POLÍTICA
22/07/2018 13:01 -03 | Atualizado 22/07/2018 14:14 -03

Janaina Paschoal a militantes de Bolsonaro: 'Precisamos somar pra não correr risco de virar PT ao contrário'

Cotada a vice de Jair Bolsonaro diz que é preciso respeitar as diferenças para Bolsonaro vencer e poder governar.

Autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Janaina Paschoal participa da convenção nacional do PSL.
EVARISTO SA via Getty Images
Autora do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Janaina Paschoal participa da convenção nacional do PSL.

A criminalista Janaina Paschoal, autora do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, foi ovacionada diversas vezes neste domingo (22) durante a convenção nacional do PSL, que confirmou a candidatura de Jair Bolsonaro(PSL-RJ) a presidente da República.

Em seu discurso em tom de diálogo, a advogada filiada ao PSL pediu para os militantes não aplaudirem nem gritarem, mas prestarem atenção às suas preocupações sobre a campanha de seu partido.

"Corremos o risco de virar um PT ao contrário", disse, ao se referir a atitudes de militantes de Bolsonaro que atacam pessoas que pensam de forma diferente deles. "Não é hora de olhar com lupa e selecionar quem concorda com a gente, 'venha', quem não concorda, 'saia'. Isso não existe em uma república, em uma democracia."

Os apoiadores do candidato aprovaram a tese da criminalista:

Janaina afirma que é necessário "somar"; senão, "não haverá vitória, e se houver vitória, não haverá governabilidade".

De acordo com a advogada, a união dos militantes deve ser em torno de 3 linhas-mestras: valorização da vida, proteção da juventude e combate à criminalidade, sobretudo no poder.

"Isso tem que nos unir. As pessoas podem discordar da gente e serem honestas e quererem trabalhar, se unir e enfrentar o que precisa ser enfrentado", ressaltou.

"Para unir a nação, nós não precisamos mais do que 7 segundos [tempo de TV estimado para o PSL]. Não caiam na armadilha, não julguem os seus irmãos porque eventualmente não concordam com você em um ponto. Nós não somos donos da verdade", concluiu.

A escolha do vice de Bolsonaro e a definição de coligações não vão ocorrer neste domingo. Mas o senador Magno Malta(PR-ES), que foi cotado a vice, já indicou que estará satisfeito com Janaina ao lado de Bolsonaro em chapa puro sangue do PSL.