COMPORTAMENTO
03/04/2018 17:27 -03 | Atualizado 03/04/2018 17:31 -03

10 argumentos para discutir com quem não acredita em astrologia

Mercúrio retrógrado, inferno astral, Susan Miller, vamos todos morrer mesmo...

Getty Images/iStockphoto
Astróloga rebate as 10 frases mais comuns de quem detesta signos e horóscopo.

No mundo, há dois tipos de pessoa: aquelas que, ao ver a seção de horóscopo no jornal, leem tudo de cima a baixo ou simplesmente viram a página e seguem em frente, e aquelas que não só leem tudo de cima a baixo como também fazem questão de esculhambar tudo que está escrito – afinal, astrologia é coisa de gente desinformada e sem noção (sic).

Pois é exatamente para elas que dedicamos este texto. A vocês, amiguinhos, que acham que esse negócio de touro, escorpião, leão e peixes é coisa só de quem trabalha no zoológico e nada mais, ofertamos estes parágrafos.

A astróloga, taróloga e coach astrológica paulista Ana Leo – que tem fila de espera de mais de um mês para atendimento -, responde a cada uma das frases (e, por vezes, até ofensas) mais comuns de quem está cagando para o horóscopo.

Aqui, a tentativa não é converter ninguém, mas, pelo menos, mostrar por que os astros têm influência sobre as decisões que a gente toma, queira você ou não.

nevarpp via Getty Images

1- "A astrologia surgiu do nada"

Ana Leo: Nada surge do nada, tudo tem um propósito. A astrologia surgiu de uma necessidade que o homem tinha de se observar e de observar a natureza. Desde a Pré-História, o homem marca o passo da Lua na parede da caverna, marca quando o sol está forte, quando está frio porque o sol está fraco.

Olhar para o céu e acompanhar o movimento das estrelas e constelações também ajudou o homem a saber a época certa de plantar, quando ele não perderia as sementes, quando teria uma boa colheita etc. E, com isso, ele garantiu a sobrevivência em tempos em que ele não contava com nenhuma ferramenta. Acho que a astrologia, o estudo de observar as estrelas, vem como a primeira tecnologia que o homem utilizou a seu favor. Através da observação das fases da Lua, que influenciam nas marés e na pesca, o pescador sabe o jeito que o mar está e qual o melhor momento para pescar.

Inclusive, as cartas astrais, que são os mapas das posições das constelações no céu, podem muito bem ajudar um piloto de avião que tenha perdido parte dos seus equipamentos, que tenha sofrido uma pane nos aparelhos, por exemplo. Pode ajudar um piloto a aterrissar, encontrar um lugar para pousar o avião, mesmo ele tendo perdido todas as outras tecnologias.

A astrologia não deixa de ser a arte de observar as estrelas, e observar como o movimento dessas estrelas, dessas constelações, desses planetas, todos repercutem aqui, nos acontecimentos aqui embaixo, na Terra. A astronomia, por sua vez, surgiu do estudo da astrologia. Dessa observação das estrelas, junto com o avanço e o desenvolvimento da tecnologia. Foi quando o homem começou a utilizar aparelhos de medição para medir a massa, a velocidade, o peso dos objetos do espaço, a distância.

2- "A astrologia não tem base científica"

Ana Leo: Existem diversos estudos científicos que comprovam a influência da Lua nas marés, por exemplo. O que talvez não tenha base científica é o estudo das constelações dos signos, e acho que é essa a revolta das pessoas.

No entanto, você só adquire base científica se pesquisar e estudar muito a fundo um assunto. Você só vai saber a relação que um planeta tem na sua vida se começar a se observar e a estudar o movimento dele em cima do seu mapa astral. Para você ter base científica da astrologia, você tem que se observar todos os dias. Sei de vários físicos e astrônomos que eram descrentes da astrologia, mas, a partir do momento em que começaram a estudar, mudaram totalmente seu pensamento.

A astrologia está impregnada em diversos meios. É que não é divulgado, não é falado. Todos os grandes governantes já passaram pela mão de um astrólogo. Todos os meus professores já atenderam pessoas como o (ex-presidente) Lula, o (José) Serra. O astrólogo era o braço-direito dos reis nas monarquias, eles não tomavam nenhuma decisão sem antes consultar o seu astrólogo.

A astrologia é o resultado de anos e anos de observação do movimento dos planetas junto com a humanidade. É por isso que a gente sabe que Marte é o planeta da ação, por exemplo, porque a gente já observou muito esse planeta. Só que a gente está no comecinho, a humanidade está engatinhando.

Os descrentes, os céticos, eles pegam a astrologia só como as quatro operações básicas, e esquecem que existem operações infinitas. Inclusive, para você ser um bom astrólogo, você tem que saber muito bem matemática, fazer cálculos, saber compreender o espaço geométrico, os ângulos, os cálculos em cima dos ângulos, dos graus, dos minutos, tudo muito bem.

Para os leigos, é muito difícil realmente compreender que esse sistema da astrologia, que divide o céu em 12 setores, que divide as constelações em 12 signos, que divide a personalidade em 12 planetas diferentes, é muito difícil para eles compreender que essa metrificação não tenha uma base científica.

Só que, na verdade, a gente também conta com o nosso livre arbítrio. Para a astrologia funcionar, ela depende de uma ação física humana. Depende da sua vontade ou não de fazer aquela ação. Você pode resistir, por exemplo. Mas, que a onda vai vir, ela vai vir.

Eu compreendo que é difícil para eles. O homem estabelece as regras, as normas, as métricas, tudo para que ele se sinta mais seguro nessa caminhada de evolução. Porém, cada um de nós tem um passo totalmente único, totalmente nosso, que é exclusivo, originalmente nosso, e o que a gente está começando a compreender é que cada indivíduo é um universo completo. Que a gente não é apenas o nosso signo, o nosso ascendente.

Pelo contrário, nós somos um algoritmo louco, resultado de todas as posições de todos os astros e estrelas, somado à hora em que você nasceu, ao local onde você nasceu, a família em que você nasceu, porque as condições socioeconômicas também influenciam no destino da pessoa. Na vida, a gente é impulsionando a cada hora por uma força diferente.

O estudo da astrologia te proporciona o entendimento de qual é a força que está mais atuante na sua vida nesse período, nesse tempo, nesse ano, nos próximos meses. A finalidade do astrólogo é te apontar o que está sendo impulsionado na sua vida agora. E tudo depende apenas de você seguir, de ter a vontade de atuar junto com esse vetor, ou não.

3. "As pessoas continuam acreditando na astrologia porque acreditam apenas nas previsões que se realizam, mas se esquecem das que acabam não acontecendo"

Ana Leo: Novamente: existe o livre-arbítrio. A pessoa pode seguir aquele vetor que está impulsionando a vida dela, ou não, e decidir seguir o caminho oposto. Por isso que algumas previsões se realizam, e outras não se realizam. Acredito que, a partir do momento que você está sabendo que aquilo vai acontecer, e se é um resultado que você não quer ver na sua vida, você pode trabalhar para que isso não aconteça. Se você souber que uma maré de dificuldades no seu casamento está vindo, por exemplo, e você pensa, avalia, raciocina, faz aí toda a sua metrificação, e vê que você não quer se separar do seu marido, você faz todo o movimento contrário a isso.

4. "A astrologia é uma fórmula fácil"

Ana Leo: Fórmula fácil é a astrologia de jornal. Não estou generalizando, mas a maioria dessas astrologias de revista, se ela não tem ali um astrólogo bom administrando o horóscopo, vai ficar uma coisa muito vaga, realmente. Ela está sendo colocada em uma publicação, ela vai atingir milhares de pessoas. E faz parte, quando você faz uma previsão para um signo inteiro, ser um tanto quanto genérico, olhar mais o panorama completo e não focar em apenas uma coisa. Agora, quando você vai fazer uma consulta para estudar o mapa astral de alguém, aí não tem fórmula fácil nenhuma. Pelo contrário. É um estudo bastante elaborado. É uma consulta de, no mínimo, uma hora e meia, então não existe fórmula fácil realmente.

5. "Esse negócio de inferno astral é uma bobagem"

Ana Leo: Inferno astral pode, sim, ser uma bobagem, desde que você consiga lidar bem com o seu inconsciente, com as suas sombras, com fechamentos de ciclos. Porque o inferno astral é o mês que antecede o seu aniversário, ou seja, é o mês em que o sol está transitando pela sua casa 12, pela última casa do seu mapa astral solar. Então, ele está se aproximando do ponto onde ele estava no momento em que você veio para esta terra, que é o dia do seu aniversário.

O inferno astral é o trânsito do sol por uma área da sua vida que fala de finais de ciclos de encerramento, de fazer um balanço, de olhar os medos que você foi jogando para debaixo do tapete e, agora, nesse último mês antes do seu aniversário, você tem que encarar de frente. O inferno astral é uma bobagem se você souber administrar muito bem essa fase de olhar para os próprios medos, de encarar as inseguranças, fazer um balanço geral do seu inconsciente. Se você sabe fazer isso, se lida com isso muito bem, realmente, o inferno astral é uma bobagem.

No entanto, se você não lida, vai sentir esse inferno astral te impulsionando porque, na verdade, o universo quer que você evolua, que você complete mais uma volta ao sol de uma forma boa, de uma forma evolutiva.

6. "Astrologia é coisa de gente desinformada ou burra"

Ana Leo: Você precisa estudar muito para ser um astrólogo. Um bom astrólogo, como já falei, depende de outras matérias: ele depende da matemática, da geometria, da ética. Um astrólogo que não tem ética não vai ser nem bem-sucedido, nem ter vários clientes. É preciso muito cuidado ao acessar as informações da vida de outra pessoa. Acessar o DNA cósmico dela, que é o seu mapa astral. É preciso estudar, e muito. Acho que gente desinformada ou burra é quem não valoriza um estudo tão sério e tão aprofundado, e tão mágico, e tão maravilhoso como é a astrologia.

7. "O fato de os astrólogos não serem ricos é a maior prova de que a astrologia não funciona"

Ana Leo: Aí vem a parte da ética, que eu falei que um bom astrólogo deve ter. A afirmação me parece vir de alguém que acha que, se você sabe tudo, você sabe onde conseguir dinheiro, como acessar esse lugar e como ganhar muito dinheiro com isso. Tivemos astrólogos bem famosos no final dos anos 70, começo dos anos 80, que fizeram muito, mas muito dinheiro mesmo, porque estavam informando as pessoas, compartilhando a sabedoria deles.

Você só se torna rico depois de colocar muita energia em alguma coisa, em algum propósito, algum trabalho. O dinheiro é a materialização da nossa energia. Se você coloca energia, o universo vai te devolver em energia também.

De que forma? Da forma material, te pagando com dinheiro. Tem muito astrólogo que é muito bem-sucedido, que ganha muito bem, que vive muito bem. A única coisa é que você não pode usar a astrologia apenas para benefício próprio. Se você está usando a astrologia apenas para seu enriquecimento, para apenas você se dar bem na vida, o universo vai te passar uma bela de uma lição. Porque a astrologia, inclusive, ensina que a gente deve colocar para o mundo sempre o nosso melhor lado.

Toda energia tem dois lados, dois polos: o positivo e o negativo. Um astrólogo vai ser muito rico se ele conseguir, com o talento e o estudo dele, ajudar muitas pessoas. Quanto mais pessoas ele ajudar, mais rico ele vai ser. Agora, não existe dinheiro fácil em nenhum lugar, nem na astrologia. Acho que quem acredita que o dinheiro vem fácil está super desinformado. Pode procurar. É que as pessoas não saem divulgando que elas enriqueceram, mas tem muito astrólogo que não tem agenda para 2018, por exemplo. Tem que marcar com dois anos de antecedência. E, se ele é rico, se ele usou bem o dinheiro dele, o problema é dele. Se ele emprega, se ele investe bem o dinheiro, o problema é dele também.

8. "Se os planetas têm mesmo influência sobre as pessoas, por que as estrelas e as galáxias também não têm?"

Ana Leo: As estrelas e as galáxias têm, sim, muita influência sobre as pessoas. A gente só não chegou ainda ao estudo aperfeiçoado dessa influência. Netuno foi descoberto há pouquíssimo tempo – até então, a gente só "tinha" sete planetas. Com a descoberta dos outros, a gente consegue, sim, já começar um estudo em cima deles. Quanto mais estrelas e galáxias a gente conhecer, e souber da existência, mais aprimorado vai ficar o nosso estudo, melhor a gente vai entender a influência delas. Tem uma outra linha da astrologia que estuda realmente as estrelas principais das constelações, a influência delas na sua vida. É uma astrologia bem antiga, que estuda o posicionamento das estrelas fixas. Só para se ter uma ideia, o primeiro catálogo de estrelas fixas surgiu há mais ou menos 250 anos. Então, a gente ainda está muito no começo do estudo, o que não tira a importância dele. E olha que é considerado um estudo recente, com "apenas" mais de 5 mil anos. De qualquer forma, estamos cada vez mais estudando para descobrir a influência das estrelas e galáxias na gente.

9. "É impossível que 1/12 da população esteja tendo o mesmo dia, todo mundo ao mesmo tempo"

Ana Leo: Sim, é impossível, porque, como eu falei, somos seres únicos. O posicionamento dos planetas e das constelações influencia muito, mas também existe o meio externo, a família em que a gente nasceu, o local onde a gente mora, o local onde a gente trabalha, todo o meio externo influencia para que a gente desenvolva essas ferramentas que vêm contidas no nosso mapa.

Você pode olhar no seu mapa e ser um excelente orador, perceber lá que se tem o dom da oratória, e, mesmo assim, nunca chegar a acessar essa informação e não descobri-la. Às vezes a gente precisa de um interlocutor para que o ensinamento venha. Por isso que a gente vai para a escola, tem professor, porque tem certas coisas na vida que a gente não aprende sozinho. Às vezes, apenas você com você mesmo não teria como descobrir as milhares de ferramentas que talvez estejam contidas no seu mapa. A partir do momento em que você coloca o conhecimento nessas ferramentas, você começa a atuar de uma nova forma.

Então, é óbvio que nem todo mundo vai estar tendo o mesmo dia. Cada um está em nível de entendimento próprio, cada um tem um nível de auto-observação, autoconhecimento, evolução na vida, então não é assim que funciona. A astrologia não acha que seja dessa forma. Muitos dos horóscopos mais genéricos vêm para ajudar as pessoas a terem um esclarecimento melhor no dia, agora, eu concordo que, sim, existe muita gente querendo se aproveitar da astrologia se autointitulando astrólogo, sendo que não tem a formação em astrologia. Conheço alguns astrólogos que são muito bons e não passaram por nenhuma escola, porém, de novo, eu volto a falar, que, para um entendimento maior de qualquer assunto, um bom interlocutor, um bom professor, um bom mestre é sempre essencial.

10. "Dizer que a astrologia funciona é tão estúpido quanto dizer que a Terra é redonda", dizem os terraplanistas

Ana Leo: Gente, mas aí você fala o que para uma pessoa dessas? "Queridão, pega o seu elefante cor-de-rosa e vai dar uma volta". Sério. Fora que é algo totalmente contraditório, né? Base científica e estudo científico já existem, para comprovar que a Terra é redonda. Assim como tem gente que não acredita que o homem foi para a Lua, né? E essa é mais uma prova de que a gente ainda está muito engatinhando: o homem "só" chegou até a Lua. Através de máquinas ele até chegou mais longe, com satélites, câmeras, naves espaciais. Mas pisar mesmo, só na Lua. Então, isso prova, de novo, que estamos engatinhando, ainda.