NOTÍCIAS
12/05/2018 15:00 -03 | Atualizado 12/05/2018 15:00 -03

O relógio ‘zerou’: Hamburgo é rebaixado pela 1ª vez na Alemanha

Mostrador digital do estádio apontava, com orgulho, os mais de 54 anos em que time ficou na elite do futebol. Até hoje.

Reprodução/Twitter
Relógio zerado (acima) após a queda consolidada. Abaixo, tempo em que o clube permaneceu na elite do futebol alemão.

O Hamburgo, um dos clubes mais tradicionais do Campeonato Alemão, escreveu o capítulo mais triste de sua história no futebol neste sábado (12), ao ser rebaixado para a Segunda Divisão nacional pela primeira vez.

Morris MacMatzen / Reuters
Torcida do Hamburgo disparou sinalizadores em direção ao gramado. Felizmente, ninguém se machucou.

O clube em que joga o meio-campista brasileiro Walace, ex-Grêmio, e que foi campeão olímpico com a Seleção Brasileira nos Jogos do Rio em 2016, ostentava em um mostrador digital no estádio o número de anos em que a equipe disputava a Bundesliga (Primeira Divisão do Campeonato Alemão): 54 anos.

A queda consolidada neste sábado, apesar da vitória por 2 a 1 sobre o Borussia Mönchengladbach, fez o relógio, símbolo da força da equipe, vice-campeã mundial em 1983, ser imediatamente zerado ao fim da partida.

Reprodução/Twitter
Relógio zerado e queda consumada: Hamburgo foi rebaixado pela primeira vez na história.

O até então inédito vexame revoltou os torcedores, que não se conformaram com o rebaixamento e passaram a atirar sinalizadores em direção ao campo.

Hamburgo não é o único

Clubes tradicionais de outras ligas fortes pelo mundo, como a Italiana e a Brasileira, já passaram pelo mesmo drama do alemão Hamburgo.

Envolvida em escândalos de manipulação de resultados, a Juventus, hoje supercampeã na Itália, disputou a Segunda Divisão em 2006. No Brasil, Palmeiras, Corinthians, Grêmio, Internacional, Vasco, Botafogo e Fluminense, entre outros campeões, também já experimentaram o amargo gosto da Série B.