COMIDA
19/07/2018 17:38 -03 | Atualizado 19/07/2018 17:49 -03

Queijo e parma na mira da ONU: Discussão sobre sal e gordura preocupa Itália

"Acreditam que produtos como Coca Cola light fazem bem para a saúde e depois condenam o Parmigiano. Faremos uma batalha muito dura", prometeu o ministro de Agricultura da Itália.

Algumas excelências da gastronomia italiana podem acabar na mira da OMS, como o queijo Parmigiano Reggiano, o presunto cru e o azeite extravirgem.
Getty Images/iStockphoto
Algumas excelências da gastronomia italiana podem acabar na mira da OMS, como o queijo Parmigiano Reggiano, o presunto cru e o azeite extravirgem.

A Organização das Nações Unidas (ONU) estaria estudando propor medidas para frear o consumo de sal nos países-membros, inclusive por meio da utilização de etiquetas para identificar produtos que contêm o mineral em excesso.

Além disso, alimentos ricos em gordura saturada também estariam na mira da ONU, que discutirá o tema no próximo dia 27 de setembro, em Nova York, na terceira reunião para avaliar os progressos na luta contra doenças não transmissíveis, como patologias cardiovasculares.

O tema já estaria em debate com a Organização Mundial da Saúde (OMS), que, em janeiro passado, publicou um relatório com possíveis recomendações para reduzir o impacto negativo de comidas ricas em sal e gordura, como campanhas informativas e a fixação de patamares máximos do mineral em alimentos.

O estudo não menciona explicitamente nenhum produto italiano, mas, segundo o jornal "Il Sole 24 Ore", algumas excelências da gastronomia nacional podem acabar na mira da OMS e da ONU, como o queijo Parmigiano Reggiano, o presunto cru e o azeite extravirgem.

"Se isso acontecer, será loucura pura. Acreditam que produtos como Coca Cola light fazem bem para a saúde e depois condenam o Parmigiano ou outros produtos da gastronomia italiana. Faremos uma batalha muito dura", prometeu o ministro de Agricultura da Itália, Gian Marco Centinaio.

No entanto, fontes das Nações Unidas disseram que a reunião de 27 de setembro prevê apenas uma declaração política e "adotada por consenso", sem votações ou resoluções. Em 2015, a OMS já havia causado revolta na Itália ao dizer que o consumo elevado de carnes processadas e embutidos, como salames e presuntos, pode causar câncer.