NOTÍCIAS
17/06/2018 10:04 -03 | Atualizado 17/06/2018 10:04 -03

Os craques do hexa: Os 7 jogadores que podem trazer a taça para o Brasil

"Quarteto mágico" terá 3 bons coadjuvantes ajudando na dura missão de levar o Mundial.

Neymar treina ao lado dos colegas da Seleção na véspera da estreia contra a Suíça.
Buda Mendes via Getty Images
Neymar treina ao lado dos colegas da Seleção na véspera da estreia contra a Suíça.

A Seleção Brasileira entra em campo neste domingo (17), na Arena Rostov, diante da Suíça, para tentar a primeira vitória e ficar mais perto do sonho de conquistar o hexa na Copa da Rússia.

O torcedor que acompanha o futebol de perto regularmente sabe, na ponta da língua, quem são os craques do time comandado por Tite que podem desequilibrar um jogo a favor do Brasil. Para quem não é muito ligado no esporte, mas gosta de se juntar à massa quando tem Copa, a gente dá uma forcinha.

Separamos pelo menos 7 nomes entre os 23 convocados pelo treinador gaúcho para a Seleção que podem ser decisivos na busca pela sexta estrela na camisa.

Os primeiros da lista, como não poderia deixar de ser, são os integrantes da nova edição do "Quarteto Mágico", que já caiu nas graças do torcedor e também do técnico Tite, antes receoso de escalar os talentosos atletas desde o início dos jogos.

Willian, o menos badalado dos 4, foi considerado pelos próprios atletas do Chelsea como o melhor jogador do time no último Campeonato Inglês. Criado no Corinthians e com passagem de destaque pelo Shakhtar Donetsk-UCR, o jogador tem potencial para ser protagonista e alia habilidade, velocidade e excelência nas bolas paradas.

Philippe Coutinho é o segundo vértice do quadrado e, assim como Willian, se destacou no futebol inglês, mas com a camisa do Liverpool. Contratado por mais de 100 milhões de euros pelo Barcelona, começou bem sua história no clube catalão. É outro jogador bastante perigoso nas bolas paradas e nos arremates de média distância, especialmente quando pega a bola na esquerda e corta para o lado oposto antes de chutar com a perna direita e MUITO efeito.

Dupla afiada formada por Neymar e Gabriel Jesus

Para dar prosseguimento ao quadrado vamos citar, de uma vez, as duas principais esperanças de todo torcedor brasileiro para ver a Copa terminar com a Seleção dando a volta olímpica: Neymare Gabriel Jesus.

Yves Herman / Reuters
Neymar e Gabriel Jesus: Dupla é principal esperança do torcedor de ver a sexta estrela chegar.

O camisa 10 canarinho passou mais de 60 dias parado em recuperação de uma cirurgia no pé direito, voltou nos dois amistosos finais e marcou dois golaços, provando que a torcida, realmente, "pode sonhar" com a taça.

Gabriel Jesus, o camisa 9 da Seleção, é o artilheiro do time desde que Tite assumiu o comando, fez ótima temporada pelo Manchester City-ING, conquistou o título inglês e provou que a camisa verde e amarela não "pesa" em seu corpo. É candidato a ser destaque e artilheiro da Copa.

Há vida fora do quarteto...

Se os 4 jogadores citados acima são craques inquestionáveis, fora do quarteto também há vida na Seleção Brasileira... E muito talento.

Pelo menos outros 3 atletas do time titular têm poder de decisão e lutam pelo posto de herói do hexacampeonato.

Hannah Mckay / Reuters
Casemiro (de costas) e Marcelo: Coadjuvantes que têm brilho próprio e poder de decisão na Seleção.

Na defesa, esse homem é o lateral-esquerdo Marcelo. Titular do Real Madrid há 11 anos e figura de confiança de Tite, é letal em seu apoio ao ataque e ainda costuma marcar seus golzinhos quando a bola afastada pela defesa fica "de bobeira" na entrada da área.

A dupla responsável pela marcação aos adversários no meio-campo fecha a lista de "coadjuvantes" de luxo da Seleção.

Casemiro, que saiu do São Paulo pela porta dos fundos para atuar no time B do Real Madrid, foi alçado ao time principal dos merengues pelo ex-técnico Zinedine Zidane e, desde então, não parou mais de crescer. Se firmou no time espanhol, ganhou vaga na Seleção e é considerado peça fundamental no esquema de Tite.

Paulinho, revelado pelo Bragantino, ídolo no Corinthians e com passagem relâmpago pelo futebol chinês, é o sétimo jogador com status de craque e poder de decisão em território russo.

O jogador, que na Seleção Brasileira sempre se portou bem, mesmo quando estava "escondido" no futebol chinês, chegou ao Barcelona sob a desconfiança da torcida, mas conquistou seu espaço e é, com justiça, um dos homens em que Tite deposita maior confiança.

AFP/Getty Images
Jogadores da Seleção treinam um dia antes de entrarem em campo para a estreia contra a Suíça.

E aí: alguma outra seleção entre as 32 participantes da Copa da Rússia tem tantos talentos assim capazes de decidir uma partida? Resta ver se eles corresponderão em campo. Torcida para isso, certamente, não vai faltar.