POLÍTICA
26/07/2018 16:12 -03 | Atualizado 27/07/2018 15:23 -03

MBL protesta na sede do Facebook: 'Vai ter publicação liberal e conservadora, sim'

Grupo promete acampar em frente ao prédio que abriga a sede do Facebook, no Itaim Bibi, em São Paulo.

Reprodução/Facebook
Kim Kataguiri e o vereador Fernando Holiday (DEM), do MBL, em ato em frente à sede do Facebook.

Líderes do MBL (Movimento Brasil Livre) fazem um protesto nesta quinta-feira (26) em frente ao prédio de onde fica a sede do Facebook, no Itaim Bibi, em São Paulo. O grupo protesta contra a exclusão de quase 300 páginas e perfis considerados falsos pelo Facebook e acusa a rede social de "censura".

"Por que vocês fizeram isso? Quem está se beneficiando disso?", questionou o líder Kim Kataguiri, pelo microfone. "Foram derrubadas páginas que defendem ideias liberais e conservadoras em plena eleição", continuou.

Kataguiri disse que o grupo pediu uma reunião com a diretoria do Facebook no Brasil, mas não foi atendido. O MBL pede que a rede social apresente "provas e motivos" para a remoção das páginas e afirma que, juntas, as contas tinham meio milhão de seguidores.

"Não apresentaram um maldito motivo", criticou ao microfone o vereador Fernando Holiday (DEM), também líder do MBL. "Mostre uma página impressa com notícia falsa [que publicamos] que a gente vai embora na mesma hora", continuou Holiday.

Facebook não remove fake news, mas exclui contas falsas. Entenda.

O Facebook afirmou que a decisão de remover as páginas foi tomada após "rigorosa investigação".

Foram removidas 196 páginas e 87 perfis. "Essas páginas e perfis faziam parte de uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação", informou a rede social, em nota.

A ação faz parte da política de combate à disseminação de notícias falsas, intensificada com a proximidade das eleições de outubro.

Na quarta-feira (25), após a repercussão da medida, o Ministério Público Federal (MPF) em Goiás cobrou explicações do Facebook sobre a remoção das páginas, em caráter de urgência. O procurador da República Ailton Benedito deu prazo de 48 horas para que o Facebook envie a lista de todas as páginas e perfis removidos, com justificativas para a exclusão.

Acampamento

Holiday disse que militantes do MBL estão chegando de diversas partes do País e vão acampar em frente ao prédio até receberem uma resposta do Facebook. Eles estão divulgando o endereço do prédio nas redes sociais.

"Se você descer aqui, não vai ter ato de violência, não vai ter ninguém tentando vandalizar o prédio, ninguém vai te agredir", disse o vereador, convocando o diretor da rede.