ENTRETENIMENTO
07/06/2018 19:16 -03 | Atualizado 07/06/2018 19:43 -03

'Oito Mulheres e Um Segredo': A tradição de filmes sobre grandes roubos está em novas mãos

Versão feminina de clássico de Hollywood estreou nesta quinta-feira (7) nos cinemas.

Divulgação
Sandra Bullock interpreta líder de criminosas cheias de requinte em longa dirigido por Gary Ross ('Jogos Vorazes').

Oito Mulheres e Um Segredo estreou nesta quinta-feira (7) nos cinemas com uma constelação de superestrelas: Sandra Bullock, Cate Blanchett, Rihanna, Anne Hathaway, Bonham Carter, Sarah Paulson, Mindy Kaling e Awkwafina. Trata-se da versão feminina do famoso filme de roubo encabeçado originalmente por Frank Sinatra em 1960 e que, posteriormente, ganhou três adaptações dirigidas por Steven Soderbergh e estreladas pelos astros George Clooney e Brad Pitt.

Na nova trama dirigida por Gary Ross (Jogos Vorazes), Bullock interpreta Debbie Ocean, irmã do personagem de Clooney – que não aparece na produção. Depois de cinco anos na prisão, ela passa arquitetar o roubo de um colar de diamantes avaliado em US$ 150 milhões durante o jantar do Baile de Gala do Met (Museu Metropolitano de Arte de Nova York), evento anual que reúne em Nova York as maiores celebridades e fashionistas da América.

Divulgação
'Oito Mulheres e Um Segredo' foi anunciado como um spin-off. Ou seja, é uma história paralela e correlacionada à trama original.

Para executar o arriscado roubo, Debbie reativa contatos e forma uma grupo criminoso composto só por mulheres. Além do objetivo em comum, todas elas exalam glamour e elegância. "Tudo está nos detalhes, e essas mulheres têm um tremendo senso de estilo. Tentamos criar uma experiência suntuosa. A Dolce & Gabbana fez mais de cem figurinos para a gente, e foi uma vantagem mesmo trabalhar com grandes estilistas e poder rodar num lugar como esse", disse o diretor do filme à Folha de São Paulo.

Conhecida mistura de ação, comédia e suspense, Oito Mulheres e Um Segredo é também fruto do levante feminista que tomou a indústria do entretenimento nos últimos anos e responde com a mesma moeda a tradição hollywoodiana de produções sobre grandes crimes feitas com elenco exclusivamente masculino.

Divulgação
George Clooney e Steven Soderbergh são produtores de 'Oito Mulheres e Um Segredo'.

Para além da bem demarcada presença de mulheres, o filme também responde às exigências por maior diversidade racial na tela. No grupo de criminosas cheias de requinte há uma estrela negra (Rihanna), uma de ascendência indiana (Mindy Kaling) e outra de ascendência asiática (Awkwafina). "Estamos celebrando as diferenças entre essas celebridades, não seus pontos comuns", afirmou Gary Ross.

Divulgação
'Oiro Mulheres e Um Segredo' custou oficialmente 70 milhões de dólares.

Mas nem tudo é perfeito.

Enquanto planeja o grande roubo com suas parcerias, a personagem de Bullock também alimenta o desejo de vingança contra Claude (Richard Armitage), um ex-amante que deixou seu coração em pedaços. "É um enchimento narrativo desnecessário. Pior, dilui a pureza do trabalho das mulheres, sua missão na tela, por assim dizer", escreveu Manohla Dargis em crítica no The New York Times.

Tal questão, entretanto, parece não derrubar por completo a narrativa - principalmente para aqueles que priorizam a sensação de prazer em duas horas numa sala de cinema. "Assim como os filmes anteriores, este concorda com a doutrina da série de que o furto é o passatempo favorito da América", afirma Dargis.

Já sabemos o que isso significa, correto? Então boa sessão.

Assista ao trailer de Oito Mulheres e Um Segredo:

Photo gallery
25 filmes para relembrar a infância de quem viveu nos anos 1990
See Gallery