NOTÍCIAS
28/05/2018 17:31 -03 | Atualizado 28/05/2018 20:20 -03

10 aeroportos do País estão sem combustível, diz Infraero

Atrasos e cancelamentos atingem diversas cidades. Passageiro deve verificar situação do voo antes de seguir para o aeroporto.

Ueslei Marcelino/Reuters
Avião é abastecido em Brasília, na última sexta-feira (25). Aeroporto do DF recebeu 1,3 milhão de litros de querosene nesta segunda-feira, mas ainda opera com restrição.

Dos 54 aeroportos administrados pela Infraero no País, 10 estão sem querosene de aviação nesta segunda-feira (28), comforme balanço divulgado pela estatal e atualizado às 18h15.

São eles: Aracaju (SE); Campina Grande (PB); Foz do Iguaçu (PR); Juazeiro do Norte (CE); Palmas (TO); Pampulha (MG); Paulo Afonso (BA); São José dos Campos (SP); Teresina (PI); e Uberlândia (MG).

Os aeroportos estão abertos e têm condições de receber pousos e decolagens, mas as aeronaves que chegam só podem decolar se tiverem combustível suficiente para o voo seguinte.

O desabastecimento afeta aeroportos de todo o País. Dos 961 voos programados até as 17h nas unidades administradas pela Infraero, 57 foram cancelados (5,9%) e outros 93 estavam atrasados (9,6%).

A estatal afirma que está em contato com os órgãos públicos "para garantir a chegada dos caminhões com combustível de aviação aos aeroportos administrados pela empresa".

O problema ocorre por conta da greve dos caminhoneiros, que chega a seu 8º dia de protestos e estradas bloqueadas, apesar das tentativas do governo de encerrar o movimento.

O aeroporto de Brasília, administrado pela Inframerica, recebeu 1,3 milhão de litros de querosene na tarde desta segunda. Transportado por 25 caminhões-tanque, o combustível foi escoltado desde Betim (MG) por forças federais. A empresa afirma que, até as 14h30, 9 voos tinham sido cancelados.

Já o aeroporto de Belo Horizonte, sob comando da BH Airport, teve 13 voos cancelados até as 16h desta segunda. O aeroporto de Guarulhos, também administrado pela iniciativa privada (GRU Airport), é abastecido por dutos ligados diretamente às refinarias e não foi afetado pela paralisação dos caminhoneiros, mas registrou 9 cancelamentos até as 16h.

Voos cancelados

Passageiros com viagens marcadas devem procurar as companhias aéreas para consultar a situação de seus voos antes de seguirem para os aeroportos.

A Latam, que teve 25 voos cancelados somente nesta segunda-feira (28), afirma que "não está medindo esforços para mitigar os impactos aos passageiros".

A Avianca informa que 4 de seus voos foram cancelados nesta segunda. De acordo com a empresa, os consumidores afetados podem remarcar suas viagens sem a cobrança de taxas e diferenças tarifárias até o dia 5 de junho.

A Gol informa que teve 11 voos cancelados entre sexta (25) e domingo (27) e que os passageiros prejudicados serão isentos da cobrança de taxas de remarcação. A companhia afirma, ainda, que esses clientes podem solicitar o reembolso integral dos valores pagos.

A Azul afirma que oferece remarcação gratuita para voos até o dia 4 de junho e que aqueles que optarem pelo cancelamento serão isentos de taxas.

Contatos

Latam: www.latam.com

Avianca: 4004-4040; www.avianca.com.br

Gol: 0300 115 2121 e 0800 704 0465; www.voegol.com.br.

Azul: 4003-1118 e 0800 887 1118; www.voeazul.com.br.