NOTÍCIAS
11/05/2018 10:24 -03 | Atualizado 12/05/2018 08:14 -03

Marcelo é arma 'secreta' da Seleção na luta pelo hexa

Lateral-esquerdo é titular do Real Madrid há 11 anos e unanimidade entre os torcedores.

Marcelo é válvula de escape importante para a Seleção quando os craques estão marcados.
EMPICS Sport
Marcelo é válvula de escape importante para a Seleção quando os craques estão marcados.

Neymar, Gabriel Jesus, Willian e Philippe Coutinho são os jogadores mais talentosos da Seleção Brasileira e, certamente, sofrerão marcação cerrada dos marcadores na Copa da Rússia. Por conta desse cenário, um outro jogador terá papel fundamental na luta pelo hexa: Marcelo.

Lateral-esquerdo titular do Real Madrid desde 2007, mesmo ano em que estreou na Seleção Brasileira principal, Marcelo cresceu, amadureceu e, neste sábado (12), dia em que completa 30 anos, pode ser apontado como importante válvula de escape para Tite quando os craques do time estiverem bem marcados. Palavra do próprio Tite.

"Na fase de transição ofensiva o Marcelo é impressionante. Ele se ajusta defensivamente quando é cobrado, principalmente com um sistema que potencialize as peças, e isto é desafio do treinador", analisou, pouco depois de assumir o comando da Seleção, já ciente do que poderia esperar de seu lateral-esquerdo.

Acostumado a trabalhar com técnicos consagrados na Europa, como José Mourinho, Carlo Ancelotti e Zinedine Zidane, Marcelo, que já passou pelas mãos de Dunga e Felipão na Seleção Brasileira, e disputou a Copa do Mundo de 2014, retribuiu os elogios a Tite.

"O melhor futebol dá para ver perfeitamente é o da Europa. Os melhores campeonatos do mundo estão lá. Dá para aprender muita coisa e o Tite tem um pouco desse estilo, mas com a manha brasileira. Com a palavra dele, fica melhor".

Números na carreira

Além do inegável talento que mostra em campo, Marcelo tem nos números de sua carreira mais um argumento que solidifica a confiança de Tite e da maioria da torcida brasileira em seu futebol.

Revelado nas categorias de base do Fluminense, ficou somente dois anos no clube carioca antes de ser negociado com o Real Madrid, clube pelo qual já disputou 448 partidas e marcou 34 gols.

O bom desempenho no clube espanhol rendeu elogios de seu antecessor – Roberto Carlos (a quem também substituiu na Seleção). Logo em sua chegada ao Real, Marcelo foi recepcionado como 'herdeiro' do camisa 3. "Eu era mais potência e chute. Ele é tecnicamente melhor do que eu", disse.

Reprodução/Pinterest
Marcelo chegou ao Real Madrid a tempo de aprender com Roberto Carlos.

A relação de amor com a Seleção Brasileira também é antiga. Marcelo defende as cores verde e amarela desde 2005, quando foi convocado para a sub-17. Jogou ainda na sub-20 e na sub-23 antes de chegar à principal, pela qual já tem 52 partidas e seis gols marcados.

O único momento turbulento vivido pelo lateral foi durante a passagem do técnico Mano Menezes. Na ocasião, o jogador alegou estar contundido para pedir sua liberação de um amistoso contra a Escócia, mas o treinador descobriu, por um descuido de Marcelo, que a contusão teria sido supostamente forjada.

O mal-estar contou até com a participação do próprio Real Madrid, que emitiu nota oficial saindo em defesa do jogador, que por conta do desentendimento com Mano Menezes ficou de fora da relação de convocados para a Copa América de 2011.