02/05/2018 00:00 -03 | Atualizado 02/05/2018 00:00 -03

Geni Santos: A 'barraqueira' que faz do Porto da Barra o seu verdadeiro lar

"Eu converso com gente de cabeças diferentes, de mundos diferentes. Eu acho que essa é a magia", conta dona de barraca no Porto da Barra, em Salvador.

Juh Almeida/Especial para o HuffPost Brasil
Geni Santos é a 56ª entrevistada do projeto "Todo Dia Delas", que celebra 365 Mulheres no HuffPost Brasil.

Todo santo dia, religiosamente, levanta às 6h, prepara o café da manhã, toma banho, põe o chapéu de palha na cabeça e passa muito filtro solar. Pega nos braços uma porção de cadeiras de praia e sombreiros e então está pronta para fazer a primeira "viagem" de sua casa, no Morro do Gavazza, até o lugar que chama de paraíso, sem saber o que esperar: "desço a ladeira de casa deixando tudo a Deus dará, só ele sabe o que vai rolar".

A menos de 500 metros de onde mora, está o seu verdadeiro lar: o Porto da Barra. A escada intermediária, localizada no "coração da praia", como gosta de classificar – "não é bem no meio, se você reparar, ela fica um pouquinho mais para o lado esquerdo" – é o ponto de Geni Santos desde 1999, quando montou o negócio em parceria com o marido Claudio, mais conhecido pelo apelido de "Paulista".

"É doido pensar que tudo na minha vida começou a se ajeitar com uma separação, mas foi assim".

Juh Almeida/Especial para o HuffPost Brasil
No encontro com o mar, Geni conhece "gente diferente", trabalha e consegue ver o "morrer-do-sol" mais lindo.

A pequena faixa de areia que se estende por uma das praias mais conhecidas da capital baiana não permite que nada muito elaborado lá seja instalado. Mas o isopor por ela administrado é o suficiente para demarcar o território e cativar a clientela que não admite sentar em outro lugar. Não tem jeito, ela é a maior e melhor barraqueira da orla.

Sim, é barraqueira mesmo. Mas calma lá. Talvez o significado não seja exatamente aquilo que você está pensando. Na Bahia a palavra é utilizada no sentido literal. Em sua barraca, Geni oferece água de coco gelada, bate-papo "até umas hora", dá aquela olhadinha na sua bolsa enquanto você dá um mergulho e ajuda, com um regador, a tirar o excesso de areia dos seus pés quando chega a hora de ir embora – com uma atenção tão particular para cada um de seus clientes que deixaria o Profeta Gentileza com inveja.

Quem vê a pele queimada de sol e a sabedoria com que explica a lógica das marés para que os banhistas saibam onde é o melhor ponto para estender a canga e se espreguiçar, nem imagina que ela na verdade veio de Serrinha, município de clima semiárido no nordeste da Bahia. O mar só passou a fazer parte de sua rotina aos sete anos, quando foi mandada para viver em Salvador, na casa de parentes, após o divórcio conturbado dos pais.

"E somos só nós dois contra o mundo desde então".

Juh Almeida/Especial para o HuffPost Brasil
Geni oferece água de coco gelada, dá aquela olhadinha na sua bolsa e muito bate-papo "até umas hora".

"É doido pensar que tudo na minha vida começou a se ajeitar com uma separação, mas foi assim", conta. Desde bem pequenininha, passava pela frente do Porto e achava "o lugar mais bonito do mundo". Mas foi somente no verão 1985 que tomou coragem de desbravar o terreno. Ao lado de uma amiga, desceu pela primeira vez os degraus que mudariam a sua vida para sempre – por mais piegas que isso possa ter soado, é a mais pura verdade.

"Quando eu tava subindo as escadas para ir embora, ouço alguém me perguntar: 'ô, morena, vamo trocar de cabelo?'. Quando eu olhei para ele, achei que era maluco, com aquele cabelo cheio de falha, de dread – ele sempre inovou no penteado (risos)", relembra. O primeiro encontro não causou uma boa impressão, mas a irreverência do rapaz conquistou pelo menos a amizade de Geni.

Mas Paulista não desistiu de dar um passo a mais: chamou para sair e até chegaram a marcar encontro. Só que ela furou. Ou melhor, ela foi, mas mudou de ideia ao ver ele sentado esperando por ela. "Sei lá, eu ficava com medo do que eu tava sentindo e preferi evitar". Entre o bolo e o Dia D, dois anos se passaram sem que eles se esbarrassem novamente pelas ruas de Salvador.

O reencontro aconteceu por acaso, em um ponto de ônibus próximo à praia da Terceira Ponte, na região da Boca do Rio. Ao descer do "busu", Geni deu de cara com Claudio sentado esperando a próxima lotação. Gaiata que só ela, se aproximou com as mãos erguidas, afim de tapar-lhe os olhos para dar um susto. Só que ele foi mais rápido, virou e lhe roubou um beijo. "Nesse momento foi como se o chão tivesse se aberto debaixo de mim, como se uma coisa que eu precisasse há muito tempo finalmente acontecesse. E somos só nós dois contra o mundo desde então".

Eu converso com gente de cabeças diferentes, de mundos diferentes. Eu acho que essa é a magia do Porto da Barra.

Juh Almeida/Especial para o HuffPost Brasil
"Quando eu tava subindo as escadas para ir embora, ouço alguém me perguntar: 'ô, morena, vamo trocar de cabelo?', conta Geni.

Finalmente lado a lado, passaram oito anos se revezando entre viver o verão em Salvador, para curtir, e o restante do ano em São Paulo, para trabalhar. Demoraram até a véspera da virada do século para se darem conta de que poderiam juntar a labuta com aquilo que juntou os dois desde o início. "Não era óbvio que a gente ia acabar voltando para cá? Essa escada tem história! (risos)".

Se despediram da megalópole, e decidiram se mudar de vez para a capital da Bahia. Foram, como não poderia deixar de ser, justamente para o bairro que guarda, protegido entre dois fortes – Santa Maria e São Diogo – o shangri-la do casal: a Barra, e o seu Porto. "Olha bem para isso daqui e me diga como é que eu vou sair de um paraíso desse? É o melhor lugar do mundo, parece uma pintura diferente a cada dia".

Desde então dividem igualmente o trabalho de abastecer o estoque de bebidas e transportar as cadeiras e sombreiros – "aqui é tudo móvel: tudo que desce para praia tem que subir de novo no final do dia". A situação só muda na hora da ação propriamente dita: Paulista prefere ficar lá de cima, na balaustrada, prospectando clientes. Ela não, o seu lugar é com os pés fincados na areia e com o sorriso de praxe estampado na cara, faça chuva ou faça sol – de preferência essa última opção.

E conhecer gente nova me deixa leve.

Juh Almeida/Especial para o HuffPost Brasil
"Olha bem para isso daqui e me diga como é que eu vou sair de um paraíso desse? É o melhor lugar do mundo, parece uma pintura diferente a cada dia".

Para Geni não existe tempo ruim, tampouco papo ruim. Enquanto conversava com o HuffPost, foi interrompida mais vezes que os dedos das duas mãos podem contar para ser cumprimentada por quem lá chegava. A barraqueira não cala a matraca seja com o pessoal da malhação, que vai pra lá cedinho cedinho, ou com os adeptos ao bronzeado que chegam por volta das 11h, nem com aqueles que curtem bater palma para o pôr-do-sol. Essa última parte, ela confessa ser a sua preferida do dia: "tem uns morrer de sol que, Ave Maria, são um espetáculo de Deus".

"Eu amo o meu trabalho! Aqui você nunca fica parado, tem movimento o tempo inteiro. E conhecer gente nova me deixa leve. Eu converso com gente de cabeças diferentes, de mundos diferentes. Eu acho que essa é a magia do Porto da Barra", se derrete, ao lado de Paulista, que faz coro para cada uma das palavras.

No maior estilo Dona Flor, não esconde de ninguém que seu peito guarda dois amores. Vocês devem estar se perguntando: certo, o Porto eu tô vendo, mas cadê a famosa escada onde tudo começou? Bom, é que assim como Geni, não tem um dia sequer que ele não bata ponto lá. E ela pediu que o ensaio fotográfico fosse um presente surpresa...

Ficha Técnica #TodoDiaDelas

Texto: Clara Rellstab

Imagem: Juh Almeida

Edição: Andréa Martinelli

Figurino: C&A

Realização: RYOT Studio Brasil e CUBOCC

O HuffPost Brasil lançou o projeto Todo Dia Delas para celebrar 365 mulheres durante o ano todo. Se você quiser compartilhar sua história com a gente, envie um e-mail para editor@huffpostbrasil.com com assunto "Todo Dia Delas" ou fale por inbox na nossa página no Facebook.

Todo Dia Delas: Uma parceria C&A, Oath Brasil, HuffPost Brasil, Elemidia e CUBOCC