NOTÍCIAS
09/05/2018 13:01 -03 | Atualizado 09/05/2018 13:06 -03

Universidades brasileiras caem no ranking do Times Higher Education

Para organizadores do ranking, as instituições brasileiras caíram por causa da turbulência econômica e política no país. Veja o ranking.

Pelo segundo ano consecutivo, a USP está fora da lista das 10 melhores.
Divulgação
Pelo segundo ano consecutivo, a USP está fora da lista das 10 melhores.

As universidades brasileiras caíram no ranking do Times Higher Education, que reúne as melhores instituições entre 42 países emergentes de 4 continentes.

A Universidade de São Paulo caiu uma posição, está no 14º lugar, o mais baixo da série histórica. Pelo segundo ano consecutivo, a USP está fora da lista das 10 melhores.

Apesar do resultado negativo, o número de instituições brasileiras que aparecem entre as melhores foi de 25 para 32, com a expansão da amostra de 300 para 350 universidade. Com isso, o Brasil manteve o status de terceiro país mais representado na tabela.

Crise financeira

Para a THE, "quase todas as instituições classificadas caíram na tabela, principalmente devido à turbulência econômica e política no país".

A THE ressalta que, apesar de todos os países classificados na América Latina terem aumentado sua representação geral na tabela, e algumas universidades alcançando ganhos importantes, a tendência é de declínio em toda a região desde o ano passado.

"É decepcionante que, apesar de vermos instâncias de progresso, o quadro geral dos sistemas de ensino superior da América Latina está em declínio. Em primeiro lugar, os países da região precisam fazer mais para fortalecer as perspectivas internacionais de suas universidades", diz Phil Baty, diretor editorial de Rankings Globais para a THE.

UERJ

Mesmo em crise profunda, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) aparece entre as 350 melhores instituições, mas registrou queda de mais de 50 degraus. Estava entre as 201 e 250 melhores e passou a ser classificada entre as 301 e 350.

A lista é dominada por universidades chinesas, com aumento na representação de 52 para 63 instituições de 2017 para este ano. Em segundo lugar, aparece Taiwan. A novidade deste ano ficou por conta do ingresso de Argentina, Bangladesh e Peru na lista.

Aqui as instituições brasileiras que aparecem no ranking.

Classificação:

14 - Universidade de São Paulo (USP)

33 - Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

61 - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)

92 - Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

98 - Universidade Federal de Itajubá

131 - Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

150 - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

153 - Universidade Federal do ABC (UFABC)

162 - Universidade do Estadual Paulista (Unesp)

191 -Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS)

201- 250 - Universidade de Brasília (UnB)

201- 250 -Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

201- 250 -Universidade Federal de Santa Catarina

201- 250 - Universidade Federal de São Carlos

251- 300 - Universidade Federal do Ceará

251- 300 - Universidade Federal de Pernambuco

251- 300 - Universidade Federal de Viçosa

251- 300 - Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR)

251- 300 - Universidade Estadual de Ponta Grossa

301-350 - Universidade Federal de Goiás

301-350 - Universidade Federal de Labras

301-350 - Universidade Federal de Ouro Preto

301-350 - Universidade Federal de Pelotas

301-350 - Universidade Federal do Rio Grande do Norte

301-350 - Universidade Federal de Santa Maria

301-350 - Universidade Federal Fluminense

301-350 - Universidade Estadual de Londrina

301-350 - Universidade do Estado do Rio de Janeiro

301-350 - Universidade do Vale do Rio dos Sinos

351+ - Universidade Federal do Paraná

351+ - Universidade Estadual de Maringá

351+ - Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste)