COMPORTAMENTO
17/07/2018 19:19 -03 | Atualizado 18/07/2018 13:41 -03

Kittenfishing: A habilidade de criar perfis enganosos em apps de relacionamento

CSA Images

Daniel Green é um DJ de 35 anos em Londres. Ele já encontrou tantas imagens com filtros do Snapchat em perfis de aplicativos de relacionamentos que incluiu em seus perfis no Tinder, Bumble e JSwipe um aviso dizendo "nada de filtros de cachorro, por favor".

"Gosto de ver a pessoa com quem estou falando, e não um rosto de cachorro. Vamos ser honestos, isso é ridículo", disse Green ao HuffPost. "Não quero parecer superficial, mas o que nos atrai inicialmente é a aparência física. Acho que deveríamos todos ser um pouco mais honestos, assim teríamos uma chance melhor de conhecer alguém que apreciasse nossa aparência real."

Como tantas outras pessoas que procuram relacionamentos online, Green já esteve na situação desagradável de ser vítima de "kittenfishing".

Cunhado recentemente pelo dating app (aplicativo de relacionamentos) Hinge, esse termo é uma versão mais branda do "catfishing" (catfishing: quando uma pessoa cria uma personalidade falsa nas redes sociais para procurar relacionamentos, chamar a atenção ou praticar agressão contra outros internautas).

Uma pessoa que pratica kittenfishing é hábil em apresentar-se de modo pouco realista em seu perfil em sites de namoro, por exemplo postando fotos super editadas ou muito antigas e mentindo sobre sua idade ou seu estilo de vida para atrair possíveis pretendentes.

É uma prática muito comum, fato que não chega a surpreender. Mais de metade das pessoas que usam dating apps (54%) disseram que alguns pretendentes já se descreveram de modo altamente enganoso em seus perfis, segundo um estudo de 2013 do Projeto Internet & Vida Americana do Centro Pew de Pesquisas.

Sobre o quê os solteiros mais provavelmente vão mentir? Segundo Dan Slater, autor do livro Love in the Time of Algorithms: What Technology Does to Meeting and Mating, os homens tendem a exagerar sua altura, enquanto as mulheres muitas vezes escondem a verdade sobre seu peso.

E há um fato divertido para os leitores solteiros: de acordo com o OkCupid, quanto mais bonita a foto, maior é a probabilidade de ser de muito tempo atrás.

Mentir sobre a própria idade também é algo que muitas pessoas fazem. Anos atrás a instrutora de ioga e podcaster sobre estilo de vida Ali Washburn teve uma experiência bizarra com um "kittenfisher" relutante em revelar sua verdadeira idade.

O homem alegava no Tinder ter 35 anos, mas, quando a noite avançou e ele foi compartilhando mais detalhes sobre sua vida e suas viagens pelo mundo, Washburn se perguntou: "Como é possível o cara ter feito tudo isso com só 35 anos?"

"Finalmente eu falei alguma coisa tipo 'uau, você já fez um monte de coisa desde a faculdade'", Washburn disse ao HuffPost. "Ele acabou admitindo que estava usando a data de nascimento do irmão dele, muito mais jovem, nos aplicativos de namoro. Na realidade ele era quarentão, quase cinquentão, e dizia que 'gostava de conhecer mulheres mais jovens porque era jovem em seu coração'."

Sim, essa é uma maneira de calcular sua "idade".

"Como vocês podem imaginar, foi o fim da paquera", disse Washburn.

O problema do kittenfishing é esse: você pode ocultar a verdade a seu respeito e conseguir marcar um primeiro encontro com alguém, mas, pelo fato de exibir uma versão nada realista de si mesmo online, corre o risco de provocar o repúdio das pessoas. E mais: você provavelmente terá mais primeiros encontros do que teria se fosse franco, mas bem menos segundos encontros.

Mesmo que a outra pessoa goste de você quando o conhecer cara a cara, aquela mentira inicial – a mentirinha sobre sua idade ou a alegação de que é fã enorme do hip-hop da velha escola, sendo que durante o jantar você confundiu Method Man com um personagem da Marvel – não é algo que atrai muito, disse Damona Hoffman, coach de relacionamentos e apresentadora do podcast "Dates & Mates".

"O elemento mais importante de um relacionamento bem-sucedido e de longo prazo é a confiança. Quando você mente em seu perfil, está criando uma situação em que a outra pessoa se decepciona quando sua expectativa não corresponder à realidade", ela explicou.

"Talvez seja possível passar por alguns primeiros encontros mesmo escondendo coisas, mas se o relacionamento for para frente, em algum momento será preciso mostrar a verdade", acrescentou Hoffman. "Isso pode levar ao fim de um relacionamento potencialmente muito bom. É uma oportunidade perdida de encontrar alguém que ame você do jeito que você é."

Vale observar que o kittenfishing não é uma tendência recente das pessoas da geração millenial: muito antes dos relacionamentos na internet virarem algo comum, as pessoas já costumavam representar-se de modo altamente exagerado. (Por exemplo, seu pai pode ter conquistado sua mãe contando a ela algumas mentirinhas sobre suas notas no colégio e suas metas profissionais.)

Hoje, porém, nossos alter egos online, moldados com grande cuidado, falam tão alto em nosso nome que as pessoas que somos de verdade não têm como não decepcionar pretendentes quando conhecemos essas pessoas cara a cara, comentou o psicólogo Ryan Howes, de Pasadena, Califórnia. Escolhemos nossas melhores fotos para incluir em nossos perfis nos dating apps e, no Instagram e Facebook, só exibimos os melhores momentos de nossa vida pessoal. Ninguém, nem mesmo Chrissy Teigen, é tão bacana e divertido quanto se retrata nas redes sociais.

"Hoje em dia nossa imagem precede completamente nossa apresentação física, como se fosse nosso embaixador digital", disse Howard. "As pessoas que procuram relacionamentos online racionalizam o kittenfishing, dizendo 'eu realmente era assim no passado e posso muito bem voltar a ser, se comer muita salada e for à academia regularmente".

Hoje em dia o kittenfishing em escala pequena ou nem tanto é tão comum que quase esperamos algum nível de fingimento por parte de nossos pretendentes românticos.

"Há uma espécie de acordo tácito: se você não denunciar como eu falseei minha imagem, eu não vou denunciar você por fazer a mesma coisa", disse Howard. "Parece que há uma camada de irrealidade aceitável que acompanha a busca de relacionamentos online, envolvendo ou idade, filtros ou outras medidas de atratividade."

Eu diria que é bem mais fácil esperar para encontrar a pessoa certa para você, sendo autêntica e honesta em relação a quem você é o que está procurando, em lugar de falar às pessoas o que você pensa que elas querem ouvir e então ficar fingindo para sempre.Ali Washburn, apresentadora de um podcast sobre estilo de vida, ex-usuária de apps de paquera

Mas a honestidade – ou o mais perto disso que você tiver coragem de ir—é muito mais recomendável. Seja ousado e escolha uma foto que não tenha sido retocada no Facetune. Fale a verdade sobre seu trabalho, em vez de colocar "empreendedor" ou "proprietário autônomo" na categoria ocupação, como já fizeram tantas pessoas.

Mais dia, menos dia, sua sinceridade acabará lhe rendendo bons frutos. Acredite no que diz Ali Washburn, a mulher que teve um primeiro encontro com um homem que dizia ter 35 anos, mas era bem mais velho. Ela acabou conhecendo um sujeito honesto no Tinder, que hoje é seu namorado.

"Eu diria que é bem mais fácil esperar para encontrar a pessoa certa para você, sendo autêntica e honesta em relação a quem você é o que está procurando, em lugar de falar às pessoas o que você pensa que elas querem ouvir e então ficar fingindo para sempre", ela disse. "Além do mais, mentir desse jeito é a melhor maneira de acabar indo em muitas viagens para acampar, uma coisa que na realidade você não tem a menor vontade de fazer."

Acampar. Eca!

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.