POLÍTICA
06/04/2018 19:43 -03 | Atualizado 06/04/2018 20:52 -03

Nas mãos de Edson Fachin: Defesa de Lula recorre ao Supremo

Os advogados do ex-presidente argumentam que o juiz Sérgio Moro deveria esperar a conclusão do processo no TRF-4 para expedir o mandado de prisão.

VICTORIA SILVA via Getty Images
Ministro do Supremo, Edson Fachin é o relator da Lava Jato na corte.

Depois do habeas corpus negado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) na tarde desta sexta-feira (6), os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recorreram ao STF (Supremo Tribunal Federal) para tentar impedir a prisão.

O pedido está nas mãos do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato na corte.

Os advogados do petista fizeram a mesma alegação que foi encaminhada ao STJ. Eles argumentam que o juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba (PR), deveria ter esperado o fim da tramitação do processo no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) para expedir o mandado de prisão.

A defesa tem até a próxima terça-feira (10) para apresentar os embargos dos embargos, um tipo de recurso.

O ex-presidente foi condenado pelo TRF-4 em 24 de janeiro a 12 anos e 1 mês de reclusão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Em 26 de março, o tribunal negou os embargos de declaração.

No despacho, Moro afirmou que não cabiam mais recursos que pudessem evitar a prisão no TRF-4. "Hipotéticos embargos de declaração de embargos de declaração constituem apenas uma patologia protelatória e que deveria ser eliminada do mundo jurídico", escreveu.