MULHERES
26/04/2018 17:28 -03 | Atualizado 26/04/2018 18:04 -03

Bill Cosby é considerado culpado em julgamento de casos de abuso sexual

O comediante de 80 anos foi acusado de drogar e agredir sexualmente Andrea Constand em 2004.

POOL New / Reuters
Bill Cosby é considerado culpado por abuso sexual.

O comediante Bill Cosby foi considerado culpado nesta quinta-feira (26) em 3 acusações de agressão sexual após o julgamento de um júri do condado de Montgomery, na Pensilvânia.

Cosby, de 80 anos, foi denunciado por drogar e agredir sexualmente Andrea Constand em 2004. Constand, 44 anos, era ex-técnica de basquete feminino na Temple University, instituição em que Cosby era um importante doador na época da agressão.

"Esse é um caso extraordinário de serviço de júri", afirmou o juiz Steven O'Neill em presença dos jurados após anunciar a sua decisão.

O período de condenação do comediante ainda não foi definido. Cada acusação de agressão agravada por violação sexual pode levar a uma sentença de 5 a 10 anos. O máximo de tempo que Cosby poderia ser condenado é de 30 anos.

O veredito marca o fim de um caso dramático que se arrasta por 14 anos e que já levou a outros julgamentos criminais e várias investigações policiais.

Brendan McDermid / Reuters

Entenda o caso

Em 2005, o comediante Bill Cosby, acusado atualmente de estuprar pelo menos 50 mulheres, admitiu ter dado um forte sedativo a pelo menos uma vítima com a intenção de ter relações sexuais com ela.

O primeiro julgamento de Cosby, em junho, foi anulado por falta de veredito.

No julgamento desta quinta-feira, 6 vítimas deram o seu depoimento de como o ex-apresentador agrediu cada uma delas.

Durante o julgamento, Bill Cosby negou todas as acusações contra ele e disse que o encontro com Constand foi consensual.

Algumas das vítimas falaram em uma coletiva de imprensa após o veredito.

"É uma vitória para o feminismo", disse Bernard, ex-atriz do programa The Cosby Show. "É uma vitória para todas as sobreviventes de agressões sexuais."

Outra vítima, Janice Baker-Kinney, disse que se sentiu "vingada".

Nós fomos vingadas, fomos acreditadas e agora somos parte do tsunami de poder e da justiça das mulheres. Não vamos nos calar e não vamos embora.

A advogada Gloria Allred, que representa 33 das acusadoras de Cosby, também falou com a imprensa.

"Estamos tão felizes que finalmente podemos dizer que as mulheres são acreditadas e não apenas na hashtag #MeToo, mas em um tribunal onde estavam sob juramento, onde testemunharam com sinceridade, onde foram atacadas, onde foram questionadas, onde foram denegridas, onde houve tentativas de desacreditá-las", disse.