COMIDA
15/06/2018 11:10 -03 | Atualizado 15/06/2018 11:12 -03

‘Sério, estou feliz o tempo todo’: Conheça o homem que trabalha provando queijos

Que trabalho delicioso.

Amantes de queijo, preparem-se para explodir de inveja. Ned Palmer é um fornecedor de queijos freelancer que vive de consumir quantidades industriais de queijo e vinho.

Palmer, 45, é dono da The Cheese Tasting Company, empresa que promove degustações de queijos e workshops harmonização de queijos com vinhos ou cervejas artesanais para eventos corporativos e grupos privados.

Ele tem um dos empregos mais desejáveis do planeta, então conversamos com Palmer para saber como é um de seus dias típicos, além de descobrir como você pode se tornar um especialista em queijos profissional.

David Parry Photography
Ned Palmer

Como é seu trabalho?

Acordo todo os dias às 7h e trabalho numa mesa no meu quarto. Checo meus emails e respondo tudo o que for urgente. De manhã faço a parte mais complicada do trabalho e tudo o que envolve prazos e orçamentos, emissão de notas e atualização do site.

À tarde vou comprar os queijos para as degustações ou para experimentar queijos (em geral no Borough Market ou algumas lojas especializadas) e vinhos ou cervejas (vou à Laithwaites, no Borough Market, para os vinhos mais convencionais ou a Aubert and Mascoli para meus clientes mais ousados). Tento marcar as reuniões com clientes para o fim do dia.

Se estou fora fazendo queijos, acordo por volta das 5h. Fazer queijo inclui misturar a cultura num galão deleite, separar o coalho, virar os queijos em maturação e lavar os racks e o equipamento. Tem muita coisa para lavar. Se tiver tempo, vou dar um alô para os animais. Trabalhando com queijo, acho que nunca tive um dia de menos de 12 horas.

Há quanto tempo você trabalha com isso e como entrou para essa área?

Comecei a The Cheese Tasting Company em 2014, mas faço degustações há mais de dez anos. Entrei nesse mundo em 2000, quando comecei a ajudar meu amigo Todd Trethowan a vender seu Gorwydd Caerphilly no Borough Market. Ele achou que eu pararia de aporrinhá-lo com minhas perguntas sobre queijo se me arrumasse um emprego na Neal's Yard Dairy, uma das grandes lojas de queijo do país. Trabalhei no balcão e no armazém, cuidando dos queijos.

Depois de seis anos, decidi abrir meu próprio negócio. Trabalho menos horas e nem sempre tenho de acordar muito cedo; e provar queijos, vinhos e cervejas é parte do meu trabalho.

Qual é a melhor parte do trabalho?

Hum. Tudo? OK, três coisas. Primeiro, ficar a par do que está acontecendo no mundo dos queijos. Visito os produtores e faço queijo com eles sempre que possível. É divertido.

Segundo, em toda degustação há um momento em que alguém experimenta pela primeira vez um queijo artesanal da melhor qualidade. Ver a expressão de maravilhamento e alegria na cara das pessoas não tem preço.

Por último, nunca enjoo de comer queijo. Posso passar o dia experimentando queijos no Borough Market, volto para casa com vários e como com minha mulher. Curto tanto quanto na primeira vez que os provei. Estou feliz o tempo todo, é sério.

Qual é a parte mais desafiadora?

De certo modo, toda degustação é um trabalho novo e um desafio novo – anos atrás preparei uma para um grupo de dez pessoas em um barco minúsculo num canal; no ano passado, preparei uma degustação para 400 pessoas no salão principal do Inner Temple. Cada degustação tem de parecer tão nova e empolgante como a primeira que fiz. Apesar de fazer esse trabalho há anos, ainda fico nervoso antes de cada degustação. É uma performance.

Você equilibra bem a vida pessoal e profissional? Como são os horários?

Não há muita distinção entre vida profissional e pessoal. Posso passar a maior parte do dia comprando os queijos e vinhos, o que significa ver todos os meus amigos que vendem esses produtos. Aí preparo a degustação, que vai até umas 21h ou 22h, o que significa comer queijo, tomar vinho e falar de queijo. Então posso dizer que trabalho umas 12 horas num dia desses, mas não parece trabalho.

Qual é o salário típico dessa profissão?

Não acho que haja muita gente fazendo o mesmo que eu, ou pelo menos ainda não os conheci. Estou OK em termos financeiros.

Como as pessoas reagem quando descobrem o que você faz?

Um misto de incompreensão e riso. E aí muita empolgação quando descobrem que faço queijos, ou com a possibilidade iminente de comer queijo.

Quantas pessoas fazem um trabalho parecido no Reino Unido?

Gostaria de pensar que sou único. Conheço algumas pessoas que fazem degustações como parte de outras empresas, como Neal's Yard ou La Fromagerie, mas até onde eu sei sou o único freelancer de queijos do mundo, o que é legal.

*Esse artigo foi publicado originalmente em inglês no HuffPost UK.