NOTÍCIAS
27/05/2018 14:21 -03 | Atualizado 27/05/2018 14:22 -03

Como denunciar preços abusivos nos postos de gasolina durante greve dos caminhoneiros

Agência Nacional do Petróleo intensifica fiscalizações em postos de combustível.

Reprodução/Twitter
Aproveitando-se da greve dos caminhoneiros, dono de posto de gasolina em Águas Claras, próximo a Brasília, cobrou preço abusivo.

Os motoristas enfrentam longa filas nos postos de combustível em todo o Brasil e até escassez de gasolina devido à greve dos caminhoneiros, em seu 7º dia neste domingo (27). Preços abusivos nas bombas também são comuns, com donos de estabelecimentos se aproveitando do momento de vulnerabilidade para o consumidor.

A ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) intensificou sua fiscalização nos últimos dias para reprimir a cobrança abusiva nos postos. Em parceria com órgãos de defesa do consumidor, a agência inspeciona locais suspeitos de abuso de preço.

O Procon-PE lacrou um posto de gasolina no Recife que chegou a cobrar R$ 8,99 pelo litro da gasolina na quinta-feira (24). O dono do posto foi autuado e terá que pagar multa de R$ 500 mil.

Outros 4 postos acusados de cobrar preço exorbitante na região metropolitana de Recife também foram autuados e multados. Em São Paulo, um posto foi interditado no bairro Bela Vista por vender etanol com adição irregular de metanol, um produto tóxico.

O consumidor que identificar valores abusivos do litro de combustíveis deve entrar em contato com a ANP e informar o endereço do posto. Os canais de denúncia são: o Fale Conosco do site e o disque-atendimento. O telefone é: 0800-970-0267.

A ANP ressalta que não interfere na liberdade do mercado e os preços são livres, mas suas ações visam a "proteger o consumidor".

Greve dos caminhoneiros por preço do diesel

Os caminhoneiros cruzaram os braços desde segunda-feira (21) por conta dos sucessivos aumentos no preço do diesel. Os efeitos foram sentidos em aeroportos, postos de gasolina, hospitais, restaurantes e supermercados.

O governo tentou acordo com a categoria, mas a paralisação prosseguiu pelo País.

A hipótese de locaute, quando a greve é iniciada pelo empregador, está sendo investigada pela Polícia Federal. O locaute é ilegal.

Neste sábado (26), o governo anunciou que vai aplicar multa de R$ 100 mil a empresas de transporte por hora parada dos caminhoneiros.

O governo paulista diz que os bloqueios nas estradas já caíram 80%.