POLÍTICA
24/03/2018 07:00 -03 | Atualizado 24/03/2018 10:53 -03

PSDB acredita que votos para Alvaro Dias migrarão para Alckmin chegar ao 2º turno

“Deve ter uma migração do eleitorado quando vir que corre o risco de dispersar os votos”, afirmou o deputado Silvio Torres, tesoureiro do PSDB.

PSDB admite que Alvaro Dias tem parte do eleitorado tucano, mas aposta em migração de votos para Geraldo Alckmin antes do 2º turno.
Montagem/Agência Senado/Getty Images
PSDB admite que Alvaro Dias tem parte do eleitorado tucano, mas aposta em migração de votos para Geraldo Alckmin antes do 2º turno.

Um presidenciável que se diz de centro, quer reduzir o tamanho do Estado e o número de partidos. Algumas posições do senador Alvaro Dias (Podemos-PR) se confundem com as do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ambos pré-candidatos ao Palácio do Planalto.

Um dos nomes com menor rejeição na disputa, Alvaro Dias é visto pelo PSDB como possível risco à campanha de Alckmin por partilhar o perfil dos eleitores. Mas os tucanos apostam que haverá uma migração de votos para o governador antes do 2º turno.

"Ele [Alvaro] atende uma certa expectativa do eleitorado, mas acreditamos que quando chegar num momento de decisão, vai haver uma convergência para quem tenha mais chance de ir para o 2º turno", afirmou ao HuffPost Brasil o deputado Silvio Torres (PSDB-SP), tesoureiro do partido. "Deve haver uma migração do eleitorado quando vir que corre o risco de dispersar os votos", completou.

Em 2014, o PTN, atigo nome do Podemos, apoiou o candidato do PSDB ao Planalto, o senador Aécio Neves (MG).

Bloomberg via Getty Images
PSDB aposta que alianças do PSDB garantirão que Geraldo Alckmin irá para o 2º turno.

PSDB tem 25% do tempo de TV

Na avaliação de Torres, uma das principais vozes de Alckmin em Brasília, o tucano conta com uma série de vantagens que fortalecem sua candidatura e irão garantir que ele fique à frente de Alvaro na disputa.

Ele cita o tempo maior de propaganda de rádio e televisão e uma estrutura nacional de apoio, com palanques nos governos estaduais. "É uma eleição geral, não é uma eleição solta. Isso é uma vantagem significativa para o Alckmin."

De acordo com Torres, hoje o PSDB conta com 25% do tempo de rádio e TV, com apoio do PSD, PTB, PPS e PV. Juntos, os 5 partidos elegeram 134 deputados. 90% do tempo da propaganda é proporcional à bancada eleita pelo partido e 10% são distribuídos igualitariamente entre os candidatos.

O Podemos, por sua vez, corre para aumentar o tempo de TV de Alvaro Dias. A legenda que, quando se chama PTN, elegeu 4 deputados, tenta uma aliança com o PRB, que elegeu 21 deputados.

Podemos/Thati A. Martins
Podemos tenta construir alianças para aumentar tempo de TV de Álvaro Dias.

Podemos tenta aliança para aumentar tempo de TV

Presidente do Podemos, a deputada Renata Abreu (SP) tem conversado com o presidente do PRB, Marcos Pereira. Os partidos chegaram a tratar da possibilidade do PRB ser vice na chapa, mas a negociação ainda não foi fechada.

O partido lançou a pré-candidatura do senador nesta sexta-feira (23), em Belo Horizonte (MG). Dias criticou a corrupção e prometeu combater privilégios e fazer uma "refundação" do Brasil.

"A substituição desse modelo de governança passa por reformas fundamentais como a reforma do estado com enxugamento da máquina pública, a qualificação técnica do governo, com a eliminação dos privilégios das autoridades."

O anúncio foi feito na posse da Executiva estadual do partido em Minas Gerais, onde o prefeito de Betim, Vittorio Medioli, assumiu a presidência estadual da legenda. Ele é cotado para disputar do governo de Minas, o que pode garantir um palanque ao senador.

Para o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG), secretário-geral da sigla, o fator regional prejudica Alvaro Dias. Ele afirmou que o senador só tem apoio maior no Sul do País.

O senador resolveu concentrar a campanha no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O entendimento do Podemos é que o PT tem uma força muito grande no Nordeste, então não compensaria ser a região com mais esforços.

Também contam a favor de Alckmin, os recursos do Fundo Partidário e do Fundo Eleitoral. O PSDB decidiu destinar R$ 70 milhões para a candidatura do tucano, valor máximo permitido.

De acordo com pesquisa Datafolha divulgada em 31 de janeiro, apenas 13% dos entrevistados disseram que não votariam em Alvaro Dias de jeito nenhum. Registraram o mesmo percentual Manoela D'Ávila (PCdoB), Guilherme Boulos (PSol) e João Amoêdo (Novo). Alckmin, por sua vez, conta com 26% de rejeição.

Quanto à intenção de voto, o tucano oscila entre 6% a 11%, dependendo do cenário. Já o senador tem entre 3% e 6%. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Photo galleryQuem são os presidenciáveis de 2018 See Gallery