NOTÍCIAS
05/06/2018 17:20 -03 | Atualizado 05/06/2018 17:40 -03

Como foi a 1ª aparição pública de Lula após a prisão

Por videoconferência, ex-presidente prestou depoimento sobre suposta compra de votos para a vitória do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016.

'Quando eu fizer um comício, vou chamar o senhor para participar', disse um bem-humorado Lula ao juiz Marcelo Bretas.
Reprodução
'Quando eu fizer um comício, vou chamar o senhor para participar', disse um bem-humorado Lula ao juiz Marcelo Bretas.

Após 2 meses de prisão na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mostrou bom humor nesta terça-feira (5) durante depoimento por videoconferência ao juiz Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

Lula falou como testemunha de defesa do ex-governador do RJ Sérgio Cabral (MDB), réu em ação referente à Operação Unfair Play, desdobramento da Lava Jato que investiga suposta compra de votos para a escolha do Rio de Janeiro como sede da Olimpíada de 2016.

A disputa ocorreu em 2009, no segundo mandato de Lula. O ex-presidente negou "negociata" ou "trapaça" para a vitória do Rio.

Usando uma gravata nas cores verde, amarela e azul, o petista brincou quando viu sua imagem no vídeo, pouco antes do início da audiência. "Estou bonito, hein", disse. "Essa é a gravata da conquista da Olimpíada", completou.

Bretas avisou, no início do depoimento, que Lula deveria se limitar a responder o que lhe fosse questionado, não podendo usar o espaço para fazer discurso político ou se defender. Se isso acontecesse, avisou o magistrado, o ex-presidente seria interrompido.

Foi o que aconteceu quando Lula disse estar "cansado de mentiras".

"O meu compromisso é com a verdade. Não acredito que hoje no Brasil tenha um brasileiro que anda em busca da verdade mais do que eu. Estou cansado de mentiras. Quero a verdade", disse o petista, antes de ser interrompido.

Condenado a 12 anos e 1 mês de prisão no caso do triplex em Guarujá (SP), Lula começou a cumprir a pena no último dia 7 de abril. O petista nega ter recebido o imóvel como propina da empreiteira OAS e afirma que é inocente.

Ao final do depoimento, Bretas elogiou a "postura" de Lula e contou uma história pessoal.

"É relevante a sua história para todos nós, para mim, inclusive, que aos 18, 17 anos estava aqui em um comício na [avenida] Presidente Vargas, com 1 milhão de pessoas, vivíamos um momento diferente no País e eu estava lá, usando boné e camiseta com o seu nome", disse o juiz.

"Pode voltar agora", rebateu Lula, arrancado gargalhadas dos presentes. "Quando eu fizer um comício agora eu vou chamar o senhor para participar", completou o ex-presidente, provocando mais risos.

Unfair Play

Questionado sobre a vitória do Rio como sede da Olimpíada 2016, Lula contou ter participado de encontros com chefes de Estado para "pedir votos", mas negou "trapaça".

"Alguém que fala que foi uma trapaça é porque não entende nada de nada e não viveu o que nós vivemos", disse Lula. "Poucas vezes vi o País unido como em torno da Olimpíada."

A compra de votos, diz a investigação, se daria por meio do pagamento de propina a integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI).

"Lamento que venha uma denúncia de corrupção de compra de delegado 8 anos depois. Não sei quem fez a denúncia, não quero saber", completou Lula, antes de dizer que o Brasil vive um "momento de denuncismo".