NOTÍCIAS
17/06/2018 19:15 -03 | Atualizado 17/06/2018 19:15 -03

Maldição das campeãs e estreia brasileira: Os resultados do domingo na Copa da Rússia

Alemanha perdeu para o México e manteve sina das três últimas vencedoras de Mundiais.

Torcedor da Alemanha já está preocupado: será que a 'maldição das campeãs' vai atacar em 2018?
Carl Recine / Reuters
Torcedor da Alemanha já está preocupado: será que a 'maldição das campeãs' vai atacar em 2018?

O domingo de Copa da Russia não terminou da forma como o torcedor da Seleção Brasileira esperava, mas o inesperado empate por 1 a 1 com a Suíça, em Rostov, não foi o resultado mais surpreendente do dia.

A grande zebra da atual edição do Mundial aconteceu no duelo que teve início ao meio-dia. Atual campeã mundial, a Alemanha entrou em campo como franca favorita diante do México, mas abusou do direito de perder gols e, em um contra-ataque, acabou perdendo o jogo: 1 a 0.

O tropeço acende o alerta para uma sina que vem acontecendo nas últimas edições de Copas, e que já foi batizada de 'maldição das campeãs'.

A maldição

Campeã do mundo em 2006, na Alemanha, a Itália foi para a Copa da África do Sul, 4 anos mais tarde, com status de favorita. Com uma campanha abaixo da crítica, no entanto, a Azzurra deu adeus ao torneio logo após a primeira fase — sem vencer um jogo sequer.

Os italianos estrearam na competição empatando por 1 a 1 com o Paraguai, dia 14 de junho, e repetiram o placar diante da fraca Nova Zelândia, 6 dias depois. Na terceira partida do grupo, precisavam vencer a Eslováquia para ter chance de classificação, mas perderam por 3 a 2 e se despediram de forma melancólica da África do Sul.

A 'maldição de campeão' fez nova vítima no Mundial disputado no Brasil. E com requintes de crueldade. Campeã na África do Sul pela primeira vez em sua história, a Espanha chegou para 2014 com pose de favorita, mas caiu do cavalo – ou melhor, do touro – já na primeira fase.

A estreia foi diante da Holanda, em uma reedição da final da Copa de 2010, mas que terminou com um resultado completamente diferente: 5 a 1 para os vice-campeões mundiais, com direito a olé para cima dos espanhóis.

A eliminação veio de forma antecipada já na segunda rodada, com nova derrota espanhola, desta vez para o Chile: 2 a 0, em jogo disputado no Maracanã. Na despedida, Xavi, Iniesta e companhia venceram a Austrália por 3 a 0 na Arena da Baixada, em Curitiba, mas de nada adiantou.

Seleção Brasileira sofre

Fechando o dia, o jogo mais esperado. A Seleção Brasileira, que vinha empolgando a torcida, até começou bem o jogo contra a Suíça e abriu o placar com um golaço de Philippe Coutinho.

Erros de arbitragem, no entanto, prejudicaram o time, que acabou levando o empate em um gol irregular e ainda teve um pênalti ignorado pela arbitragem.

O técnico Tite bateu forte no árbitro Cesar Ramos, mexicano que prejudicou o Brasil.

"Eu gostaria de receber pergunta com cunho de performance e desempenho, senão fica com conotação de desculpa porque empatou o jogo. O lance do Miranda é muito claro. Muito limpo, mas não estou aqui justificando o resultado. É muito claro. Não é pouco. É muito. O do pênalti pode ser colocado como questão de interpretação".

Sérvia lidera

O empate do Brasil deixou a Sérvia como líder do Grupo E da Copa. No segundo jogo do dia, os europeus bateram a Costa Rica por 1 a 0, com um golaço de falta, e pularam para três pontos na classificação.

Na próxima rodada, o Brasil enfrentará a Costa Rica, enquanto os sérvios disputarão acirrado duelo contra a Suíça.