NOTÍCIAS
28/05/2018 16:23 -03 | Atualizado 28/05/2018 16:34 -03

O encontro e a conversa do astro Danny Glover com moradores da Rocinha

Embaixador da ONU, ator ouviu depoimentos de residentes da maior favela do Brasil.

Programação de Glover na Rocinha foi alterada por conta de episódio de violência neste domingo (27).
Leah Millis / Reuters
Programação de Glover na Rocinha foi alterada por conta de episódio de violência neste domingo (27).

A favela da Rocinha recebeu a visita de Danny Glover neste domingo (27). Aos 71 anos, o ator norte-americano e também embaixador da ONU para os direitos humanos e questões raciais se reuniu com moradores e ouviu depoimentos sobre a rotina de violência em que vive a maior favela do Brasil.

O objetivo de Glover é tornar pública tanto a situação da comunidade como os depoimentos relacionados a violações dos direitos humanos a partir intervenção federal na segurança do Rio, iniciada em fevereiro deste ano.

Horas antes da chegada do ator, um tiroteio deixou um jovem morto e três pessoas feridas, incluindo um policial da Unidade de Polícia Pacificadora da região. Por conta do ocorrido, Glover não pode circular pelas ruas da Rocinha nem conhecer a sede dos Associações de Moradores da Rocinha (um dos grupo presentes no encontro), criado após a intervenção no Rio.

"É de partir o coração a morte de um jovem e de qualquer ser humano. Por isso, eu sabia que eu tinha que vir aqui hoje, apesar do tiroteio. Eu tinha que estar aqui hoje para estar com as pessoas, para ouvir suas histórias e a expressão de suas dores", disse o ator ao site Brasil de Fato.

Em um espaço improvisado ao lado da passarela que dá acesso à Rocinha, o ator assistiu à peça Brasil, Um Campo de Concentração, da companhia Bando Cultural Favelados, que relaciona a violência policial no dia a dia do Rio com o período sombrio da ditadura militar.

Durante a visita, Glover também explicou seu ponto de vista sobre o cenário global, citando a multiplicação de armas que matam inocentes e o modelo econômico que acentua a pobreza ao redor do mundo.

"Os que estão lá embaixo estão cada vez mais pobres e os que estão no alto cada vez mais ricos. O Brasil é a sexta maior economia do mundo, mas tem uma população marginalizada comparada a toda a riqueza que tem. É esse o modelo que nós queremos para as comunidades e para o mundo?", questionou.

O vereador do Rio, Tarcísio Motta (PSOL) compartilhou em seu perfil no Twitter algumas imagens da passagem de Glover.

De acordo com o jornal Extra, Glover pediu para conhecer os projetos do estado na área social. Alguns secretários foram foram chamados para apresentar pessoalmente as iniciativas. Estavam na reunião representantes do RioSolidário e das pastas de Educação, Cultura e Desenvolvimento Social.