NOTÍCIAS
27/06/2018 17:48 -03 | Atualizado 27/06/2018 18:39 -03

Thiago Silva: Nada melhor do que 4 anos para dar a volta por cima

Zagueiro se recusou a bater pênalti contra o Chile e chorou em 2014, mas hoje foi um dos heróis da classificação.

Montagem sobre fotos Getty Images
Thiago Silva chorando em 2014 e vibrando 4 anos depois: volta por cima de um dos melhores zagueiros do mundo.

A Fifa elegeu o meio-campista Paulinho como o melhor homem em campo na vitória por 2 a 0 da Seleção Brasileira sobre a Sérvia, mas ninguém deixou o campo de alma mais lavada do que o zagueiro Thiago Silva após a classificação para as oitavas de final da Copa da Rússia.

Além de marcar o segundo gol brasileiro — o primeiro foi marcado justamente por Paulinho —, o defensor mostrou que, no futebol, nada melhor do que um dia após o outro... Ou, no caso dele, uma Copa após a outra.

Thiago Silva não esteve em campo na fatídica e inesquecível derrota por 7 a 1 para a Alemanha nas semifinais do último Mundial, mas uma cena não saiu da cabeça dos torcedores e, por pouco, não encerrou de forma precoce a carreira do defensor com a camisa verde-amarela.

O choro de Thiago Silva...

Depois de empatar com o Chile por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação em jogo válido pelas oitavas de final de 2014, a Seleção decidiria a vaga na cobrança de pênaltis. Thiago Silva, abalado emocionalmente, chorou antes das cobranças, talvez temendo uma eliminação, e pediu ao técnico Luiz Felipe Scolari para não ser um dos batedores.

Classificada após converter 3 cobranças contra duas dos chilenos, a Seleção teve que ver o zagueiro explicar o motivo das lágrimas, e a resposta foi a mais simples possível: "Sou assim".

A transformação do zagueiro

Quatro anos depois, para sorte da torcida brasileira, Thiago Silva "não é mais assim". O camisa 2 ganhou a posição de Marquinhos surpreendentemente antes dos dois amistosos finais para a Copa — contra Sérvia e Hungria —, foi bem e hoje é um dos destaques do time.

Após uma partida brilhante contra a Sérvia, mostrou que o choro (pelo menos o de tristeza) ficou no passado.

"Tiramos muitas coisas positivas [da vitória sobre a Sérvia]. Do primeiro jogo até aqui estivemos determinados e, apesar dos momentos em que tivemos dificuldades, como hoje, o mais importante é que soubemos sofrer, como o Tite diz", analisou.

"Isso é Copa do Mundo. Do outro lado também tem qualidade. Temos que saber sofrer. Nesses momentos em que sofremos pressão, continuamos concentrados e pudemos superar o time adversário", emendou o valente defensor.


Assista ao editor do Yahoo! Sports, Fernando Olivieri, direto da Rússia: