COMPORTAMENTO
06/04/2018 14:41 -03 | Atualizado 06/04/2018 14:41 -03

O que os millennials procuram no amor?

“Uma coisa é certa. Eles não querem um casamento como o de seus pais.”

Os millennials têm uma relação complicada com o casamento.
Getty Images
Os millennials têm uma relação complicada com o casamento.

Os millennials têm uma relação complicada com o casamento.

De acordo com as estatísticas, quem está nos 20 ou 30 anos está adiando ter filhos. Segundo dados do censo, a idade média para o primeiro casamento é de 27 anos para as mulheres e 29 anos para os homens nos Estados Unidos. Em áreas urbanas como Washington e Nova York, a idade é ainda mais alta.

Essa apreensão pode estar relacionada à economia. Pode estar relacionado, também, ao estresse que o financiamento estudantil tem provocado, por exemplo. Ou, ainda, as poucas perspectivas de emprego que têm impactado nos planos de se casar ou começar uma família.

Mas isso é só parte da história, diz Jennifer Behnke, terapeuta de família e casais que trabalha com a geração millenial. Muitos millennials têm expectativas altíssimas em relação ao casamento.

"Eles não querem um casamento como o de suas mães", afirma ela. "Como estão dispostos a esperar mais para ter filhos, a prioridade dos relacionamentos é cultivar um senso de felicidade e recompensa com o parceiro."

Os millennials procuram parceiros que possam atender a todas as suas necessidades: querem alguém financeiramente compatível, um parceiro erótico, um melhor amigo e, um dia, um pai ou mãe responsável. Não é pouca coisa – e, se o parceiro potencial não estiver à altura, eles vão continuar procurando, diz Behnke.

"Eles não vão ficar num relacionamento considerado insuficiente", afirma ela. "Sabem que existe muita gente no mundo e nos aplicativos de namoro que podem atender suas expectativas."

O que mais procuram os millennials? Abaixo, Behnke e outros terapeutas que trabalham com jovens apontam 6 pontos essenciais para os relacionamentos dessa geração.

Os millennials querem um parceiro tão ambicioso quanto eles

É o efeito Jay Z: hoje em dia, o padrão de sucesso num relacionamento é o "power couple" ou nada. Os millennials querem alguém igual a eles em todos os sentidos. Alguém com quem possam crescer. Alguém que complemente suas vidas – e talvez um dia possa representar um impulso em suas carreiras, afirma Behnke.

"Eles não querem necessariamente alguém que trabalhe no mesmo setor, mas com certeza não querem se sentir mais a pessoa mais bem-sucedida profissionalmente na relação", diz ela. "Eles não querem um parceiro que passa a maior parte do tempo assistindo TV ou jogando videogame."

O objetivo é encontrar alguém que te impressione, e "uma ambição compatível é uma maneira de fazê-lo", afirma Behnke.

Os millennials querem uma conexão forte

Graças aos apps de encontro, não faltam opções para os solteiros, mas poucos "matches" parecem valer o esforço de um encontro, diz Rachel Kazez, terapeuta e fundadora do All Along, programa que ajuda as pessoas a entender saúde mental e buscar ajuda de profissionais. Quando os jovens não encontram conexões significativas, muitas vezes se perguntam se algo está errado com eles próprios.

"Muitos millennials acham que algo está errado porque eles não conseguiram um relacionamento romântico como as outras pessoas", afirma ela. "Então, antes de correr atrás dos sonhos que têm para os relacionamentos, eles querem ter a certeza de que encontrar a pessoa especial também é possível para eles."

Os millennials querem ter vida fora do relacionamento

Uma sensação de mistério é importante na manutenção de um relacionamento de longo prazo. Com isso em mente, muitos millennials procuram pessoas que tenham uma vida social ativa fora dos relacionamentos, diz Joyce Morley , terapeuta de família e casais de Decatur, na Geórgia.

"Trata-se de procurar o amor verdadeiro, mas ainda assim ser independente", afirma ela. "Eles querem estar juntos, mas, ao mesmo tempo, buscar seus objetivos individuais de carreira. Também querem manter as amizades antigas e curtir seus hobbies. Eles acreditam que vão ter sucesso como casal por causa do sucesso individual."

Os millennials querem compromisso, mas não necessariamente o casamento

Eles querem amor em suas vidas, mas não estão convencidos da ideia de casamento e de toda a burocracia envolvida, diz Debora Duley, psicoterapeuta e diretora clínica da Empowered Connections, clínica que trabalha exclusivamente com meninas, mulheres e a comunidade LGBTQ.

"Vejo muita gente querendo compromisso, mas menos interessada em casamento", afirma ela. "Isso é diferente das gerações anteriores, acho que pode ser atribuído às experiências de ver casamentos fracassados. Os millennials querem relacionamentos de longo prazo que sejam sérios, mas não ouço muitos sonhos de casamento."

Os millennials querem um parceiro incrível no que diz respeito à casa e aos filhos

Em relacionamentos heterossexuais, os homens contribuem mais com o trabalho doméstico do que em gerações anteriores. Mas ainda assim estão devendo.

Segundo a pesquisa de 2015 Women in the Workplace (mulheres no trabalho), da LeanIn.org e da consultoria McKinsey, as mulheres ainda são responsáveis por uma fatia desproporcional das tarefas domésticas e dos cuidados com os filhos. Em famílias em que ambos os pais trabalham, 41% das mulheres dizem ter mais responsabilidades relativas aos filhos. Outros 30% relatam que têm mais tarefas domésticas a cumprir que seus maridos. Nos casais de millennials, o trabalho de casa é dividido de forma mais igualitária, mas as mulheres ainda têm mais responsabilidades relacionadas às crianças.

Na terapia, a angústia em relação às tarefas domésticas é palpável, afirma Jess Hopkins, coach especializada em millennials.

"Essas mulheres não estão procurando somente um yin para o seu yang", diz Hopkins. "Elas procuram alguém que queira se envolver em todo o espectro das responsabilidades e experiências cotidianas – isso inclui tarefas de casa como cozinhar, limpar a casa e cuidar dos filhos."

Os millennials querem alguém que valorize intimidade e sexo

Eles não querem relacionamentos que deixem a desejar, inclusive no que diz respeito ao sexo. Apesar de existir uma real "disparidade de orgasmos" – estatisticamente, as héteros gozam menos que qualquer outro grupo demográfico, incluindo as lésbicas --, as jovens exigem cada vez mais de seus parceiros sexuais.

"Com a passagem de cada geração, as mulheres estão mais empoderadas e esperam que seus desejos sexuais sejam plenamente atendidos", afirma Duley. "Os millennials estão mais empoderados e esperam que seus relacionamentos sejam baseados em intimidade real e parcerias igualitárias."

Photo gallery10 medos que matam os relacionamentos See Gallery