ENTRETENIMENTO
17/05/2018 14:44 -03 | Atualizado 17/05/2018 14:46 -03

A Marvel mentiu para nós sobre 'Vingadores: Guerra Infinita'

Criadores de 'Guerra Infinita' prometeram ‘capítulo final’ e ‘mortes permanentes’, mas não é isso o que acontece.

A Marvel mentiu para nós.
Divulgação
A Marvel mentiu para nós.

Aviso! Se você não quiser saber quem morre em Vingadores: Guerra Infinita, não continue lendo. Você foi avisado.

O que. Acabou. De acontecer?

Para os fãs do Universo Marvel, morte nunca significou realmente morte. Nós já vimos Loki 'morrer' e voltar à vida um monte de vezes. Bucky Burnes e Nick Fury foram dados como mortos em várias ocasiões, somente para também serem trazidos de volta à existência no Universo Cinematográfico Marvel.

Mas, desta vez, deveria ser diferente.

No lançamento de Vingadores: Guerra Infinita, os diretores trataram o filme como um 'capítulo final'. Kevin Feige, chefe da Marvel, falou sobre as mortes do filme serem 'reais' desta vez. Em uma entrevista no dia 22 de abril, véspera da estreia, pedi aos roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely para que definissem a morte nesse recente projeto.

"Morte é morte", disse McFeely. "Quero dizer, somos sensíveis a isso, e o universo Marvel brinca com isso de tirar alguns personagens de cena e depois coloca-los de volta para o público de uma outra forma. Se dermos adeus a alguns personagens, daremos de forma permanente".

Ele continuou: "A ideia é que esse filme seja diferente e tenha potencial para ser muito bom porque os riscos são reais, as escolhas são reais e sabemos que a gente já fez muito alarde sobre isso antes, então acredito que parte da audiência também esteja um pouco cética quanto a isso, mas confiem em nós".

Entenderam? "Permanente", ele disse. "Pode confiar", ele disse.

Então eu me assustei no cinema quando alguns personagens viraram pó. Loki, já nos primeiros minutos do filme (Você está de brincadeira comigo?), Gamora, lá pela metade da trama (Como assim?). Isso é, até o finzinho, quando o Homem-Aranha, um dos maiores guardiões da galáxia, e o Pantera Negra – sim, até T'Challa – viraram cinzas em um estalar de dedos de Thanos, mostrando, então, que tudo o que Marvel falou não passou de uma grande bobagem.

Pois, como meu colega Matt Jacobs destacou, esses personagens voltarão à vida.

Novos filmes já estão sendo produzidos para o Homem-Aranha, Guardiões da Galáxia e Pantera Negra. Por acaso o terceiro filme dos Guardiões terá como tema a vida do Rocket como um guaxinim na Terra? O Homem-Aranha 2 focará apenas em Ned tentando juntar as peças da Estrela da Morte de lego que ele quebrou?

Tudo isso soa fascinante, mas eu duvido muito que aconteça. Esses personagens serão ressuscitados, de uma forma ou de outra. Os criadores brincaram com a morte deles, insinuando que elas poderiam significar algo quando, na verdade, não irão. Ou não poderão. Os recém-falecidos são obrigados por contrato a voltarem à vida.

Busquei uma nova resposta de Markus e de McFeely para esclarecer a declaração anterior deles, mas não tive resposta até a tarde de segunda-feira.

Posso até ver o estúdio divulgando releases para a imprensa com infomações de que as sequências dos filmes estão temporariamente suspensas...Ou algo assim. Mas isso não vai mudar nada.

Guerra Infinita foi anunciado como o filme que explicaria tudo o que os 18 anteriores do Universo Marvel construíram. Nesse ponto, ele não nos desapontou, mas falemos a verdade: A Marvel mentiu para nós.

Marvel and Disney
Captain America can't believe he was fooled by Marvel.

Talves deveríamos ter previsto isso. Afinal de contas, Desafio Infinito (Infinit Gaunlet), história em quadrinhos em que o filme foi amplamente baseado, tem como tema Thanos matando um monte de gente antes dos personagens acabarem simplesmente...Revertendo tudo. Mas, com todo o papo de 'mortes permanentes' e 'riscos reais', foi fácil se deixar levar pela suposta tragédia.

Agora, nós ficamos imaginando: Os escritores foram sinceros sobre alguma coisa na véspera da estreia? Bom, talvez. Antes mesmo de eu saber o fim de Guerra Infinita, perguntei a eles: "Qualquer que seja o fim do Capitão América, qual foi o motivo disso?".

Markus me disse que era uma questão de "preencher o destino" do garoto do Brooklyn que nós conhecemos na década de 1940.

"Quer dizer, apenas continuar colocando aquele cara, Steve Rogers, o asmático-seja-lá-qual-doença-tinha-naquele-momento nas situações mais inacreditáveis... E levando isso ao limite", afirmou.

Isso é o que Guerra Infinita alcança: deixa o Capitão América preparado (e os outros Vingadores que sobraram no fim do filme, ou seja, os atores que estão com contrato para acabar) para um conflito final contra Thanos para salvar o universo e reverter tudo no fim do próximo filme.

O que isso envolve ninguém sabe. Andy McDonald, do HuffPost, deu a ideia de que o Capitão poderia ser o cara do Desafio Infinito no próximo filme. Eu acho isso uma boa.

É que, após a promessa de 'riscos reais', eu prefiro que não me entreguem mais mortes falsas e salvamentos nos últimos minutos, que vão me deixar mais uma vez imaginando "o que aconteceu?"

Esse texto foi originalmente publicado em inglês no HuffPost US.

Photo gallery 11 filmes indispensáveis sobre Jornalismo See Gallery