MULHERES
10/07/2018 14:34 -03 | Atualizado 10/07/2018 14:34 -03

O que as doulas gostariam que você soubesse sobre o trabalho delas

Começando por: Existe diferença entre doula e parteira.

Rocker Bye Births

É hora de abandonar a ideia de que toda doula é "hippie" ou leva a vida à base de granola.

Apesar dos sinais de que a demanda por doulas vem aumentando muito nos últimos anos , ainda há muita gente com ideias equivocadas a respeito desse trabalho. Conversamos com três doulas para descobrir o que elas gostariam que as pessoas soubessem sobre o trabalho delas. Veja o que elas nos contaram.

Doulas não são parteiras.

Todas as três mencionaram este como o primeiro grande equívoco. Grosso modo, parteiras são profissionais de saúde e oferecem cuidados médicos; as doulas são mais "treinadoras" ou "técnicas" que se certificam de que a mãe está pronta para o parto.

"Não fazemos nada médico ou clínico", diz Jennifer Mayer, doula com mais de 12 anos de experiência e fundadora da Baby Caravan, de Nova York. "Estamos ali para oferecer informações e apoio emocional e físico."

Rocker Bye Births
Doulas and midwives are not the same. Midwives offer medical expertise, while doulas (like Justine Temke, above) provide support to ensure their clients are comfortable.

Mayer afirma também que as doulas aconselham as mães e suas famílias.

"Não somos uma profissão da área médica, e isso permite que trabalhemos de forma bastante única", diz ela. "Ajudamos as mulheres a defender seus direitos e a se certificar de que estão fazendo as perguntas certas [para os médicos] – não que elas precisem discordar dos médicos, mas sim pensar nos direitos das pacientes."

Staci Baker e Justine Temke são cofundadoras do Midwest Doulas, em St. Paul, Minnesota. Juntas, elas têm cerca de 10 anos de experiência como doulas. Baker e Temke apontam outras diferenças entre uma doula e uma profissional da área de saúde.

"As doulas oferecem apoio emocional e técnicas de conforto. O obstetra e a parteira são a equipe médica e se certificam de que todos estão saudáveis", afirma Temke.

Doulas de parto não são o único tipo de doula.

Doulas de parto dão apoio para a mãe antes e durante o parto. Muita gente acha que o papel delas acaba aí. Mas existem doulas pós-parto, que ajudam as famílias a se ajustar à vida com crianças. Outro tipo de doula ajuda a cuidar das outras crianças e a prepará-las para o papel de irmão ou irmã mais velhos.

Nosso papel é garantir que você se sinta empoderada para tomar suas próprias decisões, o que é essencial. Justine Temke, cofundadora da Midwest Doulas

As doulas de parto também vão além de reconfortar as mães.

"Nosso trabalho é mais que dar apoio físico", diz Mayer. "Podemos dar recomendações de médicos ou encontrar acupunturistas ou quiropratas e ajudar a marcar essas consultas depois do nascimento do bebê. As doulas ajudam de várias maneiras."

Nem toda doula é "hippie" ou leva a vida à base de granola.

Esse estereótipo vem sendo perpetuado há muitos anos e mostra que muita gente não entende direito o que as doulas fazem.

"Existe essa ideia de que só comemos granola e andamos por aí montadas em unicórnios", diz Temke. "Mas existem vários tipos de doulas, das que comem granola às que também são quiropratas. O objetivo é sempre dar o apoio de que você ou sua família precisam. Com certeza você vai encontrar a doula certa para seu caso."

As doulas não rejeitam a medicina moderna.

"Preciso esclarecer que a maioria das doulas não odeia médicos nem anestesias peridurais", afirma Mayer.

Ela diz que, na sua experiência, a maioria dos médicos não têm problema algum em trabalhar com doulas, e alguns deles dizem até mesmo que elas facilitam seu trabalho.

Baker e Temke explicam que as doulas não têm a função de contradizer os médicos e que a equipe delas não trabalha em partos em que não há assistência médica.

Para algumas, ser doula não é hobby.

Muitas doulas são profissionais.

"Nos últimos 10 anos, estamos vendo um movimento composto de profissionais treinadas e certificadas, que não são doulas só nas horas vagas ou por hobby", diz Temke.

Mas o dia típico de uma doula profissional não é nada organizado.

"Uma das exigências é ajudar as clientes na época de incerteza que é o fim da gravidez", diz Mayer. "Não sabemos quando o bebê vai nascer, não sabemos quanto tempo vai durar o parto. ... É super estressante, muitas incógnitas, mas é assim que vivemos."

As doulas não substituem os parceiros.

Muitos parceiros acham que a presença da doula significa que eles não terão de se envolver no parto, mas elas estão lá para dar apoio para a família toda, não só a mãe.

"Abrimos espaço para o parceiro se envolver", diz Temke. "Há essa ideia errada de que todo parceiro deveria saber como reagir na hora do parto, mas isso não é verdade. Quando há uma ligação emocional com a pessoa dando à luz, é difícil ver a pessoa amada passando por aquilo."

A doulas também não tomam decisões em nome da mãe.

"Nosso papel é garantir que você se sinta empoderada para tomar suas próprias decisões, o que é essencial", afirma Temke

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.