COMIDA
07/05/2018 17:11 -03 | Atualizado 07/05/2018 17:11 -03

Você é o que come: O que os menus dos casamentos reais nos dizem sobre a monarquia

‘É uma espécie de ritual com significado profundo.’

"Frango à princesa Diana", "Suprême de Saumon Rainha Mary" e um acompanhamento de língua com áspide e "Bombe Glacée Princesa Elizabeth". Batizados com o nome do noivo e da noiva e frequentemente em francês, os cardápios dos casamentos reais nunca foram sutis.

Mas a comida escolhida pelo casal real é mais que uma refeição – os menus são uma declaração em código cuidadosamente escolhida para indicar o estado da Grã-Bretanha e a posição da monarquia na sociedade, diz a antropóloga de comida Kaori O'Connor, do University College London.

"Não é coisa de foodie, você está comendo a Inglaterra. Todos os cafés da manhã dos casamentos reais são simbólicos. É uma espécie de ritual com significado profundo."

Print Collector via Getty Images
Elizabeth Bowes-Lyon and Prince Albert (centre) on their wedding day, with their parents the Earl and Countess of Strathmore (left) and King George VI and Queen Mary

Elizabeth Bowes-Lyon e o príncipe Albert (centro) no dia do casamento, com seus pais, o duque e a condessa de Strathmor (à esq.) e o rei George VI e a rainha Mary.

Quando o príncipe Albert se casou com Elizabeth Bowes-Lyon, em 1923, não havia nenhuma indicação de que ele viria a se tornar o rei George VI, depois da abdicação de seu irmão.

Mas, apesar do fato de não ser o herdeiro do trono, não se pouparam recursos para seu casamento – algo que é demonstrado pelo café da manhã dos noivos.

Príncipe Albert e Elizabeth Bowes-Lyon, 1923

Menu

Consommé à la Windsor / Sopa Windsor

***

Sûpreme de Saumon, Reine Mary / Supremo de salmão rainha Mary

***

Colettes d'Agneau Prince Albert / Costeletas de cordeiro príncipe Albert

***

Chapons à la Strathmore / Frango à Strathmore

***

Jambon et Langue découpe à l'Aspic / Presunto e língua na áspide

Salade Royale / Salada real

***

Asperges, sauce Crème Mousseuse / Aspargos em molho cremoso de mousse

***

Fraises, Duchesse Elizabeth / Morangos duquesa Elizabeth

Paniers de Friandises / Cesta de doces

***

Sobremesa

***

Café

Um banquete de nove pratos de carne e peixe, o cardápio extravagante reflete o que a população britânica esperava de sua monarquia na época, diz Kaori O'Connor.

"Em 1923, o crash e a depressão econômica por vir ainda estavam num futuro distante", explica ela.

"O público teria esperado um belo show no casamento, seguido por um banquete luxuoso – qualquer coisa menos que isso teria sido uma decepção."

PA Wire/PA Images
Princess Elizabeth and Philip Mountbatten leaving Westminster Abbey following their wedding ceremony in 1947

A princesa Elizabeth e Philip Mountbatten saem da Abadia de Westminster depois da cerimônia de casamento, em 1947.

Mas, quando a princesa Elizabeth, na época com 21 anos, casou com Philip Mountbatten, em 1947, os dias dos casamentos reais extravagantes tinham passado faz tempo.

Em um país devastado pela Segunda Guerra e em que o racionamento de comida era parte da vida cotidiana, Elizabeth teria decepcionado o país com um banquete majestoso, diz a historiadora de comida Annie Gray, apresentadora do programa da BBC "Victorian Bakers".

Princesa Elizabeth e Philip Mountbatten, 1947

Menu

Fillet de Sole Mountbatten / Filé de linguado Mountbatte

***

Perdreau em Casserole / Caçarola de perdiz

Haricots Verts / Vagem

Pommes Noisette / Batatas noisette

Salade Royale / Salada real

***

Bombe Glacée Princesse Elizabeth / Bomba de sorvete princesa Elizabeth

Friandises / Doces

***

Sobremesa

***

Café

Em vez disso, o Palácio de Buckingham serviu um almoço contido de cinco pratos, explica Gray, "um cardápio montado com inteligência", que aderia às regras estritas do Ministério da Comida "ao mesmo tempo ignorando que essas restrições não se aplicavam à família real".

A rainha e o príncipe Philip comemoram bodas de platina na próxima semana. Tenho as receitas originais para recriar o cardápio.

Diferentemente da imensa maioria de seus súditos, a família real ainda tinha fazendas e hortas próprias, então não sofriam com limitações em termos de carnes, frutas ou vegetais.

Mas ele ainda tinham de demonstrar aderência às normas.

"Eles foram muito inteligentes em servir perdiz porque, sendo uma ave de caça, ela não estava sujeita ao racionamento e poderia ser obtida com facilidade nas propriedades de caça de Balmoral."

Enquanto isso, o bolo de casamento – com quatro andares e três metros – foi apelidado de "bolo das 10 000 milhas", pois, como ainda havia racionamento de frutas secas, açúcar e manteiga, muitos ingredientes foram doados pelas Australian Girl Guides.

Keystone-France via Getty Images
Princess Diana and Prince Charles wave to the crowd from the balcony of Buckingham Palace on their wedding day in 1981

Princesa Diana e príncipe Charles acenam para a multidão da sacada do Palácio de Buckingham, no dia do casamento, em 1981.

A austeridade era só uma lembrança distante quando o príncipe Charles pediu Lady Diana Spencer em casamento.

A celebração foi rapidamente batizada de "casamento do século". Mais de 3 500 convidados lotaram a Catedral de St. Paul para acompanhar o "casal de conto de fadas" contrair núpcias.

O casamento do herdeiro do trono foi celebrado pela família real com um banquete de quatro pratos, e a anfitriã foi a rainha.

Príncipe Charles e Lady Diana Spencer, 1981

Menu

Quenelles de Barbue Cardinal / Quenelle de rodovalho ao molho de lagosta

***

Supreme de Volaille Princesse de Gales / Supremo de frango princesa de Gales (peito de frango recheado com mousse de cordeiro)

Fèves ao Beurre / Feijão na manteiga

Maïs à la crème / Creme de milho

Pommes Nouvelles / Batatas novas

***

Salade / Salada

***

Fraises / Morangos

Crème Caillée / Creme coagulado

Para a historiadora de comida e escritora Angela Clutton, o menu reflete a dicotomia do fato de eles serem um casal jovem – Diana tinha apenas 20 anos quando se casou – com a responsabilidade de herdar uma instituição histórica.

"É interessante como o menu manteve a tradição dos casamentos reais, escrito em francês e com pratos batizados em homenagem ao casal", diz ela ao HuffPost.

Pratos também homenagearam o casamento de George VI, uma tradição da realeza e da aristocracia britânicas.

"Nesse sentido, as escolhas do menu estão mais associadas às tradições reais que outros casamentos da época", afirma Clutton.

"Por outro lado, é um menu distintamente mais simples, com menos pratos do que em outras gerações. É certamente um sinal de uma abordagem mais moderna."

Tim Graham via Getty Images
Prince Charles and the Duchess of Cornwall pose for their official wedding photo in the White Drawing Room at Windsor Castle

O príncipe Charles e a duquesa da Cornualha posam para a foto oficial de casamento, no Palácio de Buckingham.

O casamento de Charles e Camilla Parker Bowles foi discreto, em comparação com outras bodas reais.

Uma cerimônia civil no Windsor Guildhall – da qual a rainha não participou – foi seguida por uma recepção no Castelo de Windsor. A celebração foi muito diferente do primeiro casamento de Charles, que teve audiência estimada em 750 milhões de pessoas no mundo inteiro.

O segundo casamento do herdeiro do trono dividiu a opinião pública.

O casal optou por uma cerimônia discreta – decisão refletida no menu do café da manhã.

Príncipe Charles e Camilla Parker Bowles, 2005.

Menu*

Sanduíches:

Ovos e agrião em pão integral

Salmão defumado em pão integral

Sanduíches abertos:

Veado assado com geleia de groselha de Balmoral

Rolinhos de camarão

Canapés quentes:

Mini bolinhos da Cornualha

Mini bolinhos vegetarianos

Vegetais grelhados e tortinha de parmesão

Docinhos:

Torta de banana e caramelo

Tortinha de morango

Fudge de mocha

Tortinhas de limão caramelado

Scones com creme coagulado da Cornualha e geleia de morango holandesa

Bolo de frutas

Minicones de sorvete

"Foi basicamente um evento com canapés e drinques", disse ao HuffPost Grant Harrold, ex-mordomo da família real e um dos convidados do casamento.

Em um rompimento com a tradição de um almoço servido à mesa no Palácio de Buckingham, o cardápio incluiu um bufê de sanduíches ingleses, scones e bolinhos da Cornualha.

"Foi uma atmosfera relaxada", continua Harrold.

"Foi incrível – num minuto você estava conversando com um membro da família real, no outro estava falando com uma celebridade. Foi extraordinário."

EMPICS Entertainment
Catherine Middleton and Prince William drive down the Mall in an open carriage on their way to Buckingham Palace after their wedding ceremony at Westminster Abbey

Catherine Middleton e o príncipe William desfilam em carruagem a caminho do Palácio de Buckingham, depois da cerimônia na Abadia de Westminster.

O casamento do príncipe William com Catherine Middleton, em 2011, representou o nascimento da família real moderna – e, com ela, menu também moderno.

Os comentaristas apontaram um "toque popular", como o da mãe de William, e afirmaram que o casal representa uma chance de a monarquia abandonar a imagem pública de uma instituição esnobe e distante do público.

Apesar da grandiosidade inegável da cerimônia na abadia de Westminster e da lista reluzente de convidados, o menu de cinco pratos foi contemporâneo – e escrito inteiramente em inglês.

Príncipe William e Catherine Middleton, 2011

Menu

Salmão de South Uist marinado, caranguejo de Lyme Bay e lagostas selvagens das Hebrides, salada de ervas frescas

***

Saddle of North Highland Mey

Cordeiro orgânico, vegetais de primavera de Highgrove, aspargos ingleses, batatas reais de Jersey, molho Windsor

***

Trio de sorvete de mel de Berkshire, trifle de sherry e parfait de chocolate

***

Café e chá de hortelã fresca

Escrever menus em francês é uma tradição real de longa data, que vem desde a conquista normanda do século 11, quando o francês tornou-se a língua formal da corte.

O inglês pode ter voltado a ser a língua formal, diz a antropóloga Kaori O'Connor, mas a cozinha francesa sempre foi considerada superior nos círculos aristocráticos.

"Se a rainha oferece um jantar no Palácio de Buckingham, o menu normalmente é em francês", explica o ex-mordomo Grant.

"Quando ela e o duque de Edimburgo ofereceram um jantar depois do casamento do príncipe e da princesa de Gales, foi ao estilo deles, em francês."

Notando a descrição detalhada da origem dos ingredientes, ele afirma: "Foi um menu moderno, promovendo o que há de melhor no país".

Príncipe Harry e Meghan Markle, 2018

A expectativa está aumentando em relação ao que será servido no casamento de Harry e Meghan Markle.

"Meghan é uma noiva real única", diz o comentarista Richard Fitzwilliam. "Ela é americana, divorciada, birracial, atriz e ativista."

PA Wire/PA Images
Prince Harry and American actress Meghan Markle are set to tie the knot in May
O príncipe Harry e sua noiva Meghan Markle, vão casar em maio.

Quinto na linha de sucessão, Harry e sua noiva provavelmente terão mais controle sobre a celebração do que William e Kate, afirma Fitzpatrick.

Isso deve se refletir no menu, afirma a acadêmica da UCL O'Connor.

"Meghan é uma personagem interessante", continua ela. "Sabe-se que ela tem opiniões sobre comida e gosta de comidas 'naturais'."

"Até que ponto isso vai aparecer no cardápio, não sei dizer. Mas certamente é de esperar que haja algum elemento americano, em homenagem a ela."

"Pode ser regional, uma comida favorita da família ou que tenha significado pessoal para os noivos."

Na semana passada, o Palácio de Kensington, residência oficial do casal real, disse à agência AFP que incentiva os convidados a levarem os próprios lanches, uma vez que serão servidas apenas comidas leves no evento. A ideia, segundo a agência, é recriar um ambiente "familiar."

*Segundo a BBC News.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost Australia e traduzido do inglês.