NOTÍCIAS
09/04/2018 13:41 -03 | Atualizado 09/04/2018 14:56 -03

Árbitro de vídeo já: Polêmica em final do Paulistão evidencia urgência

Confusão em Palmeiras x Corinthians mostra necessidade da tecnologia no futebol.

Árbitro é cercado por jogadores de Palmeiras e Corinthians após marcar pênalti e voltar atrás. Com uso do VAR, cena não aconteceria.
Reprodução/Twitter
Árbitro é cercado por jogadores de Palmeiras e Corinthians após marcar pênalti e voltar atrás. Com uso do VAR, cena não aconteceria.

Vôlei, basquete, atletismo e até Fórmula 1 já aderiram há tempos ao uso da tecnologia para auxiliar na resolução de polêmicas e minimizar, sempre que possível, as injustiças que o olho humano dos árbitros possa, por ventura, cometer.

O futebol, esporte mais popular do planeta, no entanto, parece insistir em ficar parado no tempo. Embora algumas competições internacionais já tenham aderido ao auxílio da arbitragem de vídeo (VAR – sigla em inglês para video assistant referee), a padronização e a obrigatoriedade do uso ainda não foram instituídas.

A decisão do título do Campeonato Paulista de 2018 entre Palmeiras e Corinthians, disputada no último domingo (8), evidenciou que o futebol brasileiro precisa urgente da utilização do VAR – até o momento vetado para o Campeonato Brasileiro que começa no próximo sábado (14).

Se a tecnologia estivesse em uso pela Federação Paulista de Futebol, o árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza provavelmente não teria demorado 8 minutos para voltar atrás na marcação de um suposto pênalti do corintiano Ralf no palmeirense Dudu. Veja no vídeo abaixo.

Informado pelo quarto árbitro da inexistência da infração, Marcelo foi cercado pelos jogadores do Palmeiras, conversou com os demais integrantes do quinteto de arbitragem e, finalmente, decidiu pela não marcação da penalidade que poderia decretar a igualdade no placar ao Palmeiras e mudar o destino da taça de campeão, que acabou nas mãos do Corinthians.

Ao HuffPost Brasil, o ex-árbitro Eduardo César Coronado Coelho relatou que, apesar da demora – e de não ter se utilizado do VAR, ainda proibido em competições nacionais – Marcelo Aparecido foi correto na anulação da jogada.

"A maneira de se decidir a finalização do lance é que foi equivocada, porém, o árbitro acertou. Não foi lance penal."

Coronado foi incisivo quando questionado sobre a importância da utilização imediata do VAR para que confusões como essa, prejudiciais ao esporte, não voltem a acontecer.

"Se nós tivéssemos o árbitro de vídeo aprovado, algo que eles mesmos [clubes] se recusaram a pagar o custo do investimento, com certeza o lance teria sido resolvido de uma forma mais rápida e seguindo o protocolo da Fifa."

COMO FUNCIONA O VAR?

Um conjunto de câmeras transmitirá a imagem para uma sala no estádio em que estarão os assistentes de vídeo. Eles analisarão os lances e, em caso de dúvida, informarão ao árbitro.

Divulgação
Árbitro de vídeo em ação em jogo válido pelo Campeonato Espanhol. Menos polêmicas em campo.

Nesse momento o jogo será paralisado e o árbitro se dirigirá à beira do campo para ter acesso a um monitor e, se for o caso, voltar atrás em uma marcação.

Seguindo determinação da Fifa, o árbitro de vídeo só poderá ser acionado em determinadas situações, que enumeraremos a seguir:

1. Gols

Segundo o site da Fifa, a função do VAR quando houver dúvidas em lances de gol, é "ajudar o árbitro de campo a determinar se houve alguma infração que o impeça de validar o gol".

A determinação vale para confirmar se a bola entrou ou não e também para determinar se houve impedimento na jogada, o que invalidaria a marcação do tento.

2. Pênaltis

Situação ocorrida na partida entre Palmeiras e Corinthians. A arbitragem marcou pênalti na disputa de bola entre Ralf e Dudu, mas, avisada pelo auxiliar de que o jogador corintiano havia acertado somente a bola e não o rival, voltou atrás. O árbitro de vídeo resolveria o lance de forma mais rápida.

3. Cartões vermelhos

Ajudará o árbitro a corrigir uma injustiça caso a expulsão (ou não) de um determinado jogador tenha sido feita de maneira equivocada.

4. Identidade de jogadores

Em um outro Palmeiras e Corinthians, também recente, a arbitragem expulsou o jogador errado de campo e, mesmo avisada pelo auxiliar, não voltou atrás em sua decisão. Esse tipo de lance também entra na gama em que o recurso de vídeo será válido.

A Copa do Mundo da Rússia, que terá início no próximo dia 14 de junho, terá a utilização da arbitragem de vídeo para solucionar as jogadas mais polêmicas.

A tecnologia foi utilizada em amistoso recente disputado entre França e Espanha e acabou sendo decisiva para a vitória dos espanhóis por 2 a 0 - primeiro anulando um gol francês e, posteriormente, validando um dos espanhóis. Veja os lances abaixo.