POLÍTICA
10/04/2018 16:17 -03 | Atualizado 10/04/2018 16:17 -03

Em meio a afagos a Meirelles, Michel Temer dá posse a 10 novos ministros

"Meirelles nos deixa como um dos melhores ministros da Fazenda que o Brasil já teve."

NurPhoto via Getty Images
Na última terça-feira (3), Meirelles se filiou ao MDB, partido de Michel Temer.

Ao dar posse a 10 novos ministros nesta terça-feira (10), o presidente Michel Temer aproveitou para tentar desfazer um mal-entendido com Henrique Meirelles, que deixou o Ministério da Fazenda na última sexta-feira (6). O presidente fez da cerimônia de posse um palco para enaltecer o correligionário:

Meirelles nos deixa como um dos melhores ministros da Fazenda que o Brasil já teve.

O ex-ministro se filiou ao MDB de Temer no último dia 3 com interesse em concorrer à Presidência da República, mas sem a certeza de que será o candidato do partido. Há dentro da legenda uma movimentação para que o atual presidente entre na disputa em outubro.

No evento de filiação, ficou a sensação de que Temer foi mais exaltado que o novo integrante do partido. O emedebista chegou a reclamar internamente e desde então partido tem se esforçado para mostrar que há espaço para ele. Nesta terça-feira (10), Temer fez questão de enfatizar que "Meirelles foi essencial para retomar a credibilidade das contas públicas". Destacou o "empenho (do ex-ministro) para introduzir o teto de gastos e também avançar a agenda da produtividade".

O comando da Fazenda passa para as mãos de Eduardo Guardia. "Assume um time de um navio que, convenhamos, nós todos pusemos no rumo certo. Rumo do crescimento e geração de empregos e renda", emendou Temer.

Além de Guardia, passaram a integrar a Esplanada:

Rossieli Soares da Silva, na Educação;

Alberto Beltrame, no Desenvolvimento Social, do MDB;

Marcos Jorge, no Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, do PRB;

Wellington Moreira Franco, em Minas e Energia;

Esteves Colnago, no Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, do MDB

Vinicius Lummertz, no Turismo;

Antônio de Pádua de Deus, na Integração Nacional;

Leandro Cruz Fróes da Silva, no Esporte, do MDB;

Helton Yomura, no Trabalho, do PTB.