NOTÍCIAS
28/07/2018 14:18 -03 | Atualizado 28/07/2018 14:18 -03

PTB e Solidariedade confirmam apoio à candidatura de Alckmin para Presidência da República

Tucano esteve presente no evento em Brasília ao lado da esposa, Lu Alckmin.

Paulinho da Força (com o microfone) e Aldo Rebelo na convenção que formalizou apoio do Solidariedade à candidatura de Geraldo Alckmin.
Divulgação/Site Oficial
Paulinho da Força (com o microfone) e Aldo Rebelo na convenção que formalizou apoio do Solidariedade à candidatura de Geraldo Alckmin.

Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência da República, ganhou força para tentar alavancar sua campanha e entrar definitivamente na briga pela sucessão de Michel Temer no Palácio do Planalto.

O Tucano teve confirmado neste sábado (28) o apoio de dois partidos para as eleições de outubro: PTB e Solidariedade, fortalecendo assim os laços com o chamado 'centrão', que conta ainda com PP, DEM, PR, PRB, PSD, PPS E PV.

Deputado federal, presidente da Força Sindical e presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força foi o porta-voz da confirmação do apoio do SD a Geraldo Alckmin, em postagem colocada no Facebook do partido.

"Democracia se faz assim: compartilhando propostas e buscando o aval dos filiados nas tomadas de decisões. Representantes do Solidariedade de todo o país se reuniram hoje no Sindicato Nacional dos Aposentados, aqui em São Paulo, e aprovaram por unanimidade o apoio do partido ao grupo "Centro Democrático", que, nestas eleições, tem o nome do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como pré-candidato à presidência da República. Acredito que, somando forças, conseguiremos alcançar um bem comum: a retomada do crescimento do nosso Brasil. Grandes conquistas estão por vir".

"Moisés no deserto"

O ex-governador de São Paulo esteve em Brasília acompanhado da mulher, Lu Alckmin, participando da convenção do PTB, que já havia sinalizado anteriormente pela decisão de apoiar o candidato do PSDB.

Roberto Jefferson, presidente do Partido, embasou seu apoio a Geraldo Alckmin com discurso crítico aos petistas Lula e Dilma Rousseff que, segundo ele, "demoliram os fundamentos que estabilizaram a economia".

"Geraldo Alckmin é um homem preparado, trabalhador e vocacionado para a vida política e para servir a sociedade, não para se servir da sociedade. O PTB o vê como líder capaz, como Moisés no deserto, a nos guiar para a terra prometida".

O ex-governador de São Paulo, que na pesquisa Datafolha do início de junho contava com 7% das intenções de voto, agradeceu aos novos aliados em post no Twitter.

Desafio é eliminar "sombra" de Temer

Com 40% do tempo de propaganda eleitoral de rádio e televisão, Geraldo Alckmin enfrenta agora outro desafio eleitoral: afinar o discurso para se descolar da imagem do governo de Michel Temer (MDB). No evento em que o apoio do centrão ao tucano se tornou oficial nesta quinta-feira (26), lideranças antes aliadas do emedebista fizeram críticas à situação atual do país e defenderam um candidato eleito pelas urnas.

"Todos sabemos que o Brasil, desde o final de 2014, vive uma das mais graves crises de natureza política, econômica e social na sua história e é fundamental que a gente possa virar essa página. A eleição de 2018 tem de ser a do reencontro com a legitimidade e com a capacidade da política resolver os problemas da política", afirmou o presidente do DEM, ACM Neto, em discurso sobre a união do chamado "centro democrático".

O democrata, que tem conduzido as negociações de escolha do vice do tucano, também defendeu a capacidade do ex-governador de São Paulo em promover reformas que a atual gestão não conseguiu, como a da Previdência. "Certamente a força que vai emergir das urnas, do apoio do voto popular, dará plenas condições ao próximo governo de encaminhar uma agenda", disse ACM Neto. Críticas à legitimidade de Temer como presidente têm sido usadas pelo PT e aliados desde 2016.