisões.

"A política toma decisões completamente não-científicas, baseadas no humor e na passionalidade dos governantes. A democracia precisa de um setor público que se paute em evidências", pontuou.

Flexibilização dos currículos

Focado bastante no planejamento da pasta para garantir o interesse das novas gerações pelo assunto, o representante do Partido Novo propôs a flexibilização dos currículos nas escolas.

"Precisamos pensar em como deixar o conhecimento mais agregado. Para isso existe a proposta da flexibilização dos currículos e integração das disciplinas no ensino médio", finalizou.