NOTÍCIAS
03/05/2018 19:32 -03 | Atualizado 25/05/2018 11:59 -03

Estes craques ficaram fora de Copas do Mundo

Não vai rolar para Gareth Bale, do Real Madrid, um dos atacantes mais caros da história.

Gareth Bale, do Real Madrid, é um dos jogadores mais caros do futebol mundial.
Juan Medina / Reuters
Gareth Bale, do Real Madrid, é um dos jogadores mais caros do futebol mundial.

Um dos assuntos mais comentados às vésperas do início da Copa do Mundo da Rússia diz respeito ao veterano atacante sueco Zlatan Ibrahimovic.

Aposentado de sua seleção há 3 anos, o jogador que hoje defende as cores do Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos, criou polêmica ao afirmar que, "se quisesse, jogaria" a Copa da Rússia — apesar de o treinador da equipe nacional dizer o contrário.

Ibra, no entanto, pode ficar tranquilo mesmo se não tiver a chance de mostrar seu talento nessa Copa, pois já defendeu a seleção escandinava em duas outras edições de Mundiais: 2002, na Ásia, e 2006, na Alemanha.

Muitos craques consagrados, no entanto, não tiveram (e não têm) a mesma sorte. É o caso do atacante Gareth Bale, do Real Madrid, um dos jogadores mais caros da História do futebol.

Nascido no País de Gales, Bale, por conta da fragilidade de sua seleção, jamais soube o que é disputar uma Copa do Mundo e provavelmente encerrará a carreira sem saber, já que nas últimas eliminatórias seu país terminou somente em terceiro lugar no Grupo D, atrás da Sérvia (classificada e no grupo do Brasil) e da Irlanda, que foi à repescagem, mas não chegou ao Mundial.

Divulgação
Giggs mantém vivo o sonho de chegar à Copa do Mundo, mas como treinador.

Também nascido em Gales, mas com quase toda a carreira dedicada ao Manchester United, da Inglaterra, o meio-campista Ryan Giggs é outro nome que integra a lista dos craques que nunca disputaram uma Copa. Hoje aposentado, Giggs quer realizar o sonho como treinador, já que atualmente comanda a seleção de seu país.

A fragilidade do time nacional também deixou de fora da história das Copas um jogador que já foi eleito o melhor do mundo pela Fifa – título que hoje se alterna nas mãos de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo desde 2008: George Weah.

Divulgação
Weah: melhor do mundo em 1995, mas fora da história das Copas do Mundo.

O atleta nasceu na Libéria, país africano de pouca tradição no futebol. Apesar dos inúmeros convites para se naturalizar francês, Weah permaneceu fiel às origens e, por conta disso, acabou abrindo mão do sonho de jogar uma Copa. Foi eleito melhor jogador do mundo em 1995, com a camisa do Milan, da Itália.

O finlandês Jari Litmanen sofreu do mesmo 'mal', por assim dizer, dos colegas de País de Gales e Libéria, e acabou não chegando a um Mundial não pelo seu talento, mas por não contar com uma seleção forte em seu país.

Destaque com as camisas de Ajax, da Holanda, Barcelona, da Espanha, e Liverpool, da Inglaterra, o ex-velocista jogou em alto nível até quase 40 anos, quando se aposentou. Mas sem passar nem perto de disputar uma Copa com sua seleção.

Encerrando a lista dos que não foram a uma Copa por conta de suas seleções está o maior – ou um dos maiores – jogadores britânicos da História: George Best. Chamado de 'quinto Beatle' por conta de seu talento acima da média, foi o principal jogador do Manchester United na década de 1960. Mesmo assim, não conseguiu disputar um Mundial com a Irlanda do Norte.

Craques fora em países com tradição na Copa

Na França, campeã mundial de 1998, o nome de peso que nunca disputou uma Copa com a camisa da seleção é o de Eric Cantona.

Reprodução/Instagram
Cantona se aposentou um ano antes de a França ser campeã do mundo.

O polêmico atacante foi o grande destaque do Manchester United na década de 1990, mas sua seleção falhou ao tentar classificação para os Mundiais de 90 e 94. Cantona pendurou as chuteiras em 1997, um ano antes de o time nacional sediar a competição e conquistar o primeiro título da história com uma vitória por 3 a 0 em cima da Seleção Brasileira.

A Argentina também está na lista e com um dos maiores craques da história do futebol mundial: Di Stefano. Maior jogador da história do Real Madrid antes de Cristiano Ronaldo, o argentino foi prejudicado pelo hiato que houve entre os torneios por conta da 2ª Guerra Mundial — não houve Copa em 1942 e 1946. Após ter se naturalizado espanhol, teve a chance de jogar o Mundial de 1962, mas se lesionou às vésperas da competição.

Não poderiam faltar representantes brasileiros na lista, não é mesmo? E dois deles têm características em comum: ambos vestiam a camisa 10 e defenderam as cores do Palmeiras: Alex (foto abaixo) e Djalminha.

Divulgação
Alex: amizade com Felipão e talento de sobra não foram suficientes para levá-lo à Copa de 2002.

O primeiro vivia grande fase em 2002 e poderia ter integrado a Seleção que conquistou o penta, mas foi preterido por Felipão, que apostou em Rivaldo, Kaká e Ronaldinho Gaúcho na ocasião. Djalminha foi um dos comandantes do Palmeiras na década de 1990 e cogitado para jogar as Copas de 1994 e 1998, mas seu histórico polêmico fora de campo enterrou o sonho de jogar um Mundial.