NOTÍCIAS
22/06/2018 19:26 -03 | Atualizado 22/06/2018 20:05 -03

Lula comentarista da Copa: Do convite à legalidade das colunas na TV

Ex-presidente envia comentários por escrito ao programa do jornalista José Trajano, na TVT.

O então presidente Lula toca vuvuzela durante a Copa do Mundo de 2010.
Ricardo Stuckert/PR/Reuters
O então presidente Lula toca vuvuzela durante a Copa do Mundo de 2010.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso, é o mais novo comentarista da Copa da Rússia. Convidado pelo amigo e jornalista José Trajano a enviar suas análises a respeito dos jogos para o programa Papo com Zé Trajano, da TVT, Lula aceitou.

"Eu podia receber era um 'não', mas ganhei um 'sim'. Porque ele me conhece, então tem confiança em mim. E gosta de futebol, já conversamos muito sobre futebol, é corintiano fanático. Então deu certo", disse Trajano ao HuffPost Brasil.

"O mundo inteiro falou sobre o Lula comentarista. Dei entrevistas para veículos da França, da Inglaterra, da Alemanha", contou Trajano.

Se quisermos ser campeões do mundo, temos que apresentar um futebol superior ao que mostramos nesses primeiros jogos.Lula, em comentário sobre a vitória do Brasil contra a Costa Rica, nesta sexta-feira (22).

Lula está preso na carceragem da Polícia Federal em Curitiba em uma cela especial, com TV. De lá ele escreve suas impressões sobre os jogos em uma carta, que depois é repassada por familiares ou advogados à assessoria de comunicação de Trajano.

Reprodução/TVT

Os comentários são exibidos em texto e lidos por um locutor do programa, que durante a Copa vai ao ar das 18h às 19h, de segunda a sexta-feira, no canal da TVT na internet. A TVT é mantida pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região.

Nesta sexta-feira (22) foi ao ar a segunda coluna de Lula, na qual o petista teceu comentários a respeito da vitória sofrida da Seleção Brasileira sobre a Costa Rica.

"Temos de reconhecer que o Brasil outra vez não jogou bem, e o [técnico] Tite sabe disso. Não jogou bem porque o adversário não deixou, e será assim em todos os jogos. Por isso o jogo coletivo e a criatividade de nossos jogadores têm de prevalecer", escreveu o ex-presidente.

"Se quisermos ser campeões do mundo, temos que apresentar um futebol superior ao que mostramos nesses primeiros jogos. A responsabilidade é grande, e a emoção também", continuou.

Lula também comentou o choro que Neymar soltou após marcar seu primeiro gol nesta Copa.

"A cena do Neymar chorando é a demonstração do estado psicológico de um jogador que carrega nas costas a responsabilidade de ser o melhor do time. Não pode continuar assim."

Reprodução/TVT

Em sua primeira coluna, exibida no programa da última segunda-feira (18), Lula comentou o empate do Brasil na estreia contra a Suíça e questionou a arbitragem.

"A culpa pode ser do momento psicológico da estreia, pode ser da falta não marcada no Miranda no lance do gol da Suíça, pode ser do pênalti não marcado no Gabriel Jesus", escreveu.

Lula, porém, não se limitou a comentar o jogo do Brasil: ele alfinetou a Alemanha, derrotada na estreia contra o México, e fez um elogio ao craque de Portugal. "A Alemanha não é invencível e, entre os maiores craques, só o Cristiano Ronaldo fez por merecer. O resto é conversa para mesa de bar."

E pode isso?

Sim, pode. De acordo com o advogado Roberto Baptista Dias da Silva, presidente da comissão de Direito Constitucional da OAB-SP (Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo), o ex-presidente tem o direito de se manifestar a respeito de qualquer assunto.

"Ele está privado da liberdade, mas não está privado de outros direitos, inclusive o direito à liberdade de expressão", disse Silva ao HuffPost Brasil.

"Ele pode falar sobre qualquer assunto. Até mesmo de política, claro. Não há restrição. A Constituição garante a liberdade de manifestação do pensamento."

Lula está preso desde 7 de abril na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, onde cumpre pena de 12 anos e 1 mês por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex de Guarujá (SP). O ex-presidente nega que tenha recebido o imóvel como propina e se diz preso político.