COMPORTAMENTO
09/05/2018 11:14 -03 | Atualizado 09/05/2018 16:04 -03

O que pensam as pessoas com ansiedade social quando vão a festas

“Começo a suar, fico com taquicardia, tenho vontade de sair correndo.”

Eva Hill
As pessoas com ansiedade social podem também apresentar outros transtornos associados, como depressão ou ansiedade geral.

O transtorno de ansiedade social, ou fobia social, é uma doença mental pouco compreendida que afeta 15 milhões de americanos. Quem sofre dessa condição pode sentir medo extremo de ser julgado por outros, o que pode lhe provocar ansiedade excessiva quando é necessário falar em público ou participar de eventos.

As pessoas com ansiedade social podem também apresentar outros transtornos associados, como depressão ou ansiedade geral. A ansiedade social pode ser confundida com timidez extrema ou introversão. Acredita-se que 1/3 das pessoas com ansiedade social passam 10 anos ou mais sem ser diagnosticadas.

O transtorno pode fazer a participação em ocasiões comuns parecer uma tarefa insuperável. Assistir a uma aula ou ir a uma festa pode provocar náusea, tontura e falta de ar.

Para ter uma visão melhor de como as pessoas com o transtorno se saem em encontros sociais, o HuffPost pediu a leitores que já tiveram ansiedade social que compartilhassem suas vivências.

O transtorno afeta cada indivíduo de maneira diferente, mas constatamos algumas semelhanças nas reações. Várias pessoas disseram que se estressam com um evento antes de ir; outras disseram que é difícil ou exaustivo bater papo casualmente com outros. E algumas pessoas disseram que têm medo de decepcionar ou desagradar a seus amigos se saírem mais cedo ou não comparecerem.

A seguir, algumas das respostas que recebemos:

Não sou mal-educado

"Vai pegar mal se eu pedir licença e for embora agora? Só quero ir para casa e relaxar. Isto daqui é exaustivo, é demais para mim." ―Lisi Xiao via Facebook

"Jogar conversa fora em festas é uma tortura para mim. Sei que as pessoas devem me achar antipática, mas não é que eu não goste delas, é apenas que não sei falar de trivialidades." ―Doris Altman Shibe via Facebook

"Será que já passei tempo suficiente aqui para poder me desculpar e ir embora sem parecer mal-educada?" ―Kate Egglestone via Facebook

"Geralmente não me divirto em nenhum encontro social grande, mas às vezes me obrigo a ir para agradar às pessoas que eu amo. O que eu queria que outros convidados soubessem? Que meu desconforto ou minha vontade de ir embora ou de não comparecer não tem nada a ver com eles nem com o afeto que sinto por eles. É apenas que eu prefiro passar tempo só com uma pessoa de cada vez, ou um grupinho pequeno." ―Vicki Kosey via Facebook

Não sei o que falar

"Para mim, ir a uma festa é super estressante. Não consigo pensar. Não consigo conversar com ninguém, a não ser sobre bobagens. Me sinto pressionada a falar alguma coisa, aí penso demais antes de abrir a boca e acabo ou não falando nada ou falando a coisa errada. Começo a transpirar, fico com taquicardia, tenho vontade de sair correndo." ―Amanda Lint via Facebook

"Pessoas que já estão no local, batendo papo e criando um engarrafamento na sala, isso é meu pesadelo. Simplesmente não ponho o pé no lugar. Nunca aprendi como me inserir numa conversa." ―Nancy Grant via Facebook

"Tendo a me embananar muito com as palavras quando estou falando com uma pessoa nova, ou seja, que não conheço. Não faz diferença qual seja o assunto. Ou eu entendo errado o que a pessoa disse, ou dou uma resposta que não faz o menor sentido. A pessoa nova: 'Como vai?' E eu: 'Sim, está um calorão lá fora, não?'. Pessoa nova: 🤔" ―Heather Rudow via Facebook

Tenho medo de ser julgado

"Às vezes sinto vontade mesmo de estar num grupo com outras pessoas, mas morro de medo de ser entediante. Sempre acho que estão me julgando, porque eu sou a pessoa esquisita que está enfiada num canto (para que fique claro, não sou uma aranha)." ―Laure Marrot via Facebook

"Sorria, sorria, sorria. Converse com outras pessoas. Sobre trivialidades (aargh). Não seja esquisita. Não beba demais para disfarçar o fato de que ninguém está falando com você e você está nervosa. *Cansaço enorme.*" ―Tania Walton via Facebook

"Me sinto como se estivesse constantemente tentando me orientar num campo minado, fazendo força para dar respostas apropriadas numa conversa, para não falar alguma idiotice, tentando transmitir as coisas com a mesma clareza que elas têm na minha cabeça. Eu preferiria ficar só observando, mas é estranho ficar sentado, observando e ouvindo sem participar. É exaustivo. E há o replay mental mais tarde, quando repasso tudo na cabeça, analisando tintim por tintim cada coisa que falei e as reações provocadas, sutis ou não, tentando dissecar tudo para descobrir se ofendi algum ou se passei vergonha sem querer. Um inferno." ―Jordie Nichols via Facebook

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.

12 cartões hilários e honestos que resumem o que é viver com ansiedade