COMPORTAMENTO
06/06/2018 16:16 -03 | Atualizado 06/06/2018 16:23 -03

Este projeto transformou a pia em um espaço de escuta

"Percebemos que cada vez menos temos disponibilidade de ouvir o outro."

 O projeto ter.a.pia é uma websérie cujo objetivo fundamental é contar e ouvir histórias.
Divulgação
O projeto ter.a.pia é uma websérie cujo objetivo fundamental é contar e ouvir histórias.

No que você pensa enquanto lava as louças?

O questionamento pode até parecer uma piada, mas para os comunicólogos Lucas Galdino e Alexandre Simone foi o gancho perfeito para construir um espaço de escuta e diálogo em meio à rotina.

A dupla é idealizadora do projeto ter.a.pia, websérie cujo objetivo fundamental é contar e ouvir histórias.

"A gente sempre conversou enquanto estávamos lavando louça ou cozinhando. É um momento que você consegue focar numa conversa e, muitas vezes, a pia se torna uma espécie de divã. Ao mesmo tempo, percebemos que cada vez menos temos disponibilidade de ouvir o outro. Seja um conhecido ou uma pessoa distante. Foi aí que surgiu a ideia do projeto", conta Galdino em entrevista ao HuffPost Brasil.

Semanalmente, a dupla edita e divulga no Facebook e Youtube os resultados das últimas conversas. Ao todo, 7 "sessões", como são chamados os episódios, já foram publicados nas redes sociais.

Os primeiros vídeos começaram compartilhando histórias de amigos próximos da dupla. Ao longo do processo, porém, as histórias foram além: eles já abordaram temas como bissexualidade, maternidade, racismo, luta contra câncer, empreendedorismo feminino, adoção de pets e espiritualidade.

A dificuldade em estar disponível para o outro

Na correria da rotina, é comum nos fecharmos em nossa individualidade e, mesmo nos encontros, seja numa mesa de bar ou em um jantar mais íntimo, é comum que as conversas não extrapolem temas superficiais.

Para Galdino, assusta o fato de que as pessoas estão cada vez mais distantes de histórias diferentes das suas.

"A gente gosta de ouvir histórias dos outros, mas a gente não tem essa prática. Muitas vezes você é próximo da pessoa e não sabe nada sobre sua intimidade", compartilha o jornalista.

A dupla recorda de uma sessão em que a personagem relatou que havia sido vítima de uma violência médica ao verbalizar a história diante da pia cheia de louças, por exemplo.

"Minha prima participou de uma sessão do ter.a.pia, e só na gravação descobri que ela sofreu um abuso psicológico de um médico no dia em que ela deu à luz para suas filhas gêmeas. Há algo de errado aí - e não é só por parte do médico que a atendeu - por que eu não sabia disso?", relata Alexandre Simone.

Para o jornalista, o projeto tem sido um teste de como as pessoas "querem falar e compartilhar".

"Não temos a intenção de que uma cozinha se torne um consultório de análise terapêutica, por exemplo. Mas às vezes você está cercado de amigos e não se sente a vontade de compartilhar. No noss caso, a pia se tornou um espaço de escuta. Apesar da mediação da camera, a personagem sabe que tem pessoas ali que estão dispostas a ouvir a sua historia."