ENTRETENIMENTO
07/06/2018 15:36 -03 | Atualizado 07/06/2018 16:57 -03

Uma seleção de 76 contos de Machado de Assis acaba de ser lançada nos EUA

De acordo com o The New York Times, edição oferece "ponto de vista diferente e valioso" sobre autor “insistentemente inclassificável”.

Reprodução/Biblioteca Nacional
Machado de Assis: neto mestiço de escravos libertos e gênio da literatura brasileira.

A obra de Machado de Assis - um dos maiores nomes da literatura brasileira - poderá conquistar novos fãs nos EUA a partir deste mês de junho.

Isso porque acaba de ser lançado no país um volume com 76 contos do escritor responsável por romances clássicos como Dom Casmurro e Memórias Póstumas de Brás Cubas.

The Collected Stories of Machado de Assis chega às livrarias pela editora Liveright, com tradução assinada por Margaret Jull Costa e Robin Patterson e prefácio do crítico Michael Wood.

Em resenha sobre a edição no jornal The New York Times, a crítica Parul Sehgal chama Machado de "insistentemente inclassificável" e descreve alguns episódios da vida do autor que podem explicar as origens da literatura a que os norte-americanos terão novo acesso.

Divulgação
Capa do 'The Collected Stories of Machado de Assis'.

Neto mestiço de escravos libertos, Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 1839 e não gozou de educação formal. Na juventude, trabalhou como aprendiz de impressor e estudou de forma autodidata. Posteriormente, passou a escrever pequenos romances sobre as mulheres da elite da época.

"Mas em 1879 seu estilo mudou - ou melhor, floresceu. Uma doença crônica (ele sofria de epilepsia) e a quase perda da visão despertaram sua atenção", escreve Parul.

"O suave romântico se transformou em um irônico doente, cujas intromissões autorais, cortes secos e pequenas subversões influenciaram experimentalistas americanos como John Barth e Donald Berthelme", acrescenta.

Machado de Assis morreu em 1908, aos 69 anos, em decorrência de uma úlcera cancerosa na língua. Deixou uma obra plural composta de romances, contos, peças teatrais, poemas e centenas de crônicas.

"Para Stefan Zweig, Machado de Assis era a resposta brasileira a Charles Dickens. Para Allen Ginsberg, ele era um outro Franz Kafka. Harold Bloom chamou-o de descendente de Laurence Sterne, e Philip Roth o comparou a Samuel Beckett."

Segundo Parul, a obra de Machado de Assis não é contemplada em toda a sua extensão e profundidade em The Collected Stories of Machado de Assis. No entanto, o volume oferece "um ponto de vista diferente e valioso - especialmente para os leitores que gostam de estar atentos à vida e à arte".

Photo gallery
5 novos livros para pensar sobre as condições do negro no Brasil
See Gallery