COMIDA
23/07/2018 11:26 -03 | Atualizado 23/07/2018 11:28 -03

7 snacks 'saudáveis' que enganam muita gente

Muitos alimentos vendidos como opções saudáveis nem sempre cumprem o que prometem

Na busca de uma alimentação equilibrada, nem sempre fazemos as melhores escolhas. Muitos alimentos vendidos como opções saudáveis nem sempre cumprem o que prometem -- mesmo aqueles que se vendem como "glúten free", "vegan", "low carb", entre outros "indicadores" de saúde.

Aqui estão 7 alimentos que não são tão saudáveis e inofensivos como você acredita:

1. Chips de banana industrializados

bhofack2 via Getty Images

Apesar de serem vendidos pela indústria como um snack natural, os chips de banana contêm grande quantidade de gordura saturada, uma vez que são fritos com óleo de coco, além de receber aditivos.

"Você precisa pensar consigo mesmo: espera um pouco, isso não é tão diferente de um chips de batata", disse a nutricionista Kim Arrey ao Medical Daily.

Em vez de comprar o industrializado, a nutricionista recomenda fazer o snack em casa mesmo: corte as bananas em fatias finas e asse-as em baixa temperatura até ficarem crocantes. Assim, você terá certeza que não foi adicionado açúcar, gordura ou sal em seu snack saudável.

2. Pipoca de microondas

Quem não resiste à pipoquinha e um filme no domingo à noite, não é mesmo? Mas ela não é nada saudável. Pipocas prontas, aquelas de saquinho que colocamos no microondas, têm grande quantidade de sal e gorduras.

Como já dissemos por aqui, a pipoca é saudável e boa opção de snack se for feita de modo tradicional: na panela, com pouco óleo. Para dar um gostinho a mais, utilize ervas e pouco sal.

3. Frutas desidratadas

Diana Taliun via Getty Images

Frutas desidratas têm sabor mais adocicado e continuam sendo frutas, certo? Certo. Porém, o que muitos não sabem é que no processo de desidratação, o açúcar é concentrado e suas calorias aumentam.

"As frutas perdem água e isso faz com que a frutose (açúcar natural das frutas) fique concentrada, o que pode até triplicar as calorias", disse a nutricionista Carolina Furlani Baliere para a Boa Forma.

Um figo fresco tem 47 calorias, enquanto o seco chega a ter 171 calorias. Além disso, o mesmo processo diminui nutrientes e as fibras naturais das frutas.

4. Produtos 'gluten free'

A oferta de alimentos sem glúten cresceu de forma espantosa nos últimos anos não só para os celíacos (pessoas intolerantes à proteína presente na cevada, centeio, trigo, aveia). Cada vez mais pessoas não intolerantes consomem alimentos sem glúten por acharem que eles trazem mais benefícios à saúde. Bom, não é bem assim.

Na semana passada, a revista francesa 60 millions de consommateurs" publicou uma pesquisa que prova que produtos industrializados "gluten free" têm mais gordura e aditivos do que produtos convencionais. A indústria, na busca por tornar estes alimentos mais saborosos e parecidos com os que levam a proteína, acabam acrescentando ingredientes que não são nada saudáveis -- e vendem estes produtos pelo dobro ou triplo do valor.

Um biscoito de cacau sem glúten, vendido na França, tem cerca de oito aditivos a mais do que um biscoito tradicional e são mais calóricos. Já um pão sem glúten tem três aditivos que, se consumidos em dose alta, podem causar inchaço e diarréia. "Este pão tem 40% mais calorias do que o tradicional", acrescentou a pesquisa.

O veredicto da revista é claro: se o glúten não te faz mal, você não precisa bani-lo da dieta.

5. Bebidas esportivas

PhotoAlto/Sandro Di Carlo Darsa via Getty Images

Apesar de serem utilizados por amadores e atletas, bebidas esportivas, como isotônicos e outros, possuem altas quantidades de açúcares e não dão o resultado que muitas pessoas imaginam.

"Diversos estudos mostram que não há diferença nas medições eletrolíticas quando comparados corredores de maratonas que consomem bebidas esportivas e aqueles que bebem apenas água", disse Dr. Troy Madsen, da University of Utah, ao Medical Daily. "Se você sente que essas bebidas fazem grande diferença no seu treino, continue. Se não, não precisa gastar dinheiro com tudo isso. Água está ótimo."

6. Iogurte desnatado

Cada vez mais pesquisas associam o consumo de iogurte ao bom funcionamento do intestino, conhecido como o nosso "segundo cérebro". Porém, este iogurte deve ser natural e integral, não aquele desnatado e adoçado artificialmente.

"As pessoas se assustam com as calorias do iogurte natural, mas elas são saudáveis. O que não é saudável é tirar a gordura que a natureza trouxe e colocar em um alimento industrial um açúcar escondido, e ainda cobrar mais caro pra isso", ressaltou o médico Patrick Rocha, presidente do Instituto Nacional de Estudos da Obesidade e Doenças Crônicas.

7. Granola

Alexander Spatari via Getty Images

Granola é uma das maiores "mentiras" inventadas pela indústria alimentícia nos tempos modernos. Categorizada como opção saudável para café da manhã, com alto teor de fibras, ferro, proteína, etc, a maioria das marcas de granolas esconde elevadas cargas de açúcares e óleos hidrogenados.

Por isso, a melhor opção é ler as informações nutricionais nas embalagens, principalmente o teor de açúcares e gorduras.