NOTÍCIAS
27/05/2018 21:43 -03 | Atualizado 27/05/2018 23:15 -03

Governo tenta novo acordo para acabar com greve dos caminhoneiros e vai reduzir 46 centavos no litro do diesel por 2 meses

Michel Temer fez pronunciamento em rede nacional na noite deste domingo (27).

Rodolfo Buhrer / Reuters
Caminhoneiros em greve bloqueiam refinaria em Araucária, no Paraná.

O presidente Michel Temer fez pronunciamento na noite deste domingo (27) sobre a greve dos caminhoneiros, que pode chegar ao 8º dia nesta segunda-feira (28). As 5 medidas anunciadas por Temer visam a atender à maior parte das demandas dos grevistas e acabar com o movimento que está paralisando diversos setores do Brasil.

O impacto das 5 medidas para os cofres do governo é de R$ 10 bilhões, de acordo com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun.

"Os efeitos dessa paralisação na vida de cada cidadão me dispensam de citar a importância da nobre missão de cada trabalhador do setor de cargas", afirmou o presidente, em uma nova tentativa de agradar à categoria.

O emedebista disse que sempre esteve aberto ao diálogo, tanto que já havia feito outro acordo com representantes dos caminhoneiros, que não surtiu o efeito desejado.

A seguir, estão as principais medidas anunciadas por Temer:

- Redução de 46 centavos no preço do litro de diesel por 60 dias

Essa queda no preço corresponde à soma de PIS/Cofins e da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) zeradas pelo governo.

"O governo está assumindo sacrifícios no orçamento e naturalmente honrará essa diferença de custo, sem prejuízos para a Petrobras", afirmou Temer.

O desembolso será do Tesouro Nacional.

- Após esses 2 meses, o reajuste do diesel será mensal

Nos últimos meses, os reajustes chegavam a ser diários devido à política de preços da Petrobras, atrelada à cotação do barril de petróleo no mercado externo — em dólar. Como os aumentos passarão a ser mensais, será possível garantir previsibilidade das empresas de carga e dos motoristas autônomos, afirmou Temer.

- Isenção do eixo suspenso nos pedágios de rodovias federais, estaduais e municipais

Essa 1ª medida provisória se refere à circulação de caminhões que não transportam carga total. Eles ficarão isentos de pedágio em todas as estradas brasileiras.

- Tabela mínima de frete

Essa 2ª medida provisória estabelecerá uma política de preços mínimos do transporte rodoviário de cargas.

- Garantia a autônomos de 30% dos fretes da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)

A 3ª medida provisória anunciada pelo presidente reserva aos autônomos um percentual expressivo da Conab.

Temer ressaltou que não haverá reoneração da folha do setor de transporte de cargas.

Ueslei Marcelino / Reuters
Michel Temer faz pronunciamento sobre greve dos caminhoneiros.

Greve dos caminhoneiros pode chegar ao fim

O Palácio do Planalto recebeu os caminhoneiros autônomos neste domingo (27). Ao atender a reivindicação da categoria, com as medidas anunciadas nesta noite, o governo Temer espera que a greve seja encerrada nesta segunda-feira (28).

Os caminhoneiros cruzaram os braços desde a última segunda (21) por conta dos sucessivos aumentos no preço do diesel. Os efeitos da paralisação foram sentidos em aeroportos, postos de gasolina, hospitais, restaurantes e supermercados.

O governo tentou acordo com a categoria na quinta-feira (24), mas a greve continuou.

A hipótese de locaute, quando a greve é iniciada pelo empregador, está sendo investigada pela Polícia Federal. O locaute é ilegal. Entretanto, neste domingo, o ministro Carlos Marun reconheceu que o movimento teve origem orgânica com os autônomos.

No sábado (26), o governo anunciou que iria aplicar multa de R$ 100 mil a empresas de transporte por hora parada dos caminhoneiros.

O governo paulista diz que os bloqueios nas estradas já caíram 80%.